Pesquisar
Close this search box.
/
/
O varejo do futuro é digital, mas também é físico

O varejo do futuro é digital, mas também é físico

Em entrevista à NOVAREJO, o CEO da Liq, Marcelo Chianello, apresenta suas impressões sobre a NRF 2019. Confira insights e tendências

Mais do que nunca, a perspectiva digital está intimamente ligada à rotina do varejo. E essa realidade tende a se intensificar, ano a ano. Porém, há muitos fatores a serem considerados dentro do que conhecemos como digital: canais, dados, informações, interfaces e muitas outras tecnologias que podem ser utilizadas em lojas físicas e virtuais.

“O varejo precisa aprender a se basear em dados estratégicos para facilitar o consumo”, defende Marcelo Chianello, CEO da Liq. “O superconsumidor está cada vez mais consciente, então, se antes a estratégia de marketing era despertar um desejo, hoje, o chamado New Retail busca entender os desejos do consumidor e entregar o que ele procura”.

Em entrevista à NOVAREJO, o CEO da Liq contou sobre tendências e insights obtidos durante a visita ao evento realizado em Nova York pela National Retail Federation (NRF). Confira:

NOVAREJO – A interação entre tecnologia e consumidores é uma tendência? Como essa realidade se aplica ao Brasil?
MARCELO CHIANELLO – Não podemos mais falar da experiência do shopper sem pensar em tecnologia. As empresas do futuro serão essencialmente tecnológicas. O que era uma tendência, se tornou uma premissa básica e fundamental para manter uma marca competitiva no mercado. Independente do segmento de atuação, todo relacionamento entre uma empresa e seus consumidores precisa incluir recursos tecnológicos. O superconsumidor, cada vez mais exigente e conectado a tudo o que acontece, busca qualidade e praticidade na interação com as marcas.

NV – O que é o conceito de New Retail? Como ele impacta o varejo no Brasil?
MC – Esse é um tema de bastante interesse da Liq e deve ser de todos aqueles que fazem parte do mercado de varejo. O conceito New Retail surgiu a partir do chinês Jack Ma, criador do Alibaba, que percebeu a possibilidade de inovar no mercado, transformando dados de shoppers em decisões estratégicas para o crescimento dos negócios. Desde então, a China tem se apoiado em dados para se diferenciar de outros players do mercado mundial. Hoje, a melhor forma de entregar uma experiência personalizada, que integre a experiência completa desse cliente, é por meio de dados. Não por acaso, pesquisas do mercado, indicam que, até 2020, 50% das solicitações dos clientes de varejo serão conduzidas, pelo menos parcialmente, por meio de aplicativos de Inteligência Artificial de conversação.

NV – Qual é o papel da tecnologia nesse cenário?
MC – O New Retail se fundamenta na tecnologia e na consolidação do uso de dados dos consumidores. Para que isso seja possível, é preciso investir em ferramentas que permitam a estruturação e a criação de uma rede de inteligência de dados, contando com tecnologia, Business Intelligence e Analytics. No caso do Brasil, esse conceito está começando a se consolidar, mas ainda precisa decolar.

NV – O que o varejo brasileiro pode aprender com as empresas Amazon e Alibaba? Como a NRF tratou o pioneirismo dessas empresas?
MC – Vivemos a era da combinação inteligente do ambiente on-line com o físico, o que chamo de uma experiência ‘fígital’. Um dos pontos mais comentados no evento foi a importância das marcas terem consciência desse cenário e se prepararem. Avançar em uma frente de vendas não significa abrir mão de outro caminho. Por isso vemos companhias que abriram lojas físicas, apesar de terem nascido no ambiente digital, como a Amazon. Essas empresas estão mostrando claramente que precisaram rever as próprias estratégias para se adequar. As lojas físicas ainda desempenham um papel indispensável na jornada do consumidor. No ano passado, 61% dos consumidores brasileiros apontaram que as lojas seguem sendo um canal fundamental para a decisão de compra. Mas o varejo físico precisa se transformar: agora, essas varejistas devem ver suas lojas como centros inteligentes para captura de dados de consumidores.

NV – Como a área de trade & live marketing pode colaborar com a ampliação da qualidade da experiência na loja física, no varejo brasileiro?
MC – As estratégias de Trade & Live Marketing, além de ajudarem a direcionar o melhor processo de execução e potencialização das ações de branding e vendas nos PDVs, também são importantes para gerar oportunidades em que as companhias possam utilizar os dados coletados de diversas formas, obtendo percepções diretamente da vida real, sempre com o objetivo de desenvolver formas e meios de se conectar cada vez mais com o shopper.

NV – O que essa área representa para a Liq hoje?
MC – O compromisso da Liq é atuar com profissionais cada vez mais capacitados na área de Trade & Live Marketing. Para isso, sem dúvidas, precisamos entender cada vez mais de tecnologia. Essa é uma oportunidade única de atuar junto às marcas que precisam se especializar ou aumentar a própria presença em Trade & Live Marketing. Na Liq, tivemos um crescimento de receita de 66%, considerando setembro de 2017 a setembro de 2018. Nós conquistamos também 21 novos clientes, comprovando que nossa estratégia all-line é assertiva.

NV – Quais as principais tendências percebidas pela Liq na NRF 2019?
MC – As principais tendências são a evolução da tecnologia e a oportunidade de análise de dados. A tecnologia está agregando inteligência ao processo de vendas – tanto na loja quanto em todo o serviço prestado. Hoje, o consumidor pode ser chamado até mesmo pelo nome quando entra em uma loja, porque já existe tecnologia para identificá-lo por meio do celular. Outra possibilidade é simplificar o momento de compra, que se torna mais orientado ao shopper.

NV – A tecnologia, então, é o que uma marca precisa para conquistar o consumidor no varejo?
MC – Esse acesso fácil à informação trouxe um novo perfil de consumidor, que é cada vez mais curioso, conectado e que incentiva a troca de experiências sobre produtos ou serviços. Os nativos digitais da geração “Ctrl Z”, por exemplo, estão acostumados a consultar as redes sociais durante seus processos de compra para avaliar o que está sendo dito sobre as empresas. A organização precisa ser multiplataforma, ter um conceito de sustentabilidade e um propósito aderente aos desejos desse novo consumidor, que é cada vez mais empoderado. Além disso, também é preciso oferecer uma experiência personalizada e que agregue valor à compra, ao uso do produto ou serviço e à sua experiência além do negócio. O que não podemos esquecer é que a tecnologia é um meio para alcançar e encantar os clientes. Por isso, só pode ser considerada uma solução inteligente se estiver a serviço dos anseios dos consumidores.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]