Pesquisar
Close this search box.
/
/
Vou de táxi? Para quem morria de saudades, ele deve dominar o cenário da mobilidade urbana nos próximos meses

Vou de táxi? Para quem morria de saudades, ele deve dominar o cenário da mobilidade urbana nos próximos meses

38% dos usuários de serviços de transporte já estão de olho nos táxis devido a complicações em aplicativos particulares

As idas e vindas da tecnologia podem causar efeitos engraçados, até mesmo sarcásticos, quanto a alguns dos avanços e retrocessos que percebemos ao longo do tempo. Um dos exemplos mais recentes é a volta do táxi, causada, quem diria, pelo serviço de corridas particulares por aplicativos, como o Uber, Cabify, entre outros.

Se em 2014 os aplicativos estreavam por aqui com grandes expectativas, em 2022, eles já são alvo de uma série de problemas. Há inúmeros relatos de racismo, violência e abuso sexual e falta de segurança nos aplicativos, isso sem mencionar o preço volátil das corridas — resultado, além de problemas nas empresas provedoras, do alto preço dos combustíveis — e o cancelamento frequente dos motoristas, o que culmina também em um aumento no tempo de espera pela viagem.

Todos esses problemas têm feito com que os principais aplicativos percam clientela para seus tão acirrados rivais: os táxis. Um estudo da Mobicity, encomendado pelo aplicativo Vah, já mostra que 38% dos usuários de serviços de transportes estão buscando atendimento nos táxis.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente  

Os principais problemas de viagens por aplicativo

Embora tenham ficado tão famosos na pandemia — com um aumento recorde de pessoas que o utilizaram ao invés do transporte público, sobretudo para garantir a segurança diante do coronavírus —, os aplicativos têm apresentado problemas graves, inclusive já notados por boa parte dos usuários.

A pesquisa da Mobicity consultou 1,1 mil brasileiros em dezembro de 2021 e constatou, por exemplo, que 96% dos usuários perceberam a volatilidade do preço das corridas. Esse reflexo, no entanto, não foi repassado aos motoristas: uma série de reclamações surgiram nas redes sociais sobre o preço reajustado das passagens chegar apenas aos usuários.

táxi
Foto: Compilado de Tweets sobre dificuldade com aplicativos de corridas particulares.

Outro ponto destacado no estudo mostra que 92% dos usuários também perceberam um aumento no tempo decorrido para esperar o aplicativo encontrar uma viagem. 86% deles, entretanto, também sentiram um crescimento de cancelamento por parte dos motoristas.

Esses problemas fizeram tanto os usuários olharem mais atentamente aos táxis como também ao transporte público (42%) e às bicicletas (26%).

Leia mais: Uber lança campanha de combate ao racismo a partir de exemplos reais

Será a ascensão dos táxis?

táxi
Fonte: Mobicity / Aplicativo Vah

De acordo com a pesquisa, realizada também no aplicativo da Vah, houve um aumento considerável no número de pedidos de táxi nos últimos meses. Em 2019, 92% das corridas eram feitas por aplicativos particulares de viagem, sendo apenas 8% por meio de apps de táxi, como o 99 e o Wappa. Já em dezembro de 2021, esse cenário ficou um pouco diferente: 75% das viagens eram provenientes de corridas particulares, ao passo de 25% vinham de táxis.

Mas medir a mobilidade urbana é algo mais difícil do que se imagina, sobretudo pela complexa alternativa de opções públicas que, sabemos bem, não funciona tão bem quanto o esperado. As corridas particulares, no entanto, atraíram um bom público nos últimos anos. E, se os táxis quiserem aproveitar essa nova onda de preferência, será necessária uma atualização em seus processos — sobretudo na forma de pagamento.

Antes do Uber, Cabify, Lady Driver e tantos outros, os táxis funcionavam principalmente com pagamento via dinheiro em espécie. E, convenhamos, esse meio já não tem tanta consistência mundo do Pix.

Leia mais: Qual o impacto econômico do Uber no transporte público?

No entanto, por meio de aplicativos, é bem provável que os táxis reconquistem a preferência dos usuários, sobretudo porque seus preços são taxados pela cidade e há uma regulamentação bem mais rigorosa a eles do que há aos motoristas de corridas particulares.

No fim, é uma disputa, sem dúvidas, acirrada: primeiro para captar os usuários já habituados aos aplicativos particulares — sempre bom lembrar que o Uber, por exemplo, é o sexto aplicativo mais presente na tela principal dos smartphones brasileiros, conforme aponta o mais recente Panorama de Apps Mobile Time da Opinion Box —, depois partir para uma experiência mais proveitosa aos brasileiros, que já contam com um alto padrão durante suas viagens.

Resta ver qual caminho a mobilidade urbana do país tomará nos próximos meses.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Notícias

Depois do táxi, o Uber tem outro “inimigo”

5 razões que reforçam a tese: o táxi criou o Uber 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]