Pesquisar
Close this search box.
/
/
Projeto de lei cria medidas para facilitar vendas multicanal

Projeto de lei cria medidas para facilitar vendas multicanal

Texto promete diminuir o preço do frete, aumentar as vendas no e-commerce em até 25% e acabar com processos burocráticos de tributação de ICMS

Há pouco mais de um ano, a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) começou a discutir, entre seus diretores, ações que poderiam beneficiar o omnichannel no Brasil. Um dos problemas que os executivos perceberam é a tributação de mercadorias nas vendas multicanal.

A cobrança do ICMS é um dos fatores que mais gera dúvida nos varejistas que vendem online. Com a legislação atual, eles precisam pagar o ICMS quando levam uma mercadoria de um CD a uma loja e outra vez quando o produto é entregue ao consumidor.

Ainda que a bitributação seja revertida em crédito para o estabelecimento, o pagamento dobrado gera ineficiência operacional e é considerado um processo burocrático.

As conversas promovidas pela entidade avançaram e chegaram ao Deputado Federal Enrico Misasi (PV), que protocolou um projeto de lei complementar que dispõe sobre a incidência e o creditamento do ICMS nas vendas multicanal em todo território nacional.

Segundo Carlos Alves, diretor de Marketplace da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o projeto vem para descomplicar a tributação do ICMS. “O objetivo é tentar trazer luz a este modelo que tem interpretações diferentes em relação à lei”, afirma.

Veja abaixo os principais pontos do Projeto de Lei Complementar 148/2019, que atualiza a lei nº 87, de 1996:

• Deixa claro o que são vendas multicanal
“(…) a compra e venda não presencial de mercadoria com possibilidade de retirada, troca ou devolução, pelo consumidor final em um estabelecimento físico do vendedor ou de terceiros credenciados”.

• Dá ao consumidor o direito de iniciar o processo de devolução ou troca no mesmo estabelecimento pelo qual retirou

• Deixa claro que qualquer estabelecimento contribuinte do ICMS pode ser habilitado como ponto de coleta de mercadorias
É comum que varejistas online contem com estabelecimentos parceiros para que os consumidores retirem uma compra ou entreguem um produto para devolução ou troca. A prática, porém, passa por uma insegurança jurídica, como explica Flavio Sanches, sócio tributário do CSMV Advogados: “não é proibido, mas gera dúvida. As empresas fazem consultas para verificar se não há problema”.



• Isenta de impostos entrega de produtos a outra pessoa jurídica para simples entrega ao consumidor e movimentação para retorno de produtos que o consumidor queira trocar ou devolver
“A saída de uma mercadoria de uma pessoa jurídica para outra é, invariavelmente, considerada a parte geradora do ICMS. Existe a não cumulatividade – que cria um crédito ao contribuinte por movimentações já tributadas pelo imposto –, mas isso causa ineficiência. Não faz sentido”, explica Sanches.

Foto Unsplash

Mais emprego e menos burocracia

Na justificativa do projeto, o Deputado Enrico Misasi diz que a implementação das modalidades de venda multicanal, como clique e retire e pick up in store “ainda esbarra na atual legislação fiscal, principalmente no que se refere ao ICMS, que envolve mais de um ente federado”.

Em entrevista à NOVAREJO, o Deputado afirma que, se aprovado, o projeto deve gerar menos burocracia e mais emprego, além de aumento de 25% nas vendas online. Confira

NOVAREJO: Por que apresentar o projeto?
Dep. Enrico Misasi: O Projeto de Lei Complementar que trata das vendas multicanal aborda dois pontos muito importantes: menos burocracia e mais emprego. Nosso objetivo é reduzir a burocracia do e-commerce, adequando o Brasil a uma realidade que já existe em outros países. Ganha o consumidor, o comércio e o empreendedor.

NV: O que ouvi de varejistas é que o projeto pode destravar de vez o omnichannel no Brasil. Como, na prática, isso vai acontecer?|
EM: Na prática, todos os comércios poderão se cadastrar para receber as compras realizadas por você na internet. Existem muitos casos em que a compra não pôde ser entregue por motivos de dificuldade de acesso ou limitação da empresa na entrega.

A eficiência na rota de entrega fará com que os preços de frete sejam mais baratos do que nas entregas feitas na porta do consumidor. Com mais brasileiros comprando pela internet, são mais empregos criados a curto prazo. Uma vez que o aumento no consumo tende a criar mais postos de trabalho, tanto no comércio como na indústria.

Todo esse movimento vai incentivar os microempreendedores, já que os estabelecimentos comerciais que se credenciam como pontos de retirada, em sua maioria de micro e pequenos empreendedores, receberão mais fluxo e, por conta disso, incremento em suas vendas.

NV: Caso aprovada, quais serão os impactos econômicos da mudança na lei?
EM: As vendas multicanal são o futuro do comércio. Antes restrito a uma loja física, agora o lojista busca atender o cliente de diversas maneiras. A ideia é chegar até o consumidor por meio de lojas físicas, online, aplicativos e até marketplaces.

Com esse projeto nossa expectativa é aumentar as vendas por e-commerce em 25%, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico – ABComm. É mais emprego e renda para as famílias brasileiras e um incentivo a mais para o empreendedorismo digital.

“Proposta inteligente”

Diogo Lupinari, CEO e cofundador da Wevo, classifica o texto como inteligente porque “tira uma burocracia de um processo comercial de modo a aumentar o consumo”, gerando, inclusive, o aumento da arrecadação à medida que o consumo cresce.

Como uma empresa que trabalha com integração de sistemas, a Wevo está envolvida em projetos que conectam varejo físico e online. Lupinari garante que os varejistas terão menos problemas com burocracia e mais tempo para focar em tecnologia.

Para Carlos Alves, da ABComm, a maior contribuição do projeto é na eficiência operacional. “A grande importância não é a de ampliar o consumo, mas trazer eficiência operacional aos processos no varejo”.

Tramitação 

A proposta foi protocolada na Câmara dos Deputados no dia 26 de junho. O Deputado Paulo Ganime, do NOVO, foi designado relator do texto na Comissão de Finanças e Tributação, a primeira pela qual o projeto deverá passar. Se aprovado, o texto segue para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e então para o plenário da Câmara.

O Deputado Enrico Misasi se disse confiante na aprovação do texto “por se tratar de um projeto que incentiva a nossa economia”.


+ SOBRE O ASSUNTO

O consumidor é omnichannel?
Cinco dicas para implementar uma estratégia omnichannel eficiente
Varejo multicanal lidera ranking das maiores empresas do e-commerce brasileiro


 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]