Pesquisar
Close this search box.
/
/
Omnichannel: É agora ou jamais; não dá mais para ficar em dia com o atraso

Omnichannel: É agora ou jamais; não dá mais para ficar em dia com o atraso

Como você imagina agora sua loja física em cinco anos sob a ótica da tecnologia? O que está fazendo para se adequar aos novos comportamentos do consumidor?

Por Daniel Dias, diretor de E-commerce da consultoria 360 Varejo

A vida do varejista brasileiro definitivamente não está fácil. Crise econômica, queda no faturamento, desconfiança dos mercados, instabilidade política, velhos modelos de negócios que não funcionam mais, projetos engavetados.

Invariavelmente, quando sou chamado para alguma consultoria ou palestra, em um determinado ponto da conversa costumo fazer duas perguntas que, do meu ponto de vista, são muito importantes e acabam causando extremo desconforto na plateia.

A primeira: “como vocês imaginam agora suas lojas físicas em cinco anos sob a ótica da tecnologia? ”. A segunda é: “como vocês estão se preparando agora para o consumo de uma geração que rompe com o tradicional modelo de comportamento de compras? ”.

O ponto aqui não é explicar como funciona o comportamento dessa nova geração, mas sim abordar o comportamento dos varejistas diante da mudança dos padrões atuais de consumo e do desconhecido.

Dificilmente obtenho respostas do tipo: “temos uma pessoa com formação digital dentro da empresa no corpo diretor desenhando estratégias omnichannel para a empresa” ou “já estamos testando novas tecnologias no PDV a fim de ajudar os consumidores mais jovens a comprar, como manequins virtuais, pagamento por proximidade ou vitrines digitais e interativas”.

Infelizmente as respostas não são positivas. Neste momento, o empresário brasileiro ainda está descobrindo o e-commerce e como gerir este difícil canal. Surpreendendo-se ainda com o potencial do mobile, mas principalmente sem orientação de como unir tudo isso dentro de uma estratégia única de marca integrando tecnologia e PDV.

Destaco seis grandes tendências que acredito que formarão a loja do futuro:

1. Emprestando e/ou alugando ao invés de comprar

Do compartilhamento do carro ao file streaming, as pessoas estão consumindo mais e possuindo menos. As lojas de eletrônicos têm visto um aumento acentuado nos programas de aluguel através de aplicativos móveis.

A obsolescência programada de eletrônicos levou os consumidores a se perguntarem por que eles devem pagar pelos mais recentes dispositivos quando estes deverão se tornar ultrapassados dentro de um ano.

Ao emprestar ou alugar itens tecnológicos, as pessoas estão economizando dinheiro e prontas para adquirir um gadget mais atual assim que ele for lançado.

 2. A experiência como principal indicador

O sucesso será medido pela experiência do cliente em qualquer ponto de contato, seja digital ou físico. O faturamento não mede mais sucesso. A loja do futuro não será mensurada pelas vendas por metro quadrado ou vendas por visitante.

Em vez disso, o foco estará na experiência dos clientes: como transitam na loja, onde param, para onde olham. Quantas experiências por metro quadrado a loja oferece ao consumidor?

3. Advogados da marca

Esses substituirão os consumidores comuns. O foco deixará de ser a aquisição de novos clientes e passará ser a consolidação dos atuais, em uma tentativa de transformá-los em discípulos fiéis da marca.

Os advogados da marca são fãs leais que defenderão suas marcas favoritas onde quer que estejam. Esses clientes fiéis são a melhor forma de propaganda de uma empresa. Empoderá-los e fazer sua loja física como o centro para a comunidade em torno da sua marca será necessário.

4. Fortalecimento dos colaboradores do “chão de fábrica”

A loja do futuro não empregará funcionários sem inspiração e com salários baixos. A fim de ser capaz de ajudar de forma adequada e inspirar os clientes, os colaboradores serão capacitados constantemente.

A tecnologia vai ajudar. As melhores lojas já armam seus funcionários com POS móveis, de modo que os membros da equipe possam atender as necessidades dos clientes para o acesso imediato aos dados, dando-lhes informações atualizadas sobre os produtos, níveis de estoque e até fechando a venda.

5. Digitalização do In-store

Clientes modernos estão acostumados a fazer compras online. Cada vez mais, eles exigem que sua experiência na loja física seja tão suave quanto as compras online.

Manequins virtuais, scanners pessoais ligados ao carrinho, vestiários que ajudam a escolher o tamanho da peça são exemplos de tecnologia que podem ajudar o varejista brasileiro a interagir com soluções digitais em suas lojas físicas.

A loja do futuro elevará a digitalização a um outro nível. Transformando vitrines em máquinas de venda automática, por exemplo. As lojas físicas serão tão flexíveis e disponíveis quanto os canais móveis.

6. Personalização

Para o consumidor moderno, um tamanho definitivamente não serve para todos. Os Millennials, em particular, procuram cada vez mais produtos e serviços que são adaptados para os seus gostos e estilos de vida.

Algumas lojas online e físicas já permitem aos consumidores criarem e modificarem produtos usando modelos pessoais. Os varejistas do futuro precisarão assegurar essa possibilidade – certificando-se de que suas cadeias de fornecimento também precisam lidar com a crescente demanda de pedidos personalizados.

O futuro já começou

Por outro lado, as lojas já começaram a transformação para o futuro: de locais apenas para o consumo, elas estão se tornando também centros de entretenimento, cujos os clientes visitam para experimentar a marca.

Nos próximos anos, as lojas também se tornarão pontos de colaboração, onde os consumidores podem se juntar com especialistas para co-criar, projetar, construir e personalizar itens exclusivos.

A experiência de fazer será tão importante como a do produto final. As lojas online e móveis podem ser a causa da morte para varejistas menos plugados. No entanto, para lojas com DNA digital, a chance de sobrevivência e crescimento será maior. Não espere a onda te alcançar. Todos os negócios devem e precisam ser inovadores.

Desta forma, no caminho para o futuro, pense sobre como você pode transformar sua loja para atender as novas demandas usando criatividade e o desejo de proporcionar experiências deliciosas e surpreendentes para os clientes omnichannel.

Enfim. É agora ou jamais. Não dá mais para ficar em dia com o atraso.

A tecnologia que pode transformar a logística e, consequentemente, a experiência
Governo anuncia financiamento da folha de pagamento de PMEs

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]