Pesquisar
Close this search box.
/
/
Segunda-Feira: entre o escritório e o trabalho remoto

Segunda-Feira: entre o escritório e o trabalho remoto

Divididos entre o trabalho presencial e o home office, alguns trabalhadores podem gostar da mistura entre os dois modelos, enquanto outros têm uma clara preferência por um deles

A preferência por home office ou trabalho presencial depende muitas vezes do tipo de trabalho, das particularidades pessoais e das situações individuais de cada trabalhador. Algumas pessoas podem gostar da mistura entre os dois modelos, enquanto outras têm uma clara preferência por um deles. Nesse cenário, e para notar as opiniões dos trabalhadores sobre a segunda-feira, o B2B Reviews ouviu funcionários e gestores dos modelos híbrido, presencial e remoto para entender como o trabalho no primeiro dia da semana pode afetar todos os outros.

Segunda-feira: no escritório ou remoto?

Entre os trabalhadores que cumprem o regime híbrido, estar no escritório às segundas-feiras não é visto como algo tão agregador. Segundo o estudo, apenas 24% das pessoas que trabalham nesse formato consideram que ir até a empresa renova as energias para a semana. Já entre gestores, o percentual sobe para 38%.

O estudo mostrou ainda, às segundas-feiras, 40% dos funcionários das empresas costumam ir ao escritório. Por outro lado, 60% trabalham remotamente. O percentual muda de acordo com o nível de trabalho. Exemplo disso é que, 36% dos funcionários trabalham no local, enquanto 64% cumprem o regime remoto. Já quanto aos gerentes, essa porcentagem de quem vai ao escritório ou trabalha de casa muda para, respectivamente, 46% e 54%.

Produtividade na quarta-feira, mas na segunda e sexta nem tanto…

As previsões dos trabalhadores em relação aos dias da semana podem variar significativamente de pessoa para pessoa e são influenciadas por uma série de fatores individuais e contextuais. Algumas razões possíveis pelas quais alguns trabalhadores podem preferir ir ao escritório em determinados dias da semana incluem: flexibilidade de horários; ritmo de trabalho; evitar trânsito; rotina pessoal; entre outros.

O estudo do B2B Reviews mostrou que 76% dos trabalhadores híbridos disseram que prefeririam voltar ao escritório em qualquer dia que não fosse segunda-feira. Além disso, existem dias em que os funcionários consideram ser mais produtivos quando vão ao escritório, mas a segunda-feira fica em terceira colocação. Já para 35% dos ouvidos, a terça-feira é um dia propício para produzir no regime presencial.

Dia da semanaFuncionáriosGestoresGeral
Segunda-feira15%19%16%
Terça-feira38%31%35%
Quarta-feira28%30%29%
Quinta-feira12%16%14%
Sexta-feira7%5%6%

Além disso, os trabalhadores têm motivos para considerar ir ao escritório nos demais dias da semana e não terem uma preferência pela segunda-feira. Um dos apontamentos foi o melhor equilíbrio entre vida pessoal e profissional ao longo da semana (43%), bem como consideram ser mais fácil de voltar ao modo de trabalho (42%). Além disso, há quem prefira evitar a correria e o caos das segundas-feiras (34%), enquanto alguns querem alinhar a agenda pessoal ou familiar (31%). Outros afirmam que não ir ao escritório nas segundas-feiras permite uma transição suave do fim de semana (27%).

O conceito da “segunda-feira mínima”

O movimento “bare minimum monday”, ou “segunda-feira mínima” é uma nova onda que tem surgido entre os trabalhadores e nas redes sociais. Em resumo, seria o dia em que profissionais trabalham com esforços reduzidos ao mínimo apenas no primeiro dia útil da semana. Isso pode ser reflexo da insatisfação com o primeiro dia de trabalho após o domingo, como também um reflexo de como os profissionais têm se transformado após a pandemia de Covid-19.

Segundo o estudo, um em cada quatro trabalhadores praticam, atualmente, a “segunda-feira mínima”. Além disso, os funcionários (26%) estão mais aptos a aderirem a prática que os gerentes (22%). Além disso, 21% dos gestores tinham mais probabilidade que os funcionários de começar o dia de trabalho tarde e fazer seus programas favoritos durante o horário de trabalho às segundas-feiras.

Além disso, os colaboradores revelaram suas práticas durante às segundas-feiras mínimas:

  • Começar o dia de trabalho tarde: 75%;
  • Transmitir programas enquanto trabalha: 54%;
  • Descansar mais: 50%;
  • Dedicar tempo aos rituais matinais de autocuidado:  49%;
  • Fazer networking ou construir relacionamentos profissionais: 29%;
  • Exercício: 29%;
  • Trabalhar em tarefas gerenciáveis ​​de segunda-feira: 28%;
  • Acompanhar e-mails e mensagens: 24%;
  • Participar de reuniões de equipe ou departamento: 22%;
  • Planejar e organizar tarefas para a semana: 21%.

Ainda de acordo com o estudo, os trabalhadores híbridos (31%) são mais propensos a praticar o mínimo às segundas-feiras do que os trabalhadores remotos (24%) e presenciais (22%). Além disso, mais de um em cada oito trabalhadores só trabalha até três horas diante de um computador às segundas-feiras. Curiosamente, os que cumprem regime presencial têm duas vezes mais probabilidade de afirmar isso do que os trabalhadores híbridos e remotos combinados.



Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]