Pesquisar
Close this search box.
/
/
Robôs estão prontos para resolver a demanda do consumidor?

Robôs estão prontos para resolver a demanda do consumidor?

Robôs tem sido imprescindíveis no atendimento ao cliente, porém precisar superar desafios importantes. Um deles é o chamado vale da estranheza

Em tempos cada vez mais digitais, existe um bom questionamento sobre o atendimento ao cliente: será que, hoje, toda e qualquer demanda do consumidor poderia ser resolvida em um canal digital automatizado? Ou o ser humano é (e continuará sendo) um elemento imprescindível na resolução de demandas? Seria possível unir os dois?

As perguntas e dúvidas sobre a automação no atendimento se acumulam conforme a sociedade avança para o consumo digital. Alguns desses dilemas foram discutidos no painel “O poder da voz para ampliar a resolutividade das demandas dos clientes”, durante o evento Customer Voice Experience (CVX), uma iniciativa do Grupo Padrão.

Momento da experiência por voz

O fato é que o atendimento puramente humano caminha vem passando um profundo processo de transformação, inclusive este ano.

Uma delas é a recente aprovação do decreto do SAC, norma que existe desde 2008 e foi atualizada este ano. Em linhas gerais, o decreto diminui a obrigatoriedade do atendimento telefônico humano no SAC e prestigia o relacionamento digital.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Outra mudança é comportamental. Um número cada vez maior de pessoas de diferentes idades e classes sociais tem utilizado canais digitais para realizar compras, principalmente a partir da pandemia. Vivemos um dos maiores movimentos de comunicação da história da humanidade.

Não é preciso dizer que esse cenário é desafiador para as empresas. Empresas passaram a adotar robôs no atendimento, mas será que eles são eficientes?

Existem ainda questões relacionadas a confiança de um ser humano para uma máquina. Um robô pode imitar um humano, mas dificilmente vai se comportar como uma pessoa. Existem manias e cacoetes que transformam pessoas em seres únicos neste planeta. É o que alguns cientistas chamam de Vale da Estranheza, uma hipótese no campo da estética, robótica e computação gráfica que diz que quando réplicas humanas se comportam de forma muito parecida — mas não idêntica — a seres humanos reais, provocam repulsa entre observadores humanos.

Agora, imagine um robô falar com milhões de consumidores de uma maneira customizada. É um cenário realmente desafiador.

“Temos 100 milhões de produtos instalados nas casas, e isso tem gerado 4 milhões de contatos por ano. É um cenário desafiador, mas temos usados ferramentas digitais para aprender e antecipar demandas dos nossos consumidores. E elas tem ajudado a companhia”, explica Renato Cerri, consumer care diretor da Whirlpool Corporation.

“O nosso cenário de atendimento é bom um exemplo. Quando olhamos para a América Latina, falamos com 15 milhões de contato ano. Eles nos demandam com temas financeiros, assuntos relacionados as consultoras de vendas. Há ainda um desafio adicional: temos pessoas com dificuldades de ler e escrever. O desafio é como criar uma tecnologia que realmente seja para o consumidor da ponta”, explica Paula Pimenta, diretora de customer care da Natura & Co.

Voz: o caminho para a automação do atendimento?

Voz e automação podem ser os pilares de uma comunicação em massa eficiente e de custo acessível para as empresas no atendimento ao cliente.

Em países como os EUA, por exemplo, esse processo já começou e tem popularizado tecnologias como a Alexa, da Amazon, ou Siri, da Apple.

“40% da população americana já usa assistente de voz uma vez por mês. No Brasil, entre aqueles que possuem esse dispositivo, o uso estaria em 37%”, explica Fernando Moulin, partner da consultoria Sponsorb e professor da ESPM.

Além do assistente de voz, o robô no atendimento está ganhando espaço nos aplicativos de mensagens e chats das empresas. E os primeiros resultados são animadores.

É o que explica Bruno Marinho, CIO do Grupo Services. “Temos um processo customizado de machine learning, que tem um aprendizado constante. Estamos no caminho. Hoje, 50% das nossas transações ocorrem 100% automática, seja via texto ou voz. Além disso, por meio da tecnologia, tivemos um cliente que reduziu a rechamada (nova ligação após queda da primeira ligação) de 14% para 8% pela voz de um robô. Usamos a tecnologia para transformar a experiência daquele cliente”.

Segundo Cerri, o atendimento por voz automatizado está em um estágio embrionário na companhia, principalmente porque a empresa tem respeitado o momento tecnológico do consumidor. Neste momento, a companhia tem estimulado a adesão digital.

“A gente o convida (consumidor) para conversar no digital. Hoje, 30% ainda opta pelo humano na companhia”, afirma o executivo da Whirlpool.

Momento e reflexões

Entre as empresas, a fala é quase unânime: o momento é de adesão digital, o que inclui de consumidores a empresas.

A pandemia foi a ignição de uma massificação digital, mas o fato é que ainda vivemos em um momento inicial de uma era que chamamos de phygital. Que a gente não se iluda: a digitalização do consumidor começou, mas esse é um processo de aprendizado que vai durar um bom tempo, principalmente porque precisamos falar de inclusão digital.

Nas empresas, o processo de digitalização já começou, mas as empresas ainda estão longe de serem chamadas de digitais. “As engrenagens (da tecnologia) estão começando a se encaixar (nas empresas). Existem ainda discussões sobre o que é possível terceirizar do ponto de vista da tecnologia e o que poderia ser internalizado. É um processo”, afirma Bruno, do Grupo Services.

Entre as empresas que lidam diretamente com consumidor, o momento é aprendizado sobre o que realmente funciona e o que pode ser descartado – considerando, claro, as particularidades de cada negócio.

“O importante é experimentar um pouco de tudo, mas sempre mantendo o cuidado quando começar. Precisamos subir rápido no ônibus, mas também desça rápido se necessário.”, afirma Cerri.

“Se eu pudesse voltar, eu não teria investido em ferramentas de áreas de atendimento. O nosso foco é a digitalização, incluindo as ferramentas de core da companhia. Vamos focar na ferramenta que vai levar para outro lugar (no digital). Hoje invisto em bot, analytics voice, ferramentas preventivas. O meu foco é reduzir o volume de contato”, afirma Paula, da Natura.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Artigos

A relação entre as marcas, meu casamento e uma viagem ao Butão

Do encantamento a decepção: atendimento da Grendene mostra despreparo para a era digital  

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]