Pesquisar
Close this search box.
/
/
Tire o atrito do caminho que eu quero passar com o meu smartphone

Tire o atrito do caminho que eu quero passar com o meu smartphone

É possível reduzir o atrito das lojas físicas e on-line até que se torne imperceptível? Vale a pena redesenhar a operação para atender às exigências de clientes sempre conectados?

À medida que avança a idade do consumidor sempre conectado e on-line, também aumenta a demanda por mais simplicidade, conectividade e eficiência na experiência de compra. Mark Taylor, diretor da Capgemini Invent, conversou com John Frierson, Presidente da Fred Segal, agência de branding e licenciamento, Ajay Kori, fundador da UrbanStems, scale up de venda de flores on-line, Scott Tannen, CEO da Boil & Branch, a maior marca de artigos de luxo e sustentabilidade para casa, e Stephane Wyper, Vice-Presidente Sênior da Mastercard em um painel na NRF 2019 dedicado a entender como os varejistas e as empresas de tecnologia respondem a essas demandas.

Nesse contexto, é possível criar jornadas otimizadas para os consumidores em canais e dispositivos distintos de modo uniforme? Faz sentido combinar interações físicas e digitais, e permitir os clientes clientes gerenciem o relacionamento com o varejo em seus próprios termos? O varejo está pronto para essa nova mentalidade?

Segundo Mark Taylor, é possível usar a tecnologia para reduzir cada ponto de atrito na jornada do consumidor, mas é necessário compreender melhor o que exatamente é varejo sem atrito? Para Scott Tannen, isso significa eliminar todas as barreiras que possam inibir a conversando de vendas. Frierson, da Fred Segal, que trabalha com diversas marcas, a experiência do cliente não se resume no caminho entre a compra e o pagamento, mas de uma visão mais ampla da transação. No entender de Ajay, varejo sem atrito significa que a compra é divertida e uma experiencia que o cliente queira repetir. As visões desses varejistas não de encontro à concepção defendida pela Mastercard. Stephane, VP da empresa diz que a redução de atrito deve compreender consumidores diferentes em momentos diferentes.

Em comum, os debatedores compreendem que a tecnologia é aliada na identificação dos pontos de dor e na proposição de formas que minimizem esse desconforto. Tannen cita o comportamento do consumidor de games, que leva cerca de 3” para desistir de um jogo que não esteja bem desenhado. A indústria de games é a linha de frente de marcas que nasceram digitais e é importante entender como elas operam no mundo real, em contraposição às marcas varejistas. O modelo adicional de varejo não contemplava os pontos de atrito como importantes, mas agora entende que são decisivos. “Existem varejistas realmente empenhados em criar experiências uniformes entre os canais para os seus clientes”, destaca Stephane.

É fato que vivemos em um mundo conectado e é necessário que as empresas dediquem-se realmente a compreender quem é o cliente. A Bonobos é um negócio que foi criado sob este princípio e continua fiel a ele, buscando entender cada momento da jornada do cliente e procurando reduzir a fricção ao longo de toda a interação. As marcas incumbentes, tradicionais, estão diante de um desafio considerável, que combina essa expectativa do cliente por serviços sem atrito e por startups que já nascem com esse propósito.

A competição torna-se mais agressiva e pensar apenas em vender mais não traz todas as respostas para tornar as empresas mais acessíveis. Será cada vez mais difícil para empresas que não se importem com os pontos de atrito a competirem sem serem esmagadas por startups ou empresas puramente digitais. A beleza do processo evolutivo das marcas nativas digitais é que elas irmão reinventar o conceito de loja física, porque trarão essa busca por fluidez obsessivamente também no ambiente real.

A loja física é parte do storyteling e colabora para transformar cada capítulo em uma nova experiência que traz emoção e atrito mínimo para o cliente. O que significa uma experiencia compensadora para o cliente? Há tecnologia suficiente para um varejista escolher, mas o que realmente importa no processo de redução de atritos é a capacidade de execução, ou seja, a rede varejista tem um arranjo funcional para adotar uma tecnologia que trabalha benefícios tangíveis para o cliente?

Os debates da NRF em geral priorizaram um mandamento básico antes da contratação de qualquer tecnologia: ela realmente colabora para manter e impulsionar a proposta de valor da empresa? Ela trará benefícios perceptíveis para o cliente? Qual é o ponto de dor que precisa ser resolvido? A solução trará novas zonas de atrito rocou fricção? É o melhor sob o ponto de vista do consumidor? Normalmente, as empresas olham para si próprias e ignoram que a tecnologia pode, na verdade até fazer sentido para a operação, mas acabam por criar uma experiência desconfortável para o cliente.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]