Pesquisar
Close this search box.
/
/
Há riqueza além dos ricos?

Há riqueza além dos ricos?

O novo sentido da riqueza vai além da simples acumulação e da filantropia: é preciso pensar também em gerar valor por meio do bem-estar coletivo. O Money 20/20 quis saber o que os ricos podem fazer por essa aspiração

Combinando novas tecnologias, empatia e uma visão madura, derivada de sua própria expertise, a indústria de serviços financeiros teve uma oportunidade sem precedentes de atender segmentos mais amplos da sociedade. Não importa quem está à frente das políticas econômicas, para Frank Coopper III, Diretor Geral Sênior e Chief Marketing Officer da BlackRock, a indústria pode ajudar as pessoas a pensarem grande e sentirem um maior senso de seu potencial, segurança, controle, autoestima e dignidade. A riqueza é um conceito que se aplica para além da ideia básica de acumulação. Em seu melhor, essa indústria corresponde às necessidades das pessoas, para aqueles que buscam apenas US$ 1,000 de economias para emergências até aqueles que investem milhões e milhões no mercado financeiro. Esse foi o contexto da sessão plenária apresentada por Cooper no Money 20/20 – “Há riqueza além dos ricos?”. Para o executivo, atingir essa meta pressupõe entender antes de mais nada como ajudar as pessoas a decifrarem a relação entre riqueza e bem-estar.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

“Qual a relação das pessoas com seu dinheiro? Essa é a questão que mais me motiva atualmente”, afirmou Frank. O executivo de marketing acredita que toda empresa deve buscar oferecer algo mais para seus clientes. “Quando estive na Pepsi, ajudei a modelar o Pepsi refreshment, que colaborou com a vida de muitas pessoas”. Na Blackrock, Frank teve uma inspiração a partir de uma frase de Kenny West: “espera até eu ter o meu dinheiro merecido”, que despertou em sua mente a necessidade de repensar essa relação das pessoas com seu dinheiro. Por associação com outras ideias, Frank comentou que muitas somos força dos a comer alimentos que não gostamos, que não têm tanto sabor, mas que nos ajudam muito com nossa saúde e nosso bem-estar. E é sobre bem-estar que Frank Cooper quer direcionar a forma pela qual a Blackrock trabalha com o dinheiro que recebe de investidores.

“Não podemos desconectar o dinheiro do estilo de vida que temos. Devemos mudar o conceito de que ter dinheiro, ao invés de respeitar sucesso, na verdade significa excesso”, comenta. A ideia de riqueza é um porto de chegada, mas não necessariamente de bem-estar. Mas é precisamente essa ideia que o mercado precisa trabalhar. Dinheiro, riqueza devem manifestar generosidade, e incrementar o nosso senso de viver bem, de bem-estar, segundo o executivo.

Segundo sua visão, riqueza não está associada a ter muito dinheiro, o que não significa que as pessoas devem prescindir dele. Mas sim que dinheiro precisa, tanto quanto praticar atividades esportivas, estar associado, conectado à saúde e bem-estar. Frank reconhece que essa concepção é contra-intuitiva, mas permite a todos repensarem seu modo de viver, não necessariamente abraçar a felicidade, mas repensar como vivem, agem, escutam e aprendem.

“Riqueza é ter empatia, é a pedra fundamental de um novo padrão de confiança. É o que pode modificar a forma pela qual as pessoas economizam, investem, consomem e se relacionam com o dinheiro”, enfatiza. O CMO é um entusiasta da ideia de que os americanos podem ter uma consciência mais clara de que podem investir para seu bem-estar e não simplesmente para se proteger do futuro ou para acumular capital.

E por que essa reconexão entre “riqueza e bem-estar” está no centro do negócio de uma empresa como a Blackrock? “Os últimos tempos colocaram em xeque nossa confiança no mercado e nos sistemas. Os escândalos do Facebook, dos Panama Papers, fazem com que as atividades comerciais devam enfaticamente procurar atender as necessidades humanas para resgatar essa confiança. É o nosso desafio e uma oportunidade excepcional para criar um novo caminho na relação das pessoas com seu dinheiro e, sobretudo, das empresas com seus clientes.

Frank Cooper III mostrou um posicionamento corajoso e francamente distinto do que costumamos ver em instituições financeiras. Vejam como exemplo a série “Billions”, onde uma empresa, a Axel Capital é alvo de investigações do Judiciário americano. O enfoque é o relativismo moral que motiva ambas as instituições, o fundo e o poder do Estado, no qual o que menos importa é o bem-estar de clientes e cidadãos.

Será que esse senso de propósito demonstrado por Frank Cooper à frente da Blackrock se tornará uma tendência ou será visto, no futuro próximo, como uma iniciativa pueril?

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]