Pesquisar
Close this search box.
/
/
A maioria das pessoas se sente bem em relação à saúde mental

A maioria das pessoas se sente bem em relação à saúde mental

Apesar da importância do trabalho para a saúde mental, o inverso também pode ser verdadeiro sem o equilíbrio na vida profissional

São poucas as pessoas que se sentem mal em relação à saúde mental. Segundo o Relatório Saúde Mental e Bem-Estar, realizado pela Opinion Box e pela Histórias de Ter.a.pia – maior canal brasileiro de contação de histórias, no qual entrevistados compartilham experiências enquanto lavam a louça –, mais de 60% das 2.119 pessoas entrevistadas se sentem bem ou muito bem em relação à saúde mental. No entanto, apenas dois a cada dez respondentes dizem fazer terapia atualmente.

O estudo conversou com pessoas de diferentes regiões do país, entre mulheres (52%) e homens (48%) de diversas idades, para entender como os brasileiros estão percebendo o tema nas diversas esferas de suas vidas. Segundo o estudo, com a crescente relevância globalmente, a saúde mental tem sido compreendida como uma abordagem que inclui aspectos emocionais, psicológicos e sociais dos indivíduos – e não somente um estado de ausência de doenças.

A pesquisa aponta que os entrevistados mais velhos afirmam se sentir melhor do que os mais jovens. Cerca de 74% dos respondentes com 50 anos ou mais afirmam se sentir bem em relação à saúde mental, enquanto 60% das pessoas entre 30 e 49 anos e 50% daquelas com menos de 30 anos dizem o mesmo. Além disso, as pessoas mais velhas são as que mais afirmaram cuidar da saúde mental (73%), em comparação aos respondentes entre 16 e 29 anos (48%).

Os entrevistados apontaram a saúde mental tem um desempenho melhor em suas vidas familiares (segundo 65% das pessoas), na vida individual (61%), nos relacionamentos amorosos (58%), na vida social (55%), e no trabalho (53%).

Os resultados da pesquisa são relevantes não apenas para indivíduos que estão buscando informações sobre saúde mental e bem-estar, mas também para empresas e marcas que desejam impactar seus colaboradores e consumidores com conteúdos sobre o tema.

Os diferentes lados da saúde mental

Por mais que a maioria dos entrevistados declare se sentir bem em relação à saúde mental, são poucos aqueles que fazem terapia. Apenas duas a cada dez pessoas fazem algum tipo de acompanhamento – sendo elas, em sua maioria, mulheres, pessoas entre 16 e 29 anos, e pertencentes às classes A e B.

Os principais motivos para não fazerem terapia são: a falta de necessidade para o momento em que vivem (46%), a falta de dinheiro ou alto custo dos tratamentos (28%), falta de tempo (12%), desconhecimento sobre como o processo terapêutico funciona ou como encontrar um profissional (8%), ausência de profissionais próximos de suas localidades (7%) e por acreditarem que não obter resultados do acompanhamento (5%).

Por outro lado, os entrevistados possuem outras práticas de saúde mental. São elas as atividades físicas (47%), o tempo de qualidade com família e amigos (37%), o cuidado com a alimentação saudável (35%), as práticas religiosas e de espiritualidade (32%), os cuidados com o corpo e a aparência física (32%), e o foco nos estudos e no trabalho (25%), por exemplo.

Trabalho e saúde mental

Por mais que os entrevistados têm uma percepção positiva sobre a saúde mental em suas vidas profissionais, 40% acreditam que o trabalho pode impactar negativamente na saúde mental. Já 65% acreditam que o mesmo é recíproco, e que o ofício pode trazer benefícios para o bem-estar individual.

O estudo aponta que o desafio para colher frutos do trabalho na saúde mental está no equilíbrio da vida profissional. Enquanto quase 30% dos respondentes afirmaram que as empresas nas quais trabalham não estão preocupadas com o tema, 40% percebem o oposto. Já 30% se mantiveram neutras no assunto. Além disso, 61% dos entrevistados afirmaram que prefeririam trabalhar em organizações com programas específicos para os cuidados com a saúde mental.

Segundo os respondentes, as empresas onde trabalham adotam algumas práticas para fomentar a saúde mental nos colaboradores, como palestras e webinars (20%), boletins e informativos sobre o tema (18%), oferta de terapia por meio dos convênios de saúde (18%), reuniões com o RH sobre saúde mental (17%), e instalação de canais de telefone para emergências (13%), dentre outras.

Redes sociais e saúde mental

A temática também ganhou sua relevância entre os influenciadores digitais que, dentre os 94% dos entrevistados que utilizam as redes sociais, são seguidos por 67% deles. Cerca de 62% dos respondentes da pesquisa afirmaram que já mudaram de opinião em relação a questões de saúde mental devido ao trabalho de influenciadores digitais sobre o assunto.

Ao mesmo tempo, os entrevistados estão atentos às informações equivocadas divulgadas por esses perfis: oito a cada dez usuários de redes sociais param de seguir influenciadores que banalizam temas de saúde mental. Na mesma proporção, os entrevistados são propensos a deixar de acompanhar um influenciador que não trata temáticas de diversidade e inclusão com seriedade.

Enquanto 33% dos entrevistados consideram muito importante que influenciadores comentem sobre saúde mental em todos os segmentos, 21% consideram importante. Já um em cada quatro respondentes buscou ajuda profissional depois de ser impactado por conteúdos que encontrou na internet, e 65% acreditam que as redes sociais podem ser tóxicas para a saúde mental.



+ NOTÍCIAS
Saúde mental é priorizada por 85% das pessoas, aponta estudo
Carreiras que se alinham à saúde mental: a busca da Geração Z no mercado de trabalho

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]