Pesquisar
Close this search box.
/
/
As gerações, as escolhas de consumo e as causas sociais

As gerações, as escolhas de consumo e as causas sociais

Mais do que oferecer produtos e serviços, consumidores esperam que as marcas se posicionem e façam algo sobre as causas sociais

As causas sociais e ambientais têm impactado cada vez mais a vida das pessoas e, por consequência, influenciado suas escolhas de consumo. Ser sustentável, não usar animais para teste, ser vegana, não ter excesso de plástico, usar material menos poluente, possibilitar a reciclagem, ter uma atuação social e até um posicionamento político… essas são algumas das exigências que muitos clientes passaram a fazer na hora de dar seu dinheiro a uma marca.

Esse movimento vai de encontro com a chegada da geração Z – os nascidos entre 1995 e 2010 – ao mercado de consumo, a mais relevante quando o assunto é preocupação com causas sociais ou ambientais. De acordo com especialistas, jovens de até 24 anos chegaram para redefinir as escolhas de consumo.

Pauta do momento: as causas sociais e ambientais

No último mês de abril, o curta-metragem Salve o Ralph ganhou as redes sociais e reacendeu a discussão sobre os testes de cosméticos em animais. O vídeo, promovido pela Humane Society International (HSI), usa o personagem Ralph, um coelho, como exemplo para falar sobre as problemáticas envolvendo o mercado de beleza e viralizou nas redes, fazendo com que muitas marcas se posicionassem contra os testes e se declarassem contra a crueldade animal.

Junto a isso, muitos consumidores também passaram a cobrar e questionar as empresas sobre o assunto. Esse é um exemplo de como a percepção pública sobre um tema irá desenhar cada vez mais o rumo do consumo.

Para se ter ideia, uma pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos em parceria com o Instituto Ayrton Senna, a ESPM e a Cause reuniu dados referentes ao marketing relacionado à causa e a percepção que os consumidores têm disso. Ou seja, o estudo buscou saber o que os clientes acham de empresas que estão diretamente ligadas às causas e como isso influencia seu consumo.

Como resultado, viram que 77% das pessoas entrevistadas são totalmente favoráveis a ações de empresas relacionadas à uma causa e que isso tornaria a marca mais confiável e responsável a seus olhos. Além disso, algumas causas sociais e ambientais se destacam, como o combate à fome e pobreza (79%), proporcionar água potável e saneamento básico (69%) e oferecer educação e oportunidades de aprendizagem (63%).

De acordo com essa mesma pesquisa, para que os consumidores realmente reconheçam a marca como uma apoiadora de causas, algumas ações também são vistas como necessários, como:

● reduzir impacto ambiental;
● ser responsável na sua cadeia de valor;
● promover campanhas de doação;
● garantir a não discriminação de raça e gênero;
● garantir direitos de homens e mulheres nas comunidades locais onde opera;
● possuir programas de diversidade e comitês de inclusão;
● promover ações para seus funcionários realizarem trabalhos voluntários.

Outro ponto que ficou claro na pesquisa é que os grandes responsáveis por essa mudança são, em grande parte, os jovens. De acordo com os dados, a geração Z é uma das mais preocupadas com causas sociais e ambientais e trazem isso também para seu consumo.

Como as gerações se relacionam com isso

Segundo Daniela Penteado, especialista em tendências e comportamento na WGSN, consultoria de consumo, a maneira como as pessoas consomem mudam constantemente, por diversos motivos. “Mas as gerações são grandes impulsionadoras dessas mudanças, pois cada uma cresceu de uma maneira diferente, com costumes e valores diferentes também. E isso é percebido no consumo, na maneira como se posicionam no mundo”.

Apesar da geração Z ser a que mais busca um posicionamento social e ambiental das marcas, segundo a especialista, isso não quer dizer que sejam os únicos preocupados com o assunto. “Na verdade, atualmente vemos que todas as gerações estão preocupadas com isso e buscam consumir mais conscientemente”, afirma.

Um dos motivos para isso é o fato das gerações, hoje, terem uma diferença de comportamento cada vez menor, por conta da tecnologia, por exemplo. Uma que todos estão conectados nas mesmas redes sociais, muitos assuntos acabam se encontrando.

Para Daniela Penteado, também há o fato de as gerações conviverem entre si. “É possível encontrar, numa mesma família, membros de todas as gerações convivendo juntos diariamente. É uma avó baby boomer, pais da geração X, filhos millennials ou geração Z e até netos geração Alpha (nascidos a partir de 2010). Então, esses assuntos se mesclam no dia a dia de todos”, explica.

Para citar um exemplo que passa por todas as idades, a profissional da WGSN diz que a sustentabilidade é uma causa que ganhou força nos últimos tempos por conta da pandemia. “A situação mostrou a necessidade de se olhar para a maneira como produzimos, consumimos e nos relacionamos, pois mudou inúmeros hábitos e comportamentos. Com isso, optar por marcas mais sustentáveis tornou-se uma preocupação de todos”, diz.

O que as marcas precisam fazer

Para Daniela Penteado, empresas que ainda não olharam para as causas sociais e ambientais correm o risco de serem deixadas de lado pelo consumidor. Muitas marcas já estão voltadas a isso há algum tempo, principalmente depois dos valores ESG ganharem mais importância no mercado. A sigla refere-se às palavras Environmental, Social e Governance, ou Meio Ambiente, Social e Governança.

Os valores ESG foram discutidos pela primeira vez em 2005 e de lá para cá empresas vêm cada vez mais incorporando pautas desses temas em suas organizações. Um dos principais motivos é o fato do mercado como um todo enxergar tais medidas como positivas, o que aumenta o valor da marca. Mas, além disso, a percepção dos consumidores frente a esses valores, quando mostrados, também se tornou essencial para a relevância da empresa.

“As empresas precisam entender não apenas sobre o consumo em si, mas também sobre essas causas. Precisam saber quais discussões estão acontecendo e, além disso, se defenderem causas de verdade. Hoje em dia, não se posicionar, já é um posicionamento e os clientes enxergam dessa forma, querendo ou não”, explica.

Além disso, a especialista em comportamento também salienta um ponto importante: é preciso ser honesto e verdadeiro nas causas apoiadas. “Quando uma empresa defende uma causa, é preciso que seja algo verdadeiro e que vá de encontro com seus valores, pois se alguma ação interna ou externa ir contra o que for defendido até então, tanto o mercado quanto os consumidores perceberão que aquilo não está de acordo com o esperado”, conclui Daniela Penteado.


+ Notícias

A digitalização dos Baby Boomers e a presença da geração no mercado de consumo

O que os jovens brasileiros desejam para o futuro

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]