Pesquisar
Close this search box.
/
/
O varejo camaleão: como se adaptar aos millennials

O varejo camaleão: como se adaptar aos millennials

Como vender para esse público? É preciso entender a fundo o comportamento dessa nova geração

A frase do economista, Carlos Hilsdorf: o novo consumidor está em busca de empresas com crenças e valores com os quais ele se identifica, reflete bem o perfil, o comportamento e a decisão de compra da nova geração responsável pela reformulação do posicionamento dos grandes varejistas mundiais, os ?Millennials?. Nessa época de crise, faz-se necessário refletir e entender os sinais dos novos tempos, uma vez que o consumidor manda mais do que nunca. 

Esse foi o mote principal da maior feira de varejo mundial, a NRF Retail?s Big Show 2016. O questionamento central foi: como vender para esse público? E, para responder a essa pergunta, é preciso entender a fundo o comportamento dessa nova geração.

Se no passado, tínhamos tribos definidas, como surfistas, roqueiros e patricinhas, nos Millennials não há uma determinação tão precisa. Formada essencialmente (mas não obrigatoriamente) por jovens e adultos, nascidos entre as décadas de 80 a 2000, o que impera é justamente isso, o ecletismo e a ânsia por qualidade de vida, sendo essa premissa até mais importante do que ganhar dinheiro.

A internet, até por ter ganhado propulsão nesse período, é a ferramenta influenciadora direta em seu poder de decisão. Segundo números transmitidos durante o evento, 83% utiliza o smartphone para efetuar suas compras, sendo que 47% têm as redes sociais como o principal canal para aquisição de produtos.

Muito embora seu perfil pessoal seja carregado de traços narcisistas e com pré-disposição a se alienar e se fechar numa conexão estritamente online (por estarem o tempo todo conectados), seu comportamento é diferente diante à sociedade, apresentando uma preocupação em adotar boas práticas sustentáveis e colaborativas, sempre pensando nos impactos de suas ações diante à coletividade. Tais características foram apontadas nos números da NRF, na qual de três a quatro jovens se dispõem a pagar mais em um produto possuir um selo sustentável, por exemplo.

Tendo o conhecimento dessa mudança de perfil e de comportamento do público consumidor, resta ao varejista brasileiro sensibilizar-se e adaptar-se diante a essas novas características, como um camaleão, se quiser sobreviver.

Uma maneira efetiva é trabalhar estrategicamente o Big Data, retirando dele informações importantes como: faixa etária do público que está comprando na loja online ou pelo app da rede; quais produtos mais vendem por esses canais; se as vendas são estimuladas por campanhas de marketing digital; entre outras, sempre procurando cruzar as informações, para, assim, customizar a entrega, adaptar o modelo de negócio, deixando claro o propósito e cultura da empresa, estimulando ações positivas e, consequentemente, o engajamento.

Outro fator fundamental nos tempos atuais é adotar o modelo de zero atrito, ou seja, facilitar a vida do consumidor, oferecendo um atendimento rápido e efetivo sem nenhum tipo de estresse antes, durante e depois da compra, em todos os canais e em todos pontos de interação com ele, seja on-line ou off-line.

Também é preciso mudar o pensamento regrado dos varejistas de adotar grandes lojas, como premissa de fornecer uma boa experiência de consumo. Na geração atual é preciso repensar o tamanho, deixando-a mais compacta, mas não menos efetiva, encantando os consumidores com produtos personalizados, exclusivos ou customizáveis, uma vez que essa geração ser é conhecida como ME, ME, ME, ou seja, o mesmo que dizer: primeiro eu, segundo eu, terceiro eu. Como exemplo, é possível citar a marca Ray Ban, que possibilita a customização total de seus produtos, com o posterior envio de fotos dos clientes para publicação nas redes sociais. Tudo isso gera o engajamento.

O varejista também pode oferecer a digitalização da loja, por exemplo, com vitrines interativas, prateleiras inteligentes que destacam produtos que tenham relevância ou sinergia, check-out simplificado em smartphones etc, sendo ela uma extensão do seu site e da loja online, oferecendo uma rede inteligente, ágil, de experimentação e que proporcione uma experiência única com a marca.

Segundo os dados da NRF 40% das vendas do varejo são online. Entretanto, isso não quer dizer que a loja física vá morrer. Como exemplo, temos os Estados Unidos, que de 2010 a 2014 apresentou a diminuição de 52% do fluxo nas lojas em contrapartida obteve 15% de aumento em suas vendas, caso das redes Best Buy, Wall Mart e Magazine Luiza, que diminuíram suas lojas para investir maciçamente na internet. Desta forma, é preciso justificar e atrair a visita desse consumidor com uma relação híbrida entre loja física e virtual, já que 75% das transações do varejo envolvem essa correlação entre os canais.

É importante frisar, porém, que a inovação no varejo não se restringe somente à utilização de novas tecnologias, mas sim em acompanhar e antecipar as novas tendências. Tendo em mãos essas informações, será crucial planejar e colocar em prática as novas práticas dentro de cada negócio, sempre de maneira estratégica e coordenada, sem deixar de lado o acompanhamento e mensuração dessas iniciativas, sejam elas voltadas para o os ambientes físico e/ou virtual. Adaptação, portanto, é o caminho para se atingir bons resultados e estar em conformidade com o meio à sua volta é indispensável para realizar as ações efetivas em prol de um relacionamento sustentável e visando o longo prazo.

*Angelina Stockler é sócia-diretora da consultoria ba}Stockler

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]