Pesquisar
Close this search box.
/
/
Whole Foods Market, saúde e consumo local: e o Brasil com isso?

Whole Foods Market, saúde e consumo local: e o Brasil com isso?

A empresa criada no Texas é referência em oferta de produtos saudáveis e no apoio à comunidade. Será que o modelo daria certo no Brasil?

os últimos anos, a preocupação dos consumidores e de investidores com a cadeia de produção das empresas cresceu consideravelmente. Para elas, já é comum ter de responder sobre a origem e o processo de manufatura – isso vale para as indústrias, mas também para o varejo. Por isso, diversas organizações passaram a exigir, dos fornecedores, o cumprimento de determinadas regras – algumas são mais exigentes; outras, mais maleáveis. Essa tendência vem acompanhada da demanda por um consumo de qualidade, mais saudável, mais acessível e, é claro, cercado de boas experiências. Fundado em Austin, no Texas, o Whole Foods Market é uma referência nesse sentido.

Por lá, as regras são bastante rígidas: caso não sejam cumpridas pelo fornecedor, os produtos não poderão ocupar as prateleiras da varejista. Os itens oferecidos nas lojas são naturais, saudáveis, orgânicos. E, ao contrário do que se pode imaginar, a variedade de marcas e produtos nas lojas é extraordinária e surpreendente. Não por acaso, o Whole Foods Market faz brilhar os olhos de consumidores que buscam uma vida saudável.

O brasileiro pode pensar – com razão! – que não há nada de novo em oferecer uma grande variedade de frutas, legumes, verduras, folhas etc. Afinal, para nós, é muito fácil encontrar produtos naturais por preços acessíveis e de alta qualidade. Mas isso não vale para os produtos saudáveis embalados, congelados, industrializados e/ou que exigem refrigeração, por exemplo.

No Brasil, esses produtos também existem, é claro. Entretanto, costumam ser mais caros do que os produtos menos saudáveis – portanto, não são tão acessíveis –, não estão disponíveis em tamanha variedade de marcas e opções e, principalmente, não estão concentrados em lojas grandes e com escala.

[carousel_slide id=”148860″]

Pequenos produtores no Whole Foods Market 

Além do foco em saudabilidade, o Whole Foods Market abre espaço para pequenos e médios produtores locais – que também precisam cumprir as regras de qualidade. Há iniciativas que incentivam tanto esses fornecedores como diferentes grupos de comunidades em que a empresa está inserida. E será que esse modelo funcionaria no Brasil? Essa é uma questão que vem à mente quando se visita uma loja da marca e, na minha opinião, a resposta seria “sim”.

A preferência pelo consumo local e de menores empresas foi intensificada na pandemia, ao mesmo tempo em que o e-commerce ganhou a confiança de grande parte da população. Ambas as tendências se consolidaram. Prova disso é que, em 2021, o e-commerce brasileiro registrou faturamento de R$ 161 bilhões em 2021 – uma alta de 27% em relação a 2020 –, segundo a Neotrust.

Nesse cenário, de acordo com dados da Tray, unidade de e-commerce da Locaweb Company, 90% dos consumidores realizam compras de PMEs, enquanto 40% avaliam que essas empresas oferecem melhores preços e 30% acreditam que os produtos oferecidos por elas são de melhor qualidade. “O digital chegou para continuar mudando a vida dos consumidores, trazendo agilidade, praticidade e sendo crucial para expandir horizontes de negócios”, comenta Vinícius Guimarães, gerente-executivo de Marketing da Tray.

A relação dos brasileiros com pequenas e médias empresas

Ao mesmo tempo em que busca melhores preços e qualidade, o consumidor brasileiro também opta pela praticidade do ambiente digital

  • 90% dos consumidores realizam compras de PMEs;
  • 40% avaliam que PMEs oferecem melhores preços;
  • 30% acreditam que os produtos oferecidos por elas são de melhor qualidade;
  • Consumidores 30+ tendem a comprar em websites/lojas virtuais; o público de 18 a 29 anos utiliza mais aplicativos e redes sociais;
  • 59% dos entrevistados preferem comprar on-line por ter mais praticidade;
  • 54% optam pelo digital por facilitar a comparação dos preços;
  • 53% preferem esse meio por causa da praticidade na entrega;
  • Ao buscar produtos, 60% optam por acessar marketplaces;
  • 43% dos consumidores que compram em PMEs priorizam esse tipo de empresa;
  • Nos próximos meses, 80% dos consumidores pretendem comprar em PMEs.


+ Notícias

Erro das empresas é “adotar soluções amadoras” em tecnologia, avalia VP da Talkdesk
Esqueça o espírito de dono: o engajamento dos colaboradores vai até a página 9
Presidente da Zebra Technologies aponta os pilares decisivos para o varejo

 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]