Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como atrair a nova geração de consumidores do futebol?

Como atrair a nova geração de consumidores do futebol?

Descentralização das transmissões de jogos e reformulação de conteúdos, finalmente colocam torcedores e fãs do esporte como protagonistas

Não é novidade para ninguém que a forma de se consumir conteúdo mudou radicalmente na última década. Isso inclui desde a informação jornalística, até propagandas, filmes, séries e programas de entretenimento. Mas quando falamos de esporte, o impacto da digitalização na oferta de conteúdos esportivos é mais recente. Até meados de 2020, a grande mídia ainda detinha o monopólio das transmissões e a baixa influência do digital limitava o tempo e o espaço de conversas sobre futebol, por exemplo. O torcedor era passivo.

Esse cenário ia completamente na contramão da experiência que os consumidores buscam hoje, principalmente a geração Z. Do final de 2020 para cá, isso começou a mudar.

Começamos a ver uma descentralização das transmissões de futebol. Hoje, a pessoa pode escolher se vai assistir ao jogo na TV aberta, na TV fechada, em um canal no youtube, no Twitter, em uma plataforma de streaming. A consequência disso é que foram surgindo novas formas de comunicar e novos tipos de conteúdo relacionados ao futebol e ao esporte como um todo.

“Os próprios torcedores se tornaram produtores de conteúdo e protagonistas de suas narrativas. Eles querem falar e consumir esportes 24 horas por dia, 7 dias por semana. A grande mudança foi que o torcedor, que não era protagonista, assumiu esse lugar”, explica Vanessa Costa, gerente executiva de Marketing da NWB, content tech que forma a maior rede digital de esportes do Brasil.

Além de colocar o torcedor no centro de toda a operação, ampliar os pontos de contato entre o universo do esporte e o público permitiu que um novo perfil de consumidor passasse a ser enxergado, o fã do esporte.

Leia mais: ‘Fan Experience’: o fã como protagonista da NBA

O fã, diferente do torcedor que é aquele que acompanha o seu time ou modalidade de interesse, quer ver notícias em tempo real sobre esse time, quer interagir nas redes sociais com os atletas, quer ele mesmo produzir conteúdos sobre o assunto, participar de conversas e viver experiências.

Olhando do ponto de vista estratégico, conhecer esse consumidor é fundamental. A descentralização do conteúdo esportivo é uma oportunidade para as marcas, mas é essencial saber se comunicar e atrair essa nova geração.

A NWB hoje é proprietária de seis marcas que entregam conteúdos esportivos no mundo digital, dentre elas o Desimpedidos, o Camisa 21 e o Passa a Bola. No total, esses canais têm quase 12 bilhões de visualizações e mais de 700 criadores de conteúdos afiliados.

Vanessa Costa acredita que esses números sinalizam o fim da era Mediatech e o início da era Content Tech, em que usar dados como balizadores de tendências e criar uma conexão genuína com o público, construindo uma noção de comunidade, são os principais pilares para entregar a experiência que os consumidores buscam.

Dados como balizadores de tendências

Já sabemos que saber analisar e interpretar os dados são grandes diferenciais no mundo em que vivemos. Na era das Content Techs, para garantir a conexão das marcas com a nova geração de consumidores do futebol, as informações que chegam através dos dados são essenciais em várias etapas do processo de criação, desde a escolha do melhor formato para entrega do conteúdo, até a convocação do time de talentos que melhor se encaixa na comunicação com o público desejado.

A geração Z, por exemplo, é uma grande consumidora de vídeos curtos. O que vem sendo muito explorado no TikTok e agora também em outras redes sociais como o Facebook, o Instagram e o Youtube. Quando a gerente executiva de Marketing da NWB afirma que os dados são balizadores de tendências, ela quer dizer que são eles que vão ajudar a responder onde, com quem e como entregar o conteúdo esportivo para essa geração multiplataforma.

Leia mais: Geração TikTok não aguenta ver 90 minutos de futebol

“Por meio dos dados e de indicadores de sucesso, temos os seguintes desafios: encontrar o time correto de talentos que vai se conectar com a audiência desejada; definir de canais e de formatos; trabalhar a recorrência e a diversidade de nichos dentro do esporte; e extrair insights sob um ponto de vista criativo para a produção de conteúdos de marca de valor e que funcionem não apenas para o relacionamento, mas também para a conversão de vendas”, detalhou Vanessa Costa.

Segundo a especialista, a conexão da marca com essa nova geração de consumidores do esporte, em especial do futebol, pode ser dividida em três estágios:

  1. Motivação: quando o conteúdo desperta a curiosidade dos consumidores
  2. Ação: quando automaticamente, diante de uma comunidade formada por torcedores e fãs, o conteúdo é capaz de gerar uma ou mais ações
  3. Output: quando a audiência responde ao impulso gerado pelo criador de conteúdo, ela gera dados e a partir daí a marca é capaz de gerar novos conteúdos e impulsionar comportamentos

Uma jornada Phygital: criando laços além do digital

Apesar da expansão da criação e divulgação de conteúdos esportivos para o universo digital, quando falamos em futebol, que envolve paixão, experiências fora desse ambiente devem fazer parte da jornada. Isso serve também para a nova geração de consumidores, até porque a geração Z está acostumada e cada vez mais em busca de uma jornada phygital, que extrapole os limites desses dois mundos.

A construção da narrativa, de boas histórias, também é importante para envolver e engajar torcedores e fãs do esporte. Em um momento especial e único, como a Copa do Mundo, saber oferecer uma experiência completa para o consumidor, usando o mundo físico e o digital, e entregar um conteúdo que surpreenda e emocione o consumidor, é algo extremamente relevante.

Em conteúdo exclusivo enviado à Consumidor Moderno, a NWB apresentou dois cases que ilustram bem essas questões. O primeiro é do canal Desimpedidos, que tem mais de 9 milhões de seguidores no Youtube e 24 milhões de fãs nas redes sociais. O vídeo mais assistido do canal foi um conteúdo em que a marca promoveu um grande encontro do apresentador Fred com o craque Cristiano Ronaldo.

O apresentador do canal é fã do português e foi surpreendido por uma surpresa emocionante ao se encontrar com o ídolo. O conteúdo viralizou em todo o mundo e ajudou a conectar a marca Clear, parceira do canal e responsável pela peça, com os fãs de futebol.

O segundo case é do Nubank, apoiador regional oficial da Copa do Mundo Fifa Catar 2022. O banco digital vem fazendo uma série de ações junto com a NWB, como parte da estratégia de influência. Para se aproximar dos fãs de futebol a empresa patrocinou projetos como:

  • A Supercopa Desimpedidos, em que mais de 100 criadores de conteúdo, celebridades e atletas entraram em campo divididos em oito times defendendo as camisas do Brasil, Catar, Croácia, Estados Unidos, França, Holanda, Inglaterra e Nigéria em referência a Copa do Mundo. A transmissão foi feita no TikTok e no Youtube, com muito humor, “resenha” e ativação de marcas;

  • A segunda edição do “Muleke Zika”, projeto especial que tem como objetivo encontrar uma nova personalidade do futebol nas quebradas da cidade de São Paulo.

O Nubank também está trabalhando em parcerias com a NWB em ativações que serão feitas em hubs de criação de conteúdo no Brasil e no Catar, durante os jogos da Copa.

“Pensar os conteúdos de forma inteligente, olhando para os dados e entendendo o comportamento dessa nova geração de consumidores do futebol leva a diferentes potenciais. Permite que marcas endêmicas e, até mesmo, não endêmicas ao universo do futebol se conectem à milhões de fãs do esporte por meio de narrativas que acontecem dentro e fora da tela”, resumiu Vanessa Costa, gerente executiva de Marketing da NWB.


+ Notícias

Realidade aumentada proporciona nova experiência com camisa da seleção

Apenas 21% da Geração Z se sente representada nas publicidades, segundo LinkedIn

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]