Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como a Havan cresceu 350% dentro do seu e-commerce em 2 anos

Como a Havan cresceu 350% dentro do seu e-commerce em 2 anos

O setor de e-commerce da Havan cresceu muito acima da média do mercado durante os anos mais duros da crise. Entenda como isso aconteceu

A Havan, rede de lojas de departamentos que nasceu no interior de Santa Catarina, registrou crescimento de 356% da receita em seu e-commerce nos últimos dois anos, enquanto a média de crescimento do mercado foi abaixo dos 40% no mesmo período. A empresa conseguiu esse feito estimulando a competição entre seus departamentos.

Jordan Hang, gerente de e-commerce da marca, diz que a tentativa de criar uma cultura digital na empresa precisou de perseverança e estratégia para que os quatro setores (Moda, Cama mesa e banho, Utilidades domésticas e Eletrodomésticos) aceitassem que precisavam dedicar atenção às vendas on-line.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

Como cada departamento tem uma meta própria de receita, Hang propôs que as vendas dos produtos de cada segmento no e-commerce fossem somadas às metas das vendas nas lojas físicas e que nos meses seguintes as metas de on-line e off-line fossem uma só. A proposta foi um fracasso retumbante dentro da empresa, segundo Hang.

O gerente teve que bolar uma nova maneira de mostrar que as vendas no on-line integrassem as metas dos quatro departamentos da empresa. O que ele fez foi usar o calendário de marketing das quatro áreas a seu favor. “Cada departamento tem destaque por uma semana nas ações de marketing para as lojas físicas. Um departamento leva três semanas para estar em destaque novamente”, explicou.

Hang aponta que essa foi a brecha que permitiria ao e-commerce mostrar ao restante das operações que ele era realmente relevante. O e-commerce ofereceu a um dos quatro segmentos da empresa espaço no on-line para destaque total dos produtos no e-commerce ao longo das semanas em que a empresa não ativava ações naquele segmento.

As lojas de departamento vão morrer?

“Criamos um calendário intercalado. Na semana um, o departamento escolhido tinha destaque em loja física. Nas semanas dois, três e quatro, em que ele não teria destaque em nada, nós oferecemos todo o e-commerce, todo site para divulgar todos os itens do departamento sem custo nenhum”, revela Hang. “Enquanto isso, (nas semanas sem impulsionamento), os outros departamentos não estavam em destaque em lugar nenhum”, completa.

20% acima da média

A proposta fez com que o departamento que participou das ações dentro do e-commerce crescesse mais de 20% além da sua meta. O crescimento além do esperado se concretizou ao longo dos três meses seguintes. “Os outros departamentos começaram a se questionar o que estava acontecendo para aquela área crescer tanto. O que estava fazendo de diferente? O que a gente estava fazendo era aquilo que mostramos lá atrás. Mas, às vezes, não adianta mostrar a ideia, tem que provar o valor”, diz Hang.

Além de chamar a atenção dos outros três departamentos, o segmento beneficiado teve sua meta reajustada, o que o faria depender do e-commerce para manter seu desempenho.

Agora, é dar lucro

Mostrando-se essencial para o crescimento da marca como um todo, o e-commerce da Havan tem como novo desafio aumentar o fluxo das lojas físicas via e-commerce e transportar a experiência da loja física para o ambiente digital. Segundo Hang, a média do tempo que as pessoas passam dentro das lojas físicas da rede é de uma hora e meia, muito acima do tempo médio em qualquer portal de compras.

Mas o objetivo principal do setor é dar lucro, já que os e-commerces como um todo são fartamente conhecidos por não se pagarem sozinhos. Mesmo nos maiores cases do mundo, as operações giram durante anos no vermelho até que encontram o ponto de inflexão. “(Operar no azul) é algo que a Havan tem estudado junto aos fornecedores, que estão nos ajudando a vender. A gente acaba deixando de fazer algumas compras básicas com a ideia de deixar a última linha do balancete no azul”, conclui Hang.

Leia também: 

Acusada de racismo, a loja de departamento H&M retira anúncio de site

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]