Pesquisar
Close this search box.
/
/
Não existe mágica, só trabalho

Não existe mágica, só trabalho

Gustavo Loyola, ex-presidente do Banco Central, fala sobre os desafios e entraves do varejo no atual cenário político e econômico

Gustavo Loyola foi um dos nomes fortes do Plano Real. Presidente do Banco Central entre novembro de 1992 e março de 1993, e depois entre junho de 1995 e agosto de 1997, foi um dos responsáveis pela reestruturação do sistema bancário do País.

Eleito Economista do Ano de 2014 pela Ordem dos Economistas do Brasil, Loyola tem uma visão liberal do papel do Estado na economia: entende que o papel do governo é oferecer as condições de negócio e abrir espaço para que a iniciativa privada inove, se desenvolva e gere empregos.

Nesta semana, durante a Convenção ABF na Ilha de Comandatuba, na Bahia, Loyola falou a uma plateia de cerca de 500 pessoas sobre o cenário econômico brasileiro e mundial e conversou com a imprensa sobre as perspectivas para o País, especialmente sobre o futuro do varejo. NOVAREJO estava presente e conversou com o economista. A seguir, alguns trechos:

Considerando o cenário projetado para 2014 e 2015 (crescimento de 0,1% e abaixo de 1%, respectivamente), podemos esperar tempos bicudos para o varejo?

Não necessariamente. Evidentemente é melhor navegar num mar calmo que em um mar adverso, mas justamente o que dá oportunidade de diferenciação para as empresas são os tempos difíceis, já que em um cenário favorável até o mais medíocre dos empresários pode se dar bem. Em 2015 os empresários precisarão ser muito mais eficientes, seja no que diz respeito aos produtos, aos clientes ou aos custos.

É importante também ter em mente que não estamos mais em um ambiente de recessão, embora o crescimento seja mínimo. O mercado ainda é positivo, crescerá pouco nos próximos anos, mas apresenta muitas oportunidades. O que não podemos é manter a ilusão de que é iremos crescer como no período entre 2003 e 2010. Os tempos são outros.

Como você apontou em sua apresentação, 2015 deverá ter novamente um panorama de aumento de custos e desafios com infraestrutura. O varejo pode contar com alguma evolução na questão tributária que aumente sua competitividade?

Podemos ter alguma evolução sim, mas não sou muito otimista, por algumas razões. A primeira é mais estrutural: precisamos de mais avanço no ICMS, que é um grande problema, pois precisa ser destravado com 27 Estados, é muito complicado. Há também a questão dos incentivos fiscais nos Estados: é preciso ter uma gestão política muito competente para que se consiga um consenso mínimo.

Só isso já me deixa mais cauteloso: teremos em 2015 um congresso mais fragmentado e uma bancada de situação mais enfraquecida, e a presidente mostrou durante 4 anos que não é muito afeita ao jogo político. Isso diminui ainda mais a chance de termos uma grande reforma tributária. Ainda assim, o governo pode, por meio da legislação, dar uma melhorada na situação. Nos últimos anos, o governo baseou sua política em criar regimes especiais e linhas de crédito com o BNDES, sem preocupações maiores com o impacto no sistema como um todo.

E o Simples?

Ajuda, mas não resolve, porque continua com o problema de que em algum momento a empresa nao irá querer continuar a crescer, pois terá que mudar de ambiente tributário, sair do Simples. Acredito que o ambiente favorável a todas as empresas é aquele que permite que as pequenas nasçam e cresçam. mas hoje temos setores com folha desonerada, tributadas por valor agregado, e outros com outras regras, sem que esteja claro qual é o critério para cada caso. É uma situação complexa demais para o desenvolvimento dos negócios.

O senhor enxerga mudança de cenário no médio e longo prazo?

A mudança desse cenário tem muito a ver com a capacidade da sociedade influenciar politicamente. Vimos na ultima campanha eleitoral que alguns temas foram tratados de forma muito superficial, como a questão tributária, que é um tema importante em qualquer lugar do mundo. O ambiente para empreender é muito inóspito e se os atores políticos relevantes não se manifestarem, é difícil acontecer alguma coisa. A reforma tributária virá no dia em que ficar claro na cabeça dos políticos em que a situação é insustentável.

Fico com receio de que para melhorar tem que piorar, tem que se chegar a uma situação muito ruim. E há no Brasil um grande incentivo no seotr privado a buscar um tratamento favorável do governo apenas para o seu caso, contribuindo com sua melhoria e não a melhoria global. Isso porque um setor vê que outro conseguiu alguma coisa com o governo e então tenta também.

Somos o país da meia entrada, em que todo mundo quer pagar meia, mas esse custo vai para alguém. Se não houvesse meia entrada o ingresso poderia ser mais barato para todo mundo. Se o governo dá benefício para alguém, acaba tirando de outro. Não existe mágica em economia.

Leia Mais:

Setor de franquias otimista mesmo em ano ruim

ABF e Sebrae preparam fundo de apoio às franquias

6 megatendências para o setor de franquias

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]