Pesquisar
Close this search box.
/
/
A sacola da sorte que movimenta o varejo no Ano Novo

A sacola da sorte que movimenta o varejo no Ano Novo

Calendário japonês tem uma das principais datas do comércio com uma sacola surpresa disputada em praticamente todas as lojas do país

A melhor data do ano para o comércio não é o Natal. Pelo menos não no Japão. O que os consumidores realmente esperam são as liquidações de ano novo. E uma tradição japonesa de séculos continua firme. São as lucky bags, sacolas da sorte, que reúnem kits de produtos – muitas vezes surpresa – e que os consumidores saem avidamente para comprar no primeiro dia do ano.

Aproveitando a ideia de virar um novo capítulo e rezar pela boa sorte que está por vir, a fukubukuro se tornou sinônimo de Ano Novo, evoluindo para um dos eventos de compras mais esperados do calendário japonês.

Para quem gosta de uma boa oportunidade e de emoção, as fukubukuro são imperdíveis. Multidões de compradores ansiosos chegam a ficar na portas de suas marcas e lojas favoritas em todo o país, à espera de um bom negócio. As sacolas da sorte estão tão arraigadas na cultura japonesa que mesmo grandes marcas internacionais, como Adidas, Michael Kors, Puma, Starbucks e Disney preparam kits e fazem pré-vendas. 

Embora a emoção do fukubukuro esteja na surpresa do que irá encontrar, algumas marcas divulgam prévias das ofertas e fazem listas de pré-venda. A demanda é tão grande que em alguns casos há uma loteria entre os clientes que se cadastram por uma.

Não é comum, mas uma sacola da sorte também pode não ser tão afortunada assim e trazer itens que não interessam ao consumidor. Parte da graça está também em trocar com outros clientes peças e produtos na rua mesmo.

As origens da fukubukuro são tão misteriosas quanto o conteúdo delas. Não se sabem quando e onde exatamente a primeira fukubukuro surgiu. Mas há referências a ela no período Edo (1603-1867) em uma loja de quimonos em Tóquio. A ideia de vender tecidos a preços mais baixos no início de ano como um desejo de boa sorte se espalhou pelo Japão inteiro.

A vantagem para os consumidores é óbvia. Mas para as marcas e lojas a fukubukuro também é um bom negócio. É possível aumentar significativamente as vendas, reduzir estoques, ampliar o awareness da marca e fortalecer a relação de lealdade com os clientes.

Exemplo de ofertas de ‘lucky bags’ de grandes marcas de moda japonesas. O valor da sacola chega a ser um terço da soma dos produtos contidos nela

Imagina se a moda pega no Brasil? Conheça mais sobre as sacolas da sorte!

 

As sacolas da sorte no Japão são vendidas por ordem de chegada

Se você realmente quer um fukubukuro, precisará chegar cedo. Planeje adequadamente.

 

As fukubukuro são vendidas de duas formas:

Diretamente na loja – online ou física; e em cadastros com sorteios

 

Lockers são os melhores amigos dos caçadores de sacolas da sorte

Como elas podem ser muitas e volumosas, a procura por armários também cresce. Muitos japoneses aproveitam os vários lockers espalhados pelas cidades para otimizar a saga em busca de fukubukuros.

 

Parte da diversão está na negociação

Especialmente em lojas de departamento, clientes abrem suas fukubukuros ali mesmo e trocam produtos com outros consumidores.

 

As ruas ficam cheias e barulhentas

O frenesi com as sacolas da sorte deixam as ruas, principalmente de Tóquio, mais cheias e mais barulhentas, com um clima de caça ao tesouro.

A Puma é uma das marcas que realiza pré venda das fukubukuros e descreve todos as peças que compõem a sacola

 

Nem toda sacola é secreta

Especialmente fukubukuro de roupas oferecem informações sobre as peças e permitem a seleção de tamanhos.

 

Existe promoção além da fukubukuro

Para quem não está no clima de correr atrás de surpresas, o início do ano no Japão vai muito além das sacolas da sorte. Quase todas as lojas do varejo entram em liquidação – de eletrodomésticos, jogos e brinquedos a roupas, produtos de beleza e bem-estar e entretenimento.



Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]