Pesquisar
Close this search box.
/
/
Uma análise sobre sentimentos e motivações de consumo no pós-quarentena

Uma análise sobre sentimentos e motivações de consumo no pós-quarentena

“Agora é momento de se unir cultura, marketing e branding”, afirma Christina Carvalho Pinto, Partner & Strategist na Hollun Consultoria

O isolamento social e a quarentena impostos como medida de prevenção à propagação da Covid-19 implicaram em aumentos exponenciais nas buscas sobre depressão e solidão.

É fato: gerações mais jovens e idosos são vítimas diretas da quebra de convívio social, o que acaba tornando o ambiente domiciliar propício ao desenvolvimento de transtornos psicológicos. Sintomas como angústia, ansiedade, euforia e inquietação tornam-se cada vez mais comuns dentro de casa, e o sentimento generalizado de dúvidas e incertezas sobre o futuro acaba por afetar a maneira com que os cidadãos estabelecem suas relações interpessoais, profissionais e, principalmente, de consumo.

É momento de entender melhor como o consumidor se sente e quais são as perspectivas futuras para os padrões de consumo no pós-pandemia. Este tema foi abordado no painel da CONAREC 2020 intitulado “No Divã do Consumidor Pós-Quarentena: Sentimentos e Motivações”, mediado por Christina Carvalho Pinto, Partner & Strategist na Hollun Consultoria e com participação de Fernando Rosa, VP Comercial da Kraft Heinz Brasil; Tati Gracia, diretora de excelência de marketing na Mondelēz Brasil; Marcelo Ferreira, diretor executivo de marketing e vendas Latam da Algar Tech, Paulo Pompílio, diretor de relações corporativas no Grupo Pão de Açúcar e Silvio Silva, diretor comercial na Johnson & Johnson.

Mais empatia

Christina inicia o painel citando um case pessoal de sucesso: enquanto trabalhava com o bombom Sonho de Valsa, elaborou uma campanha pautada em empatia e aludindo a bons sentimentos como o amor e afeto, conseguiu estabelecer uma relação tão poderosa com o consumidor que o chocolate, ao lado de seu complementar Ouro Branco, conquistou 67% de market share após a ação publicitária. E é essa sensação de tratar o consumidor como ser humano – e não simplesmente como um número para incrementar vendas – que permeia o painel da CONAREC.

Fernando Rosa acredita que as companhias de alimentos e bens de consumo conquistaram uma responsabilidade social muito grande momentaneamente: “Tivemos que nos preparar globalmente com protocolos rígidos para continuar trabalhando, e conseguimos nos manter colocando alimentos na mesa do consumidor. E aí ficou a reflexão: por que não seguir esse mindset de excelência e amor no pós-pandemia?”.

O que o consumidor busca

Tati Gracia vê o uso da internet durante momentos de crise não exclusivamente sob o olhar de algoritmos ou dados, mas como algo capaz de unir as pessoas. E aí entra seu trabalho junto à Mondelez: “Os snacks que trabalhamos são capazes de trazer um pouco de aconchego e carinho durante esse momento de dúvidas, estresse e incertezas da pandemia.”

O ponto de vista é confirmado por Paulo Pompílio, do GPA: segundo o diretor, a pandemia estreitou os laços dos consumidores com seus lares, e a comida passou a ser produzida em casa. Com a expansão da cozinha em casa, seja para aprendizado ou aprimoramento de técnicas, houve um crescimento de produtos como óleos, biscoitos e assadeiras tanto nos supermercados quanto nas vendas virtuais: “Crescemos na internet durante a pandemia o que poderíamos ter crescido em até 5 anos. O uso da internet por pessoas acima de 60 anos quintuplicou, e hoje o comércio eletrônico já é realidade deste público. A tecnologia é maravilhosa, mas ela precisa evidenciar as pessoas. O que temos visto no mundo todo é a exclusão das pessoas, e a pandemia nos trouxe essa reflexão de colocar pessoas em primeiro lugar e do quanto somos frágeis”.

No que tange aos bens de consumo, Silvio Silva compartilha sua visão dentro da J&J: “No início da pandemia as categorias de higiene cresceram muito: shampoos, cremes dentais, essas coisas. Num segundo momento, pudemos perceber o aumento das vendas de Tylenol. Já em um terceiro pico, ocorreu um boom da volta da procura por produtos de beleza: mesmo dentro de casa as pessoas queriam estar cheirosas, bem cuidadas. Agora, com a volta gradual às ruas, há o aumento pela procura de itens de proteção solar”.

O papel das marcas

Marcelo Ferreira, da Algar Tech, acredita em uma união simbiótica entre propósito e ação dentro de companhias: “Vivemos em uma bolha: precisamos sair da bolha, começar a olhar para o lado e entender o que acontece longe da gente para que possamos melhorar como seres humanos a cada dia”. Sobre o impacto da pandemia em empresas de bens de consumo, Marcelo acredita que ele foi menos brusco do que aos demais: “Nosso setor de relacionamentos acabou sendo o único canal de comunicação dos clientes com as empresas. Houve, é claro, uma redução no consumo. Porém o setor de serviços não sofreu um impacto tão grande na pandemia”.

O painel terminou com uma reflexão importante, externalizada por Christina Carvalho: “As marcas precisam ajudar: precisam ser protagonistas de um novo momento. Agora é momento de se unir cultura, marketing e branding”.


+ Notícias 

Consumidores em reconexão: o que esperar para o futuro?

Os desafios de liderar uma empresa sem sair de casa

Conectando consumidores e marcas sem sair de casa: os desafios da digitalização

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]