Pesquisar
Close this search box.
/
/
Profissionais de tecnologia são os que mais sofrem transtornos psicológicos

Profissionais de tecnologia são os que mais sofrem transtornos psicológicos

Brasil já era o país com a população mais ansiosa da América Latina mesmo antes da pandemia

Uma série de mudanças aconteceu no último ano por causa da pandemia. Para os colaboradores, além da adequação ao home office, houve também a convivência com sintomas diversos, entre eles alguns transtornos psicológicos que se mostraram bastante desafiadores — para algumas profissões mais que outras, vale dizer.

Um levantamento realizado pela Telavita, plataforma online de terapia, evidencia isso: com mais de 20 mil sessões com profissionais de 38 setores, a empresa constatou que colaboradores da área de tecnologia, saúde, comunicação e financeiro foram os que mais procuraram ajuda entre março de 2020 e março de 2021. Eles apresentaram, diz o estudo, uma série de transtornos psicológicos, tais como ansiedade e depressão.

“De forma geral, essa é uma consequência causada pela pandemia. O isolamento social, o medo de ser contaminado, de perder pessoas queridas e a falta de perspectiva de quando a pandemia vai terminar faz com que os níveis de estresse e ansiedade aumentem de forma significativa”, explica Milene Rosenthal, cofundadora, psicóloga e responsável técnica da Telavita. Ela complementa que o home office também influencia nesse aumento. “Um outro fator é que as pessoas estão trabalhando em casa e ao mesmo tempo administrando diversas questões, como por exemplo, a rotina dos filhos que estão estudando em casa. É preciso ter um bom planejamento e organização para que tudo funcione bem e ao mesmo tempo criatividade para absorver a nova rotina que foi compulsoriamente nos apresentada nesse momento.”

Setor de tecnologia lidera na busca por atendimento psicológico

O estudo da Telavita mostra que a área que mais sofreu com transtornos psicológicos na pandemia — e procurou ajuda de profissionais — foi a de tecnologia (18%). Para Milene, esses colaboradores foram fortemente impactados pelas mudanças que a pandemia trouxe, pela demanda de digitalização.

Como a maior parte das empresas precisou atualizar seus processos e passá-los para o meio digital, houve um acréscimo de trabalho sob os profissionais da área. Isso tudo culmina, inevitavelmente, em um acúmulo de pressão.

“A pandemia gerou um aquecimento acelerado no mercado de tecnologia e muitos profissionais viram suas demandas de trabalho aumentarem de forma significativa. Entretanto, quando não se coloca um limite nas atividades profissionais, existe um aumento significativo do estresse que pode levar a um esgotamento mental e emocional, impactando diretamente a produtividade ou até mesmo desenvolvendo um transtorno mental”, completa Milene.

De acordo com a Telavita, os setores de tecnologia, saúde (13%), comunicação (13%) e financeiro (9%) representam mais da metade (53%) dos atendimentos psicológicos realizados por seus serviços. Por estarem abalados pela pandemia, é esperado que os profissionais fiquem mais expostos à transtornos mentais, especialmente à ansiedade.

“Além do pessoal de TI, como são comumente chamados, vemos muitas pessoas do setor de saúde procurando por ajuda em nossa plataforma, devido ao momento trágico que estamos vivendo”, explica Milene.

Para comunicação, há também a pressão das notícias e da correria na redação. Cada vez mais é comum que profissionais da imprensa estejam mais propensos à Síndrome de Bournout, por exemplo, transtorno no qual o paciente se enquadra em um estresse agudo — foi o caso reportado por Izabella Camargo, apresentadora da Globo News.

Já para a área de finanças, o impacto fica diretamente ligado às consequências da pandemia. Economistas e contadores frequentemente lidam com a realidade de milhares de empresários e trabalhadores que se viram em momentos difíceis durante a crise econômica causada pelo vírus.

Brasil: o país que lidera o ranking de transtornos psicológicos

Se o Brasil já era o país com a população mais ansiosa da América Latina e tinha a maior incidência de depressão quatro anos atrás, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), esses números aumentaram ainda mais na pandemia — o que contribuiu para que o país continue, infelizmente, na liderança do ranking.

Um estudo realizado pela Universidade de São Paulo (USP) mostra que 63% dos brasileiros sofrem de ansiedade e 59% têm algum tipo de quadro de depressão. Dessa forma, o Brasil ainda segue na liderança de ambos os transtornos frente ao resto do mundo. O segundo lugar é ocupado pela Irlanda e o terceiro pelos Estados Unidos.

Segundo pesquisa do instituto Ipsos, encomendada pelo Fórum Econômico Mundial, 53% dos brasileiros declararam que a saúde mental piorou no último ano.

 


+ Notícias

Você sabe o que é Permanxiety ou Estado de Ansiedade Permanente?

Dicas para reduzir o estresse e a ansiedade durante a quarentena

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]