Pesquisar
Close this search box.
/
/
Varejo tende a modelo de negócios mais leve e mais digital

Varejo tende a modelo de negócios mais leve e mais digital

Estudo sobre tendências da KPMG prevê estabilidade nas fusões e aquisições para 2021

O segmento brasileiro tende a modelos de negócios mais leves e mais digitais. É o que diz o levantamento feito pela KPMG sobre tendências em fusões e aquisições realizadas pelo setor de consumo e varejo. De acordo com o “Consumer & Retail M&A Outlook 2021: Revival Beyond the Precipice“, que avaliou os mercados de 14 países, o modelo conhecido como asset-light ajuda a aumentar a liquidez de forma a crescer e expandir as capacidades em e-commerce e soluções digitais, fintech e logística.

“Pela rápida resposta e recuperação do mercado após o anúncio recente da vacina da Covid-19, é esperado um volume estável de transações no setor este ano. Diante desse novo cenário, os varejistas devem buscar a implementação um modelo de negócio mais leve em termos de ativos e mais focado em eficácia e digitalização, para melhorar a liquidez e ampliar o comércio digital e a logística“, analisa o sócio-líder de consultoria em negócios para o setor de consumo e varejo da KPMG no Brasil, Alan Riddell.

Já é possível ver o modelo de asset-light nas ruas. Um exemplo dessa tendência está nas lojas studio, inauguradas por varejistas como Tok&Stok, Renner, Telhanorte e Leroy Merlin, que trazem um ambiente otimizado e omnicanal que facilitam a expansão.

De acordo com o estudo, as baixas taxas de juros vistas até outubro do ano passado devem ajudar as empresas a se desenvolverem.

Estabilidade nas fusões e aquisições

Enquanto o varejo remodela seus espaços físicos e os adequa à phygitalidade, com perspectivas de expansão dos negócios, atividades de negociação no campo das fusões e aquisições devem ficar mais estáveis ao longo do ano 2021.

De acordo com o estudo, por causa das altas taxas de câmbio e da rápida recuperação pela qual o país passa, fundos de investimento em empresas amadurecidas tendem a reduzir seus investimentos. De acordo com a consultoria, esse movimento fica mais claro nos mercados de capitais, a exemplos recentes da Warburg Pincus — que zerou sua participação na Petz — e da Advent, que vendeu as lojas Quero-Quero.

A estabilidade na quantidade de fusões e aquisições vem depois de um 2020 com alta de 30% em negociações no setor de consumo e varejo. No total, foram 104 transações feitas no ano passado, ainda que os US$ 3 bilhões movimentados signifiquem uma queda de 40% em relação ao ano anterior.

2020 também foi um ano de efervescência no mercado de capitais, lembra a KPMG, dado o aumento na quantidade de IPOs (sigla em inglês para oferta pública inicial). O movimento foi um sinal de que os varejistas aproveitaram o momento para fazer fortes capitalizações, de forma a reforçar posições de liquidez e se preparar para financiar crescimento.

“O ano passado registrou várias tendências no setor de varejo, como a aceleração da migração da compra tradicional para o formato online, que registrou aumento considerável com os varejistas observando um crescimento equivalente aos últimos cinco anos em apenas três meses”, observa Riddell. “Hoje, os empresários que estão liderando o setor estão bem posicionados com diversificação de canais e produtos, seguindo com pesados investimentos em transformação digital e com uma estrutura de capital bastante robusta, que permite fôlego para aguentar bem a cauda longa da pandemia com uma posição de liquidez forte.”

O varejo por dentro

Ainda que o comércio e as empresas do varejo tendam a uma estabilidade no ritmo de fusões e aquisições em 2021, as empresas de tecnologia que trazem soluções ao varejo tendem a motivar negociações de compra e aquisição. Uma vez que omnicanalidade e logística são peças-chave no consumo phygital, a expectativa é que aconteçam mais transações no segmento de retail techs — o que pode incluir aquisições entre varejistas e startups, como ocorreu com a recente compra da Casas Magalhães pelo Boticário.

De acordo com um relatório do Distrito, divulgado em abril, a previsão para 2021 é de grande volume e número de investimentos das retail techs. Só entre janeiro e começo de abril deste ano, foram firmados 19 acordos, cujo total chega a US$ 682,4 milhões. Segundo o Distrito, a soma beira os 53 acordos feitos em 2020, que totalizaram US$ 712 milhões.

 


+Notícias

Varejo precisa detectar as categorias prioritárias ao consumo consciente

Via, Magalu, Americanas e Drogasil entre as maiores do varejo no mundo

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]