Pesquisar
Close this search box.
/
/
O que é Neurose da Excelência e como ela impacta a sua saúde mental?

O que é Neurose da Excelência e como ela impacta a sua saúde mental?

Acreditar que precisamos performar em alto nível o tempo todo pode paralisar e causar danos à saúde mental. Saiba mais sobre o tema

Se você anda com a impressão de que, ultimamente, tudo virou uma competição na vida, talvez não esteja sozinho. Nesse campo de batalha ampliado pelas imagens das redes sociais, as pessoas no entorno parecem ser… as melhores em tudo. Culturalmente, também somos criados para acreditar que devemos imprimir performances incríveis em todas as áreas, com bem pouca tolerância para falhas, erros ou mudanças de rota – o que, convenhamos, é impossível. E isso tem impactado a saúde mental das pessoas.

“A Neurose de Excelência é um conceito que diz respeito a sensação que todos nós acabamos desenvolvendo de que precisamos ser excelentes em tudo, na vida como um todo e, especialmente, na área do trabalho. É como se a gente sentisse que tem que ter uma performance de atleta de alto desempenho o tempo inteiro, durante toda a vida”, explica a psicóloga Renata Paparelli, professora do curso de Psicologia da PUC de São Paulo na área de saúde mental relacionada ao trabalho, além de coordenadora da Clínica do Trabalho, serviço oferecido pela PUC e que atende trabalhadores com sofrimento psíquico relacionado à vida profissional.

Para saber mais sobre esse tema, que começou a ser detectado com mais constância com a chegada da pandemia de Covid-19 e os questionamentos acerca de saúde mental, fizemos uma lista com quatro conceitos-chave para entender esse tema e ficar de olho para não alimentar essa sensação de super-herói ou heroína.

Neurose de Excelência vs. Trabalho

“Eu trago essa reflexão a partir do livro “Desgaste Mental no Trabalho – O Direito de Ser Dono de Si Mesmo”, da professora Edith Seligmann Silva. A Neurose de Excelência tem muito a ver com as novas formas de organização do trabalho, que acabam exigindo que cada um vá muito além dos seus próprios limites subjetivos para dar conta de demandas e exigências muitas vezes excessivas ou até abusivas”, explica a psicóloga. Renata dá como exemplo a existência de metas que podem ser abusivas, entregas que ao mesmo tempo pedem alta quantidade e alta qualidade num exíguo tempo de execução. “Muitas vezes são missões impossíveis, mas que acabam sendo vistas pelos profissionais como algo de que é preciso dar conta. Caso contrário, é uma incompetência pessoal”, afirma.

Impactos no desempenho profissional vs. Covid-19

“A pandemia tem um impacto bastante complicado no que diz respeito à Neurose de Excelência. Ela  aumenta por conta de as pessoas estarem, em primeiro lugar, se sentindo muito vulneráveis em relação a seus empregos e formas de geração de renda. Isso em si já aumenta a tensão”, conta Renata. “Também ressalto que o fato de as pessoas ficarem em casa, fazendo trabalhos remotos, abre espaços para certas ‘fantasias’, como ‘o outro está produzindo mais do que eu, então eu preciso acelerar…’, ou ainda ‘preciso produzir mais’. Isso pode ficar sem limite”, explica a especialista, com mais detalhes. Para ela, só o fato de esperar ter o mesmo desempenho profissional em tempos de pandemia já é um problema para o bem-estar das pessoas.

Cultura da alta performance vs. Saúde mental

De acordo com Renata Paparelli, não se pode perder de vista que a Neurose de Excelência, ou seja, essa preocupação excessiva em performar ao máximo, é também algo incentivado culturalmente em nosso mercado de trabalho atual – ao menos até a chegada da pandemia de Covid-19. “É uma exigência que acabou sendo ‘comprada’ por quem trabalha na medida em que, primeiro, você não tem muita saída dessa cultura, pelo menos individualmente. E em segundo lugar, a pessoa acaba sendo criada alinhada a essa ideia de que é preciso produzir muito, que trabalho é saúde, que as demandas de trabalho são sempre razoáveis e devem ser atendidas”, reforça ela.

Como evitar a Neurose de Excelência

Para a especialista em saúde mental, é importante conhecer esse termo para encontrar saídas para o mundo do trabalho. “Grupos e espaços de compartilhamento de experiências e reflexão podem ser uma alternativa, uma saída para que as pessoas possam perceber que não são só elas que vivem isso – em uma mesma empresa, por exemplo – porque essas experiências costumam se dar muito no campo do individual. Então perceber que não sou só eu, que é algo que vai além, é coletivo, que o outro também está preso nesta mesma teia organizacional”, explica a psicóloga. Como muitos médicos da área, Renata Paparelli reforça que apoio em rede é essencial no cuidado com problemas que atingem a mente: “Sugiro redes de reflexão até para avaliar e se opor a exigências extremas. É difícil, mas só em coletivo a gente consegue fazer algo diferente”, conclui.


+ NOTÍCIAS

Como o mindfulness pode auxiliar nos processos de adaptação

Como a pandemia transformou o comportamento emocional e instintivo do consumidor

A importância do silêncio para a sua saúde mental


 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]