Pesquisar
Close this search box.
/
/
O futuro do varejo físico em um mundo pós-digital

O futuro do varejo físico em um mundo pós-digital

Qual o futuro do varejo físico em um mundo pós-digital? Executivos de grandes redes internacionais apresentam caminhos no SXSW 2018

Mais de 8 mil lojas foram fechadas nos EUA em 2017 (o número, no Brasil, infelizmente foi maior) e a tendência não apresenta sinal de reversão por lá. Qual é a causa das lojas convencionais perderem valor para os consumidores? Há futuro para elas? E como será? O desafio é portentoso, na medida em que a loja física passa a ser um local de exercício de escolhas e de extensões de contextos de marca.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

Para debater o futuro da loja física, o SXSW, o maior evento de inovação, comportamento, tecnologia e cultura do mundo, que ocorre em Austin (EUA), reuniu Jaime Bettencourt, Vice-Presidente Sênior de Desenvolvimento de Negócios da Mood Media; Christiana DiMattesa, Diretora de Marketing de Varejo da Under Armour; Megan Kohut, Vice-Presidente de e-commerce da joalheria Kendra Scott e Joe Pine, co-fundador da Strategic Horizons.

Eles debateram justamente essa mudança nos padrões que caracterizam o varejo físico, de canais de distribuição de produtos para centros de experiências. Como mediador, um dos maiores especialistas em disrupção de consumo, o americano Joe Pine.

As pessoas não precisam ir às lojas, elas precisam querer ir? E por que têm de querer ir? Muito provavelmente porque buscam experiências. A economia de hoje é baseada em serviços, e isso faz com que as pessoas estejam interessas em três fatores: preço, preço, preço. Mas quantos varejistas estão dispostos a tornar seu negócio voltado para serviços? Varejo por si só é uma corrida sem freios para a customização.

Leia também
3 Fatores que devem desenhar o varejo do futuro

O que o cliente compra hoje em dia?

“As pessoas querem usar muito bem o seu tempo e isso precisa ser entendido por todas as empresas do mundo”, destaca Joe Pine. Ele afirma que a competição é global, e é pelo tempo, pela atenção escassa e pelo dinheiro consumível. A experiência é o marketing por si só de agora. “Lojas que não ofereçam experiências são inúteis, simplesmente”, provoca o especialista.

O varejo está no limiar de repensar pelo que ele cobra: e para cobrar mais, precisa oferecer mais do que produtos, do que serviços. Ele precisa oferecer experiências. E quando olhamos para o varejo brasileiro, tão espremido pelas dificuldades econômicas do país, e agora por consumidores que se enquadram nesse modelo, vemos um quadro realmente desafiador.

Entretenimento experiencial

A Under Armour parece ter entendido o recado de Joe Pine e vem progressivamente transformando suas lojas em grandes centros de entretenimento baseado em esporte. Shows, aulas, dinâmicas, workshops e toda sorte de eventos são realizados nas lojas para mobilizar comunidades e gerar motivação para que consumidores dirijam-se às lojas. Christina DiMattesa diz que as lojas estão trabalhando diariamente para encontrar formas de se conectar com seus consumidores. “Quem é a comunidade, como se comporta, quais são os seus desejos. Tudo isso ajuda a criar formas de se conectar com as pessoas”, defende a executiva.

Kohout também defende a mesma linha de atuação, de aproximação com a comunidade, da criação de histórias que criem vínculos das lojas com seu entorno. Pine diz que é imprescindível fazer com que as pessoas experimentem e vivenciem produtos antes de comprá-los. E depois da conversão, a conversa e as conexões continuam. É necessário acentuar conexões emocionais e humanas para criar vantagens competitivas reais e permanentes. Caso contrário, tudo o que os varejistas terão serão caçadores de ofertas.

Leia também 
O varejo everywhere na era do consumidor ultra exigente

Um novo status para os colaboradores

A rede Kendra Scott trabalha intensamente com consumidores embaixadores da marca, e faz o mesmo com seus colaboradores, criando um exército de fãs que atraem pessoas novas para a história da marca frequentemente. Colaboradores podem se tornar um guia da criação de experiências, podem ser valorizados como pessoas capazes de criar e recriar as histórias da marca.

O colaborador é um influenciador que trabalha para a empresa e que pode ser um mobilizador de pessoas, fãs e clientes.

Consistência de marca

O que une a experiência da rede varejista nos diferentes canais é a marca. Ela dá sentido, a partir de diferentes componentes para criar uma história consistente. Fazer com que a marca oriente a experiência, com que seus valores retratem a maneira pela qual os consumidores compram e voltam para a loja é uma das estratégias mais vencedoras para superar os desafios da multicanalidade. A marca permite também compreender o consumidor e integrá-lo à estratégia.

Joe Pine encerra o painel falando de varejistas que fizeram o movimento contrário, de puramente on-line para a abertura de lojas físicas. A ideia é criar experiências que possam transfigurar as possibilidades da tecnologia digital no ambiente físico. Assim, clientes encontram formas de vivenciar a marca e sua proposta de modo mais pleno.

Um exemplo é o modelo das lojas da Under Armour que ainda serão abertas. Ao invés de tapumes tradicionais alertando que serão inauguradas em algum dia, a rede varejista inseriu totens para imersões em Realidade Virtual para que os consumidores conheçam a loja previamente. A Ikea, famosa rede de decoração e artigos para casa, oferece tablets com recursos de Realidade Aumentada para que os clientes sintam os ambientes que podem criar com os móveis que estão exibidos na loja.

Leia também 
É assim que você vai fazer compras em 2020 – e será divertido 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]