Pesquisar
Close this search box.
/
/
O que fazer enquanto o Pronampe espera a aprovação

O que fazer enquanto o Pronampe espera a aprovação

Perspectiva de melhora econômica já possibilita tomada de crédito em linhas atraentes, aponta executivo

Ainda que a pandemia tenha influenciado setores da economia e sociedade de maneiras distintas, é correto dizer que o varejo no geral tem enfrentado maus tempos. E ainda que tanto o setor quanto a economia brasileira tenham apresentado melhora a partir da segunda quinzena de abril, milhares de empresárias e empresários em todo o País acumulam dívidas, perdem funcionários, pedem recuperação judicial ou veem seus negócios irem à falência. E claro, há os que tiveram alguma conjuntura favorável e estão de vento em popa. De qualquer forma, há uma grande expectativa sobre a definição do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

Nesta terça-feira (11), o Senado se reúne para discutir se o Pronampe se tornará permanente, já que a proposta estará na pauta do dia. Na semana passada, a Câmara dos Deputados aprovou o requerimento de urgência para o projeto de lei que torna o programa definitivo passasse à frente de outras votações a qualquer momento. Na ocasião, a Câmara fez alterações na proposição do texto enviado pelo plenário do Senado em março — e, por isso, o projeto retorna agora aos senadores para análise final.

Programa do Governo Federal destinado ao desenvolvimento e ao fortalecimento de pequenos negócios, o Pronampe foi criado como sistema de crédito emergencial para a pandemia no ano passado. Dada a situação crítica das PMEs e do varejo ao longo dos quatro primeiros meses de 2021 por conta da alta de contaminação e atrasos nas vacinas, setores da sociedade esperam a possível liberação do programa.

Ainda assim, não está claro se o programa se tornará política oficial de crédito e nem se as condições serão as mesmas da primeira liberação — tampouco se determinados setores terão mais ou menos benefícios e etc.

“Há várias discussões, mas o governo ainda precisa definir a origem do recurso, decidir se vai destinar recurso para algum setor específico ou não. O governo precisa ter as direções orçamentárias, e leva tempo para se definir o regulamento, definir ajustes de taxas e outras coisas”, explica o diretor de produtos para pessoa jurídica do varejo do Itaú Unibanco, André Daré.

Então, o que fazer enquanto o Pronampe aguarda aprovação e o que fazer se ele voltar?

Disponibilidade de crédito

Para responder à pergunta, primeiramente vale reforçar a perspectiva econômica para o momento. “O que observamos foi que, com o aumento de casos e a vacina não ter decolado, houve um arrefecimento na primeira quinzena de abril. Mas agora a gente vê uma recuperação ainda no mês de abril com a volta dos negócios e as vendas retomando. Imaginamos que em maio e junho haverá uma melhora conforme casos caem e as vacinas aumentam. O segundo semestre deve ser bem mais promissor e tender a um retorno a condições mais normais de temperatura e pressão”, prevê Daré.

Sendo a expectativa mais favorável ao avanço da economia, a disponibilidade de crédito deve chegar ou pelo Pronampe ou por outros produtos que bancos já ofertam ou venham a oferecer.

“O crédito é bem abrangente. Se [o Pronampe] for editado como na primeira vez, há a questão do faturamento para focar nas PMEs. É importante que elas não tenham atrasos em bancos”, observa o executivo. “E não é porque a taxa é atraente que o cliente precisa tomar o crédito. Mas se ele já tiver bastante crédito tomado no cheque especial, é claro que vale. Mas o importante é que a empresária ou empresário esteja consciente e avalie a condição cautelosamente para não aumentar a dívida. É preciso fazer um plano financeiro cuidadoso, verificar o valor das parcelas. Há empresas querendo fazer investimento, renovar o estoque. É preciso olhar para cada situação”, comenta Daré.

É preciso esperar?

O diretor do Itaú frisa que quem já se preparou e precisa tirar o plano do papel pode muito bem olhar para os produtos de crédito já disponíveis no mercado. “Cada banco tem sua regra de crédito, mas, basicamente, o que a gente recomenda é que o negócio esteja apto a tomar essas linhas de crédito e não tenha atrasos em bancos”, reforça Daré.

“Mesmo enquanto as linhas [do Pronampe] não estão disponíveis é possível adquirir linhas atraentes. A empresária ou empresário que tiver um imóvel pode colocar como garantia e conseguir taxas melhores”, exemplifica o diretor. “Há planos de renegociação de dívida e planos de carência para postergar primeiras parcelas que podem chegar a 90% delas”, esclarece Daré.

O diretor lembra que os investimentos dos bancos em tecnologia têm agilizado a tomada de crédito e melhorado a segurança do empresariado desde o ano passado, e que são convenientes para o momento e adiante. “Essas linhas de crédito mais baratas estão disponíveis em canais de atendimento que o cliente pode simular ou conferir créditos pré-aprovados no próprio aplicativo, sem ter que ir à agência negociar.”

 


+ Notícias

Social Selling: fortaleça as vendas online através do vendedor

Varejo tende a modelo de negócios mais leve e mais digital

 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]