Pesquisar
Close this search box.
/
/
O que as gerações mais novas esperam dos bancos?

O que as gerações mais novas esperam dos bancos?

Entre as instituições financeiras, as fintechs têm conquistado as gerações mais jovens, especialmente pelo posicionamento perante a seus clientes

Já se sabe que as gerações mais novas, como os Millennials e Geração Z estão bem engajados economicamente e demandam mudanças na maneira como são tratados pelas instituições financeiras. Segundo estudo da consultoria bancária Cornerstone Advisors, a preferência desse público tem sido as fintechs: uma a cada quatro pessoas dessa faixa etária possui contas principais em bancos digitais, o que significa dizer que os bancos tradicionais vêm perdendo clientes mais jovens.

Mas a questão é: o que esse público espera dos bancos? Quais são as exigências? O que fazer para atraí-los e fidelizá-los?

Bom, já se sabe que, além dos serviços financeiros, os Millennials desejam que os bancos representem um nicho ou estilo de vida. Isso significa dizer que as novas gerações, mais do que nunca, demandam um posicionamento das instituições financeiras. A consultoria americana destaca que, inicialmente, esses segmentos podem ser divididos com base em fintechs que representam três interesses:

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das notícias sobre a experiência do cliente

Consciência ambiental

Em um momento no qual há um alarme geral sobre preservação do meio ambiente, e já se questiona qual o papel das empresas nesses processos, as instituições financeiras que deixam claras as ações realizadas em prol da sustentabilidade se sobressaem. Um exemplo é a fintech Aspiration que, comprometida com o combate às mudanças climáticas, lançou a Medição de Impacto de Aspiração (AIM), em 2017, ferramenta que avalia as empresas sobre a forma como tratam as pessoas e o planeta.

Os clientes também recebem uma pontuação com base em seu comportamento de compra. A fintech tem atraído novos clientes desde o lançamento da ferramenta e, em 2020, a companhia lançou outros dois projetos chamativos: o Plante sua Troca, que planta uma árvore para cada compra, arredondando para o dólar mais próximo, e o Proteção do Planeta, que torna a condução dos clientes neutra, calculando o impacto de carbono em seu cartão de débito e crédito.

Consciência racial

Outro ponto que tem chamado a atenção dos consumidores mais novos é a responsabilidade social para com o planeta e os funcionários de cada instituição. No Brasil,essa demanda cresce com força, especialmente motivada pela própria diversidade étnica dentro do País e os recentes debates sobre discriminação racial.

Nos Estados Unidos, um exemplo de fintech integrada à causa é a First Boulevard, que dedicada a fechar a lacuna de riqueza racial, está desenvolvendo uma plataforma semelhante ao Spotify para educação financeira e consultoria, a ser fornecida por especialistas e consultores financeiros negros. A fintech também oferece cashback com até 5% de reembolso em compras com cartão de débito feitas em empresas participantes.

A companhia também fez parceria recentemente com a Visa para testar um conjunto de APIs de criptografia, que permitirá aos clientes comprar, custodiar e negociar ativos digitais. Desse modo, um a cada cinco afro-americanos prevê o uso de bitcoins para fazer compras no varejo nos próximos um ou dois anos — uma porcentagem mais alta do que membros de outros grupos raciais e étnicos.

Consciência de orientação sexual

O público LGBTQIA+ é um dos que tem se mostrado muito mais conscientes e engajados com a própria causa, especialmente os pertencentes à Geração Z e Millennials. Dessa forma, não estão dispostos a corroborar com instituições que acreditem que não se comprometem com a pauta.

Um exemplo de fintech comprometido com a causa é a Daylight, que fornece a seus membros LGBTQIA+ cartões com a marca Visa em seus nomes preferidos, mesmo que eles não correspondam à sua identificação legal — o que é bastante atraente à comunidade transgênero. Além disso, a fintech também permite que seus membros se conectem com um coach financeiro, diretamente do aplicativo, para saber mais sobre como sua identidade afeta seu dinheiro e para obter conselhos e orientações de um especialista em questões financeiras LGBTQIA+.

Como os bancos tradicionais devem conquistar as gerações mais jovens?

As gerações mais novas que vêm por aí vão provocar mudanças. Isso é fato. E o que pode acontecer, devido a gestões que neguem a realidade, é o sentimento de que os bancos tradicionais não precisam se adaptar a isso, pois seus números continuam subindo e suas interações com os clientes não registraram atritos alarmantes. Entretanto, estas podem ser falsas métricas.

Segundo o estudo da Cornerstone Advisors, de fato, os jovens consumidores não estão abandonando os bancos tradicionais, mas estão abrindo contas adicionais e mudando sua percepção de qual conta é a principal. Contas à ordem, especialmente aquelas de grandes bancos, são vistas hoje como lugares temporários: dinheiro das pessoas fica ali parado temporariamente antes de ir para outros lugares.

E, muitas vezes, esses lugares não são outros bancos tradicionais, mas sim fintechs de startups menores. Dessa forma, melhorar o CX de banco móvel não vai impedir o fluxo de dinheiro ou restabelecer essas instituições como provedores principais. Para revidar, os bancos devem entrar no movimento e reinventar suas ofertas de contas correntes.


+ Notícias

Bancos X Fintechs: finalmente o consumido está no centro dos negócios

Fintechs são as queridinhas pelos millennials: a nova geração quer ir além das transações financeiras

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]