Pesquisar
Close this search box.
/
/
O som que inova, surpreende e conquista o consumidor

O som que inova, surpreende e conquista o consumidor

O som ressurge poderoso como a nova fronteira da inovação e do engajamento dos clientes. Como isso aconteceu e quais as oportunidades dessa nova tendência? Confira o que o SXSW trouxe sobre isso

“Alexa”. “Siri”. “Google”. Não importa o assistente de voz que você chame, todos eles apontam para o fato de que uma paisagem antes dominada por mídia visual e vídeo agora está sendo rapidamente interrompida por um mundo de voz, alimentado por áudio. O som retorna triunfante, uma tendência imprevista há 3 ou 4 anos. Agora, não se trata apenas de entender a mudança de comportamento e como a tecnologia está ajudando a impulsioná-la, é decisivo saber como a criatividade realmente atinge e impacta as pessoas nessa nova realidade.

Ted Florea, da Forsman & Bodenfors; Lauren Nagel, da Pandora Music; Jessica Peltz-Zatulove, do fundo MDC Partners e Scott Simonelli, da Veritonic Inc. durante o SXSW

Qual é a voz mais poderosa para contar uma história de marca quando o público se distrai das telas dos dispositivos por até 61% do tempo? O SXSW reuniu Ted Florea, membro global do conselho e estrategista da Forsman & Bodenfors, Lauren Nagel, vice-presidente, diretora de criação da Pandora Music, Jessica Peltz-Zatulove, sócia do fundo MDC Partners e Scott Simonelli, CEO da Veritonic Inc. para explicarem esse ressurgimento do som como ferramenta de relacionamento, comunicação, venda, e muito mais. Afinal de contas, por que todas as marcas e empresas precisam agora de uma estratégia de áudio, e o que isso significa para o futuro das empresas, da criatividade e da mídia?

As empresas são obcecadas pela imagem e pelo poder do visual, e muitas vezes – muitas mesmo – desconsideram o poder do som. Mas quem não sente pressão ou medo ao ouvir apenas dois acordes do tema de Jaws, grande filme de Steven Spielberg? O som pode despertar emoções, familiaridade e intimidade em níveis dificilmente igualáveis pelas imagens, e conseguem atender e responder às demandas do pós-consumidor e seu comportamento volátil. É fato que há uma revolução no consumo de áudio, baseadas nos streamings de áudio – Pandora, Spotify, Deezer, Apple Music – e agora com o uso de caixas de som e assistentes de voz chegando às residências. Nos EUA, as buscas por voz já respondem por 25% do total, 50% entre os mais jovens e enquanto isso, as empresas perdem muito tempo pensando em aspectos de identidade visual e esquecem o poder da identidade sonora para caracterizar e personalizar marcas (pense na assinatura musical da Intel).

O som das marcas

Segundo Scott Simonelli, é imprescindível que cada marca tenha um posicionamento sonoro, que ajudará inclusive a trazer distinção para a identidade visual. O som é capaz de provocar um recall muito poderoso por décadas, porque é instintivo, é o segundo sentido que desenvolvemos e fazemos isso ainda antes de nascermos, na barriga das mamães. O som é uma conexão da natureza, fisiológica e que evocam sensações temporais e seculares. Lauren Nagel da Pandora fala em sons de pássaros, que estão sempre associados à segurança e tranquilidade. Logicamente, um som pode trazer sentimentos muito positivos para as marcas. Mas quantas empresas preocupam-se em desenvolver assinaturas sonoras personalizadas? Quando vemos o trabalho de gênios como John Williams, Hans Zimmerman, Henry Mancini, que criaram obras-primas no cinema que trazem filmes inteiros para a memória apenas em poucos segundos de audição de suas trilhas originais, percebemos a universalidade da linguagem musical.

O som então é o novo salto criativo para o futuro próximo? Florea questiona se as marcas querem realmente trazer um enredo, construir uma história com uma moral aderente, se querem ser “sentidas”. Músicas e sons podem levar pessoas a sentirem certos sentimentos, sensações e também gerar uma profusão de dados importantíssimos para elevar a qualidade do diálogo com os consumidores. Os serviços de streaming podem acumular dados sobre as preferências musicais de seus consumidores que indicam muito de sua personalidade e de como se sentem dia após dia.

O que o som mostra

A afinidade das pessoas com o som, com as músicas, a ressurreição dos podcasts permitem oferecer métricas notáveis sobre o estado de espírito das pessoas. Os serviços de streaming não olham para o engajamento dos clientes baseados em cliques, mas sim em termos de reações, sensações e sentimentos baseados na reação à publicidade sonora. Não por acaso, o comércio por voz já é estimado com potencial de US$ 80 bilhões este ano, e evidentemente, força as marcas a criar uma estratégia sonora baseada em experiência de voz. A força dos BOTs para criar um ativo valioso para a marca é fundamental para criar uma sensação de envolvimento com o cliente. Qual é o som da sua marca e qual a voz que a pode representar?

Simonelli diz que a resposta emocional à voz e ao som é espantosa, tremendamente influente. “Ter uma voz que represente sua empresa é fantástico”, afirma. Sendo assim, a busca por assinaturas de voz, por vozes que caracterizam marcas é essencial, a definição por uma voz mais feminina ou mais masculina representam sentimentos e contextos diferentes. Nagel afirma que a voz não pode ser pensada como representação de gênero, mas sim como espectros, para atender a diversidade da audiência, se for o caso da sua marca. É aconselhável até mesmo que as empresas adotem vozes com imperfeições, sotaques e características mais humanas.

Dispositivos de áudio

Será que teremos dispositivos auditivos tão ambiciosos quanto o fracassado Google Glass? O som é menos invasivo da privacidade e as inovações nos fones de ouvido ganharam tração nos últimos anos. Por outro lado, os assistentes virtuais já assumem esse espaço de dispositivos pessoais baseados em voz. Segundo Lauren e Simonelli, Alexa está ganhando terreno e provavelmente será a plataforma dominante nas residências e automóveis para se comunicar com as pessoas em tarefas cotidianas.

De tantas e tão profundas mudanças que estão afetando nossas vidas e nossa atividade profissional, a ressurreição do som como instrumento eficaz e poderoso de diálogo merece muita atenção. O que o som pode trazer em termos de proximidade, calor, envolvimento é único e distinto. Nada melhor para empresas que querem dar o que falar.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]