Pesquisar
Close this search box.
/
/
As oportunidades e desafios de um mercado multigeracional

As oportunidades e desafios de um mercado multigeracional

Trabalhar com a incerteza, adaptar modelos de trabalho e construir uma cultura bottom-up são chave para superar desafios das gerações.

A Tahto, empresa de soluções de relacionamento com o cliente, lida com um cenário multigeracional desafiador – tanto da porta para dentro quanto para fora. Se por um lado atende consumidores de diferentes idades, comportamentos, expectativas e dores, precisa entender os mesmos sentimentos e desejos de seus colaboradores. Trata-se de uma dinâmica com a qual muitas lideranças de organizações se deparam no dia a dia e que reflete, diretamente, na forma como a empresa performa, cresce e se desenvolve para ampliar sua atuação.

A antiga ideia de um plano de carreira, com etapas e cargos a serem conquistados, acompanhados também de objetivos de vida como o casamento e filhos, já não são tão inquestionáveis quanto há 20 anos. Os profissionais mais jovens hoje buscam outros valores e métricas de sucesso. “Um programador não ficará trabalhando oito horas diárias em um escritório no horário comercial. As empresas precisam entender que essa pessoa irá trabalhar de casa, atendendo três empresas diferentes – possivelmente, algumas delas de fora do país. Os modelos de trabalho precisam ser aderentes a esses diferentes públicos”, afirma Luiz Angeiras.

Mas não são somente as gerações que mudaram. Há ainda um avanço tecnológico impulsionado pela pandemia da Covid-19 e pela Inteligência Artificial (IA) generativa, além de novos formatos de trabalho e consumo. Todos esses elementos, e muitos outros, formam um cenário cheio de incertezas, instabilidades e dinâmicas de relacionamento muito diferentes de um passado não muito distante.

Gerações e cultura

Acompanhar essas transformações, descobrir formas e ferramentas de atender a essas expectativas de diferentes públicos e gerações, e estar atento às incertezas que um mercado em constantes mudanças pode trazer ao negócio são os ingredientes-chave para formar as futuras lideranças do mercado de consumo.

“O que realmente motiva as pessoas nas corporações neste momento em que vivemos independe da geração”, explica. “É o formato de trabalho, o que queremos oferecer para que as pessoas possam trabalhar pelos interesses que não são delas, mas dos acionistas, que seja minimamente satisfatório, de maneira razoavelmente engajada, produtiva, e na qual se entenda o ponto de vista da empresa e do colaborador”.

 “A empresa que não olha para cultura, provavelmente irá morrer também”, afirma a executiva. “É preciso construir uma cultura bottom-up, com um conjunto de valores e comportamentos que façam com que as pessoas tenham um objetivo em comum. A cultura de corredor, que é aquela não dita, mas praticada e exposta nas conversas de corredor e da qual muitas vezes os C-levels não têm conhecimento, são geralmente 70% diferentes do que a cultura oficial das empresas atendidas pela Boomit”.

Desafio de conhecimento

Como aponta Jacques Meir, a natureza do mercado mudou. Se antes as empresas dominavam a narrativa sobre determinado produto ou serviço que vendiam, hoje está distribuída entre diferentes pessoas e criadores de conteúdo. Em muitos casos, esses influenciadores concentram maiores parcelas do público do que as marcas. “As organizações precisam se adaptar a essa incerteza”, afirma. “Hoje, não devemos mais partir das nossas certezas, mas das incertezas, daquilo que não sabemos. Trata-se de definir fatores sobre os quais a liderança não tem conhecimento e controle, e aquilo que não sabe sobre o seu cliente”.

Em um cenário em que “sei que nada sei”, a informação – ou seja, aquilo que foi gerado pela organização a partir de uma conjunção de dados, experiências e falhas – torna-se a matéria prima de qualquer empresa.

Como aponta Carolina Augusta, pensar a partir das incertezas parece ser uma tarefa contraintuitiva, mas trata-se de um elemento que pode mudar o jogo da empresa diante de cenários em transformação. “Enquanto 95% das empresas que atendemos têm problema com informação, o principal motivo para isso é pessoas – seja por não estarem na função ideal, por não terem sido treinadas, ou por não terem os processos explicados a ela. Pessoas é a única variável que a organização pode controlar, ou tentar controlar de alguma forma”.

Superar os desafios e encontrar oportunidades de desenvolvimento e crescimento a partir desse cenário de incertezas de comportamentos, desejos, dores e expectativas, passa pela capacidade de aprendizado das lideranças e organizações.

“É preciso maturidade corporativa para que as empresas entendam que o cenário mudou – do board à base”, conclui Luiz Angeiras. “Maturidade para entender que os relacionamentos precisam ser individualizados dentro do possível, com capacidade de escutar atentamente. Maturidade para entender que é preciso buscar o desconhecido para evoluir e para entender a própria maturidade do mercado. Somos capazes de entender que o mercado vem se tornando complexo, e devemos perceber isso como uma oportunidade”.



Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]