Pesquisar
Close this search box.
/
/
“Respeito” é a palavra que ditará o melhor caminho para 2018

“Respeito” é a palavra que ditará o melhor caminho para 2018

"Acreditamos que em 2018 o país poderá finalmente reencontrar-se com a estabilidade e o crescimento, com mais oportunidades para todos"

E chegamos ao final deste inesquecível 2017, um ano que começou promissor, quase transformou-se em tragédia e agora parece nos brindar com o final da recessão mais tenebrosa de nossa história. Hora de traçarmos perspectivas para 2018, um ano de eleições que promete, novamente, fortes emoções.

Definitivamente, monotonia não combina com o Brasil. Ciclotimia, instabilidade, incerteza e ansiedade fazem parte do DNA de nosso mundo corporativo. Após esse período recessivo, há sinais promissores no horizonte, a menor taxa de juros da história, inflação baixa e sob controle, teto de gastos, reforma trabalhista em vigor, reforma da previdência caminhando e, fundamentalmente, confiança do consumidor e das empresas em elevação, ainda que discretamente.

Por outro lado, ainda são fortes os motivos de preocupação: a polarização exacerbada pelas redes sociais, o esfacelamento do espírito público, derivado de anos de desmandos e mazelas conjuradas pela união espúria de políticos inconsequentes com certos próceres do setor privado (que em larga medida contribuíram para a recessão), o cansaço do debate político, pautado pela impunidade insolúvel de parlamentares dos mais diversos partidos, o midiatismo que acometeu o poder judiciário; tudo isso consome enorme esforço de cidadãos, contribuintes, consumidores e empresas na busca por um futuro mais auspicioso.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Esses sentimentos contraditórios podem ser dimensionados em um conceito geral que parece ter perdido o sentido ou, na melhor das hipóteses, perdido relevância. Falamos acerca de respeito. É público e notório que o Brasil parece ter perdido o respeito por si mesmo e por seus cidadãos. Muitas das reações exacerbadas que vemos atualmente, sejam de intolerância, sejam de impaciência, sejam de raiva e desespero, guardam relação com o fato de que estamos nos sentindo todos desrespeitados.

Nossos impostos parecem ser pagos a fundo perdido, utilizados para sustentar castas privilegiadas apegadas a “direitos” vitalícios e imutáveis. Nossos votos elegem pessoas sem qualquer pudor ou constrangimento em obter vantagens e “benefícios” por meio de seus mandatos. Nosso trabalho parece ser constantemente desvalorizado. Nossas empresas são escorchadas por um cipoal de regulamentações tresloucadas e esquizofrênicas. Nossos direitos como consumidores são desidratados ou simplesmente ignorados em diferentes dimensões – a questão que envolve os planos de saúde e sua legislação é um exemplo claro.

A palavra que o Brasil tem presa na garganta, muito mais do que “é campeão” (esta felizmente em desuso), é: “respeito”. As pessoas querem ser respeitadas e precisam desesperadamente de referências que sirvam de modelo sobre como é possível ser honesto, digno, responsável, íntegro, inovador.

E por que não conseguimos resgatar esse sentimento tão importante para nosso desenvolvimento como nação, como sociedade e como mercado?

O fato é que a ideia de respeito passa necessariamente pelo desenvolvimento da empatia. É preciso estar ou se sentir na pele do outro a fim de avaliar se nossas atitudes irão causar algum tipo de sensação negativa. Mas quantas instituições estão aptas a interpretar esses sinais de insatisfação nos cidadãos e consumidores?

Este ano, nosso reconhecimento às Empresas que mais Respeitam o Consumidor no Brasil chega à 15ª edição. É espantoso verificar como, via de regra, os direcionadores da ideia pré-concebida de respeito ao consumidor, giram sempre em torno da qualidade, do preço e do atendimento. Mesmo após a chegada e popularização da internet, da digitalização, de novos modelos de negócios, nossa percepção continua ajustada a modelos mentais convencionais. Arriscamos a hipótese de que esta recorrência deve-se ao fato de nossas empresas estarem acostumadas a enxergar consumidores de uma maneira unidimensional, sem relevos, contornos, texturas, independentemente de sua evolução. Enfim, nossas empresas ainda não conceberam plenamente a ideia de se colocar no lugar de seu cliente efetivamente no desenvolvimento de produtos, serviços e, principalmente, de sua estratégia de relacionamento.

Essa mesma provocação poderia ser estendida aos governantes e candidatos nas eleições de 2018. Mesmo a aprovação de medidas duras e imprescindíveis como a Reforma da Previdência ganharia maior credibilidade e aceitação, caso a classe política, em suas atitudes e comportamento, procurasse pensar como cidadãos reais – aqueles que honestamente trabalham em busca de seus objetivos e felicidade – ao invés de se locupletarem em negociatas e em projetos distantes do bem comum.

Apesar desse cenário, ainda é imperativo acreditar no país e na capacidade que temos de escrever certo por linhas tortas e caminhos tortuosos. Acreditamos que em 2018 o país poderá finalmente reencontrar-se com a estabilidade e o crescimento, com mais oportunidades para todos. O primeiro passo para atingirmos esse objetivo é resgatarmos o respeito mútuo entre consumidores e empresas, cidadãos e políticos, presente e futuro.

Feliz Ano Novo.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]