Pesquisar
Close this search box.
/
/
Gestão de tempo: 4 em 10 brasileiros vivem em ritmo acelerado demais

Gestão de tempo: 4 em 10 brasileiros vivem em ritmo acelerado demais

Pesquisa inédita apresenta análise sobre a falta de tempo e excesso de informação no dia a dia dos brasileiros, e aponta a relação das pessoas com o tempo e seus hábitos a partir de sua rotina

A população está vivendo no automático? Como estamos lidando com a aceleração do ritmo de vida e quais são as possibilidades de aproveitar melhor cada momento, sem atenções fragmentadas. A falta de tempo livre e o excesso de informação absorvida pela população foram temas de um estudo para entender mais sobre a relação do brasileiro com o tempo e sobre o ritmo de vida das pessoas.

Essa é a pergunta que uma pesquisa que o Instituto Datafolha e a Eisenbahn realizaram, em parceria, para Ao todo 1.500 pessoas acima de 18 anos, de todas as regiões do Brasil e com acesso à internet, foram entrevistadas.

Um aspecto interessante no mundo contemporâneo é também a tendência de acelerar processos naturais da vida real e que antes só eram possíveis em ambientes digitais. Assim como o áudio do Whtasapp, Eisenbahn e Datafolha alertam sobre a importância de retornar ao ritmo 1x, enquanto a maioria está fundamentalmente em 2x, fazendo uma analogia ao consumo de conteúdos digitais.

Leia mais:
O tempo é o senhor da experiência na jornada do cliente

Mais de um quarto (26%) dos brasileiros adultos assiste vídeos ou ouve áudios em alta velocidade para supostamente ganhar tempo para resolver outras tarefas. Mas, para além das ferramentas tecnológicas que podem ser aceleradas, a investigação mostra que o público está externalizando isso e realizando funções sem prestar 100% de atenção no que desempenha.

Mas se a tecnologia é um recurso importantíssimo na vida do ser humano moderno: na comunicação, na busca por conhecimento, nos relacionamentos e no consumo. É prejudicial estar conectado o tempo todo, e isso afeta o emocional da população e as suas relações.

Celular ligado, beat acelerado

Estamos consumindo muito mais conteúdos de áudio, de vídeos e até filmes no modo mais rápido, o que resulta em um alerta: a sociedade moderna, como um todo, está sem tempo livre para lazer ou coexiste apenas para cumprir deveres e obrigações, deixando de lado importantes necessidades prazerosas?

Para 73% dos entrevistados, as tecnologias estarem mais presente na nossa vida permitem dedicar tempo às atividades que dão mais prazer. Mas apesar disso, elas mudaram hábitos – o rosto colado ao celular virou rotina em praticamente todos os momentos do dia, e o tempo passa sem que se sinta. Ser multitarefas é cansativo e não gera os resultados esperados, aponta a pesquisa. 72% dizem que às vezes ou nunca conseguem se dedicar completamente às atividades de que gostam sem precisar dividir sua atenção.

Além disso, viver em ritmo acelerado aumenta em 136% a sensação de realizar tarefas no modo automático, sem prestar atenção no que está fazendo.

Um terço dos entrevistados disseram que sim, e declaram viver no automático. Esta questão não está relacionada a momentos de lazer, 19% dos indivíduos manifestaram não terem hábitos para relaxar sem se preocupar com o tempo, mas sim com uma mentalidade de aumentar a produtividade e inserir mais tarefas no cotidiano. O cenário ideal para sair do modo automático é prestar atenção nos detalhes e aproveitar o presente em todos os momentos do dia a dia.

Apenas 9% da população brasileira adulta sente que tem um ritmo de vida calmo, enquanto uma parcela bem maior (43%) declara viver em ritmo acelerado ou muito acelerado. Essa percepção é ainda mais entre pessoas com filhos menores (60%), com renda familiar superior a cinco salários (59%), mulheres (57%), pessoas de 25 a 34 anos (51%) e pessoas da classe C (50%).

Leia mais:
Síndrome de Impostora? Geração Z têm medo de não corresponder às expectativas

A análise busca entender se as pessoas vivem inteiramente o contato com família e amigos, os almoços de domingo, as leituras, os momentos de lazer ou se somente vivem no automático – como respondeu um terço dos entrevistados, que afirmaram realizar tarefas sem prestar a devida atenção ao que estão fazendo. Apenas 23% disseram conseguir se dedicar completamente às atividades preferidas sem precisar dividir atenções.

Metade dos entrevistados que sentem ansiedade quando pensam nas tarefas habituais, por exemplo. Abrir mão de aproveitar o processo das atividades, de enxergar beleza nos detalhes mais rotineiros, para se preocupar apenas com o próximo to do da lista de compromissos é bastante sintomático, alertam os pesquisadores.

A saúde, o autocuidado e hobbies são os temas para os quais a sociedade parece não dedicar muita atenção. No grupo de 25 a 34 anos, 44% destes afirmam faltar tempo para cuidar da saúde e ainda mais entrevistados de outras faixas etárias disseram não ter o tempo desejado para sair com amigos e aproveitar a vida, por exemplo.

Reduzir a velocidade pode melhorar uso do tempo

Para mudar esse dado, é preciso pensar maneiras de como sair do looping da vida em velocidade rápida para considerar mais hábitos de lazer ou incluir a saúde em primeiro lugar. Para 79%, dar atenção à saúde contribui muito para as pessoas dedicarem melhor seu tempo ao que realmente importa.

Dados refletem ainda que 48% da população dedica menos tempo do que gostariam para ler livros, no mesmo patamar dos que condicionam menos tempo do que gostariam para praticar um hobby (47%). A grande maioria, quase a totalidade – 90% – diz concordar totalmente ou em parte que os dias hoje passam mais rápido do que em seu período de infância.

A pesquisa aponta um cenário preocupante em que a comunidade está presa em círculos viciosos de distração, ansiedade e estresse, tentando concluir inúmeras tarefas e obrigações, e que acaba não conseguindo concentrar-se em nada, ou quase nada. Esta é uma das metas almejadas do Instituto Datafolha e da Eisenbahn, depois do entendimento intelectual de todos esses dados sintomáticos, o cenário delineado é que a maioria da civilização está vivendo ‘com a cabeça em outros lugares’, sem compreender grandes parcelas do momento presente.

E de modo geral, uma das reflexões que este conhecimento oferece é: o que dá forma ao futuro é a qualidade de nossa percepção no presente.

Conheça o Mundo do CX

Principais conclusões

43% dos brasileiros sentem que vive em um ritmo de vida acelerado ou muito acelerado;

26% da população relata que assiste vídeos ou ouve áudios em velocidade acelerada para sobrar tempo para resolver outras tarefas;

78% concordam totalmente ou em parte que a aceleração da tecnologia e o excesso de informações tornaram mais difícil nos concentrarmos em uma única atividade;

45% costumam mexer no telefone e redes sociais enquanto fazem outras atividades;

80% também concordam que, desde a pandemia, parece que o tempo está passando mais rápido.



+ NOTÍCIAS
Noite incrível celebra vencedores do Prêmio Consumidor Moderno
Estamos diante de um novo shopper: futuro do e-commerce é phygital

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]