Pesquisar
Close this search box.
/
/
Mercado da maioria: oportunidades do consumidor de baixa renda

Mercado da maioria: oportunidades do consumidor de baixa renda

Marcas devem entender perfis para oferecer experiência e praticidade

A PWC em conjunto com Instituto Locomotiva realizou um estudo robusto em julho de 2023, denominado “Mercado da maioria: como a força da população de baixa renda está transformando o setor de varejo e consumo no Brasil”[1], para entender as mudanças no comportamento dos consumidores de classes socioeconômicas C, D e E. A metodologia utilizada contou com uma pesquisa quantitativa com mais de 2.388 entrevistados, entre homens e mulheres, com idade a partir de 18 anos, sendo 1.539 das classes C, D e E, e 849 das classes A e B. Essa pesquisa foi realizada on-line e com questionário de autopreenchimento.

Com intuito de complementar a visão dos consumidores foi realizada uma fase qualitativa, por meio de 11 entrevistas em profundidade com líderes relevantes do varejo e de bens de consumo, com enfoque em temas como economia, preços, “go to market”, tendências de consumo, tecnologia, ESG. Importante ressaltar que todas as regiões geográficas brasileiras estão representadas nesta pesquisa.

O mercado da maioria é composto por 154,3 milhões de pessoas, com algumas características importantes a serem destacadas, como: 55% têm até 34 anos de idade, 62% são majoritariamente negros, 74% já foram alvo de algum tipo de preconceito, 52% dos lares são chefiados por mulheres, 56% não concluíram o ensino médio, 19% concluíram o ensino superior, porém há muita informalidade de 50% na classe C e 76% nas D e E, que ainda trabalham sem carteira assinada.

A imersão no universo phygital é parte do dia a dia da maioria, com o acesso à internet de 88% para a classe C e 75% para a D e E, que vem crescendo aceleradamente Os canais digitais já fazem parte da jornada de consumo, sendo que 63% já compraram on-line e retiraram na loja física, 61% já compraram em marketplaces, 66% declaram depender mais da internet do que há dez anos, 38% já compraram produtos usados em sites/apps especializados, 79% usam redes sociais todos os dias (ou quase), 40% já compraram produtos em redes sociais, 65% se preocupam mais com o uso de seus dados pessoais pelas empresas do que há dez anos e 36% dizem o mesmo em relação a suas interações com empresas de varejo e bens de consumo. Aliás, o tema da cybersegurança é de extrema importância para os brasileiros numa jornada cada vez mais digital.

Ao analisar as categorias e a integração omnichannel, é importante evidenciar que bens de consumo de supermercados/hipermercados, materiais de construção e produtos para PET tendem a ter a compra mais preponderante em lojas físicas. Por outro lado, cursos de idiomas/diversos e eletrônicos são categorias mais compradas pelos canais digitais. Este fator está relacionado ao grau de maturidade digital de cada segmento. Durante a pandemia as vendas de bens de consumo não duráveis aumentaram muito pelos canais digitais, porém ainda apresentam muitos atritos para os consumidores. No gráfico a seguir, nota-se a diferença de canais de consumo mais acessados pelos consumidores das classes C, D e E.

O público da maioria considera o consumo de bens e serviços como uma conquista individual proveniente do esforço pessoal, em geral, fruto do próprio trabalho. Há uma valorização das compras inteligentes que aliem preço, qualidade, praticidade e conforto. Alguns números que traduzem o comportamento de consumo da maioria devem ser analisados, dentre eles: 61% se esforçam para adquirir coisas que não tinham condições quando eram jovens, 71% se sentem realizados ao economizar na compra de um produto, 66% valorizam produtos de qualidade que oferecem um preço justo. O consumidor de baixa renda não pode errar, desperdiçar o dinheiro ao comprometer sua renda com produtos sem qualidade ou com baixa durabilidade, por essa razão a escolha é feita levando em conta as marcas de sua confiança, que já usam habitualmente ou que são recomendados por conhecidos.

  Outro ponto que deve ser levantado é a dependência que os consumidores das classes CDE têm dos mecanismos de crédito para acessar produtos de maior valor. 60% afirmam já ter deixado de comprar algum produto ou contratar algum serviço por falta de crédito. As limitações de crédito podem ser: falta de limite no cartão, falta de opções de pagamento como carnês ou crediário, parcelamento em poucas vezes e dificuldade para empréstimos. As que os consumidores comprariam caso tivessem acesso a crédito são: 36% eletrônicos, 35% eletrodomésticos, 27% imóveis, 27% automóveis, 27% vestuário, dentre outros.

Com objetivo de atrair e reter clientes da maioria, as marcas precisam entender mais sobre o perfil dos consumidores, seus anseios e hábitos de consumo. Há uma equação custo/benefício levando em conta sobretudo a busca por conveniência e praticidade, uma vez que a falta de tempo é um fator relevante para todos. A experiência é valorizada nas escolhas dos consumidores de baixa renda, 92% pretendem priorizar marcas e lojas que ofereçam uma experiência de compra agradável e 44% pagariam a mais por isso, 90% querem priorizar marcas e lojas que ofereçam praticidade na hora de receber ou levar a compra e 38% aceitam pagar mais pela conveniência.

Por fim deve-se levar em conta as questões sociais e ambientais (ESG), como a diversidade, o preconceito, a inclusão, a poluição e a necessidade de preservação do meio ambiente. Num país desigual como o Brasil é preciso ter um olhar mais atento às pessoas menos favorecidas em nossa sociedade, entendendo suas respectivas necessidades e demandas, permitindo assim um atendimento com qualidade, valor e respeito.

[1] Fonte: https://www.pwc.com.br/pt/estudos/setores-atividade/produtos-consumo-varejo/2023/mercado-da-maioria.html



Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]