Pesquisar
Close this search box.
/
/
O modelo de negócio da sua empresa está fora de moda

O modelo de negócio da sua empresa está fora de moda

A onda digital afeta todas as empresas - para o bem ou para o mal. Entenda porque sua empresa não está livre dessa transformação

Dubai (Emirados Árabes) E então, do tijolo e cimento fez-se o bit. E do bit, todo um novo estilo de vida surgiu e mudou todos os negócios da face da terra. O poder do digital consome empresas e desmoraliza modelos de negócio. Com o varejo não poderia ser diferente. E mal o setor tomou consciência de que há um novo padrão de transação e de jeito de se fazer negócios se estabelecendo, o futuro já chega atropelando.
O World Retail Congress 2017 enfocou essa questão sob diversos ângulos. Em todos eles, vemos as lideranças do varejo conformadas com esse “tsunami”que arrasta empresas, marcas e lojas sem muito controle. O painel “O novo paradigma – nós devemos mudar nossos modelos de negócio ou mais do que isso” sintetizou essas angústias do varejo diante do que é desconhecido ou minimamente conhecido. O painel adotou o formato de Q&A (Pergunta e Resposta), entre Norman Jaskolka, presidente do ALDO Group International e Nilesh Ved, Chairman do Apparel Group.
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

As 4 forças transformadoras

“A primeira grande mudança é o empoderamento do consumidor. Não é mais o varejo que propõe a oferta. É a vontade do consumidor que condiciona a oferta. A segunda mudança é o aumento exponencial do tráfego on-line. A terceira é a conectividade em nível global, que condiciona comportamentos e atitudes em um nível impensável. A quarta tendência é o acesso universal das empresas, antes intermediárias, como as indústrias, ao consumidor. Tudo isso muda completamente o modo de fazer negócios no varejo”, diz o presidente do ALDO Group.
Norman Jaskolka provoca uma reflexão aguda, ao afirmar taxativamente que os custos serão cada vez maiores para os varejistas, e num ambiente em que os preços são forçados para baixo, pelo aumento da competição, da erosão das margens das grandes marcas e pelo empoderamento do consumidor. “Nao há mais espaço para aumentar preços como forma de melhorar margens”, diz. A alternativa acaba sendo cobrar do fornecedor pela exposição e por parte da receita obtida pela venda. O varejo puramente físico não faz sentido. Está fora de moda.

Lucros em queda

Ved, do Apparel Group, questiona se há possibilidade de aumentar os lucros nesse cenário. Jaskolka diz que o meio de sobreviver é conectar os varejistas pequenos, puramente off line, para que funcionem como fornecedores de outros varejistas on-line. O tráfego para as lojas cairá e tornará pequenos negócios simplesmente inviáveis.
“As marcas não serão mais definidas pela sua força. É o olhar para a cadeia de valor deve ser cuidadoso, para identificar onde está o valor. Imagine a situação das franquias. Como viabilizar esse modelo em um mundo onde a queda de tráfego é inevitável. O modelo terá de contemplar ações e tráfego on-line, para que as franquias possam desenvolver capacidade de fazer dinheiro em outro canal. O franqueador vai precisar aprender como encorpar o negócio tendo em vista a presença on-line”.
O executivo do ALDO Group diz que a definição de varejo é uma combinação de on e off line capacitada por tecnologia. Marca sozinha não será atrativa para os consumidores. Os varejistas e seus parceiros terão que redefinir os termos das parcerias. “A mudança é inevitável. Ou o varejo muda, os fornecedores mudam junto ou serão mudados”, conclui Jaskolka.

O caso Adidas

Um exemplo dessa visão de Norman Jaskolka, basicamente a aproximação da indústria com o consumidor, é o case da Adidas.
Neelendra Singh, vice-presidente Global de Varejo e Franchising da Adidas fez uma apresentação enfocando o desafio de se proporcionar uma excelente experiência para o cliente em escala global. “Nadia Comanecci, nas Olimpíadas de 1976, conseguiu um 10 perfeito. Não 1, mas 3.  O seu 10, nos Jogos do Brasil, não seriam um 7.” Esse é um exemplo de como tudo evolui e nossa exigência aumenta. O perfeito no passado não é o bom de hoje.
O comportamento do consumidor mudou e assim será para sempre. É multicanal, multidevice, sua jornada não começa ou termina na loja ou no site. Por isso, a marca Adidas redesenhou sua estratégia, incorporando o local onde as pessoas vivem, as cidades e a velocidade em uma plataforma aberta.

Global, cidade a cidade

“O consumidor urbano é o coração do negócio da Adidas. Ele compra, vive e realiza sonhos nas cidades. A riqueza é criada nas cidades e é onde podemos compreender como o consumidor vive, compra, come e pratica esportes”, afirmou o executivo da marca. Por isso, a empresa colocou no topo da pirâmide de sua abordagem do cliente novas Flagship stores. Assim, o investimento global da marca concentra-se numa perspectiva de compreensão das cidades. Ou seja, ela não se baseia em “países”, mas na cultura mais local de cada centro urbano. Assim, a Adidas consegue ser onipresente para seus consumidores.
A eficiência da operação, para a Adidas, é pensada juntamente com a experiência do cliente. Essa experiência é um pivô do aumento da eficiência. RFID, aplicativos para gerenciar o inventário, diluir as diferenças da oferta on-line e das lojas físicas – tudo é pensado para assegurar que uma venda jamais seja perdida por ruptura, o objetivo da estratégia.
“Conectar, engajar, inspirar” são os princípios de um serviço excelente para o consumidor, conforme explicou Singh. Os vendedores em geral são Millennials. Então sua espontaneidade é preservada para justamente permitir identificação imediata com o consumidor da marca, obviamente também Millennial.
A Adidas trabalha para manter a força da marca, preservar e gerar mais valor, combatendo a erosão dos preços derivada da competição dura. Sua abordagem baseada em atuar mais localmente, procurando compreender a dinâmica dos consumidores e o cross content on e off line, com velocidade é uma resposta a um cenário de mudança. Ela mudou antes que seja modificada ou considerada obsoleta pelas forças transformadoras.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]