Pesquisar
Close this search box.
/
/
O futuro digital chegou: para o setor de seguros, é hora de agir

O futuro digital chegou: para o setor de seguros, é hora de agir

Em webinar com Stefanini e Mapfre Seguros, companhias falaram sobre as adaptações e inovações no momento de crise mundial

Muitas empresas permanecem comprometidas com a missão de amenizar os impactos da pandemia do novo coronavírus. Ao mesmo tempo, elas estão passando por uma transformação digital, usando a tecnologia como uma aliada. As adaptações a esses dois desafios geram novos hábitos e modelos de relacionamento entre marcas e consumidores.

Em webinar promovido pela Consumidor Moderno, na última segunda-feira (18), as novas circunstâncias nas empresas foram debatidas por Marco Stefanini, CEO Global da Stefanini; Luis Gutiérrez, CEO da Mapfre Seguros; e Jacques Meir, diretor-executivo de Conhecimento do Grupo Padrão, com mediação de Estela Cangerana, editora-chefe da Consumidor Moderno.

Agente acelerador 

Manter um bom atendimento é uma das características que estão ajudando as empresas a superarem os imprevistos da crise e darem continuidade aos negócios. Por isso, com o isolamento, a Mapfre continua prestando todo apoio necessário aos seus segurados por meio dos canais digitais e telefone, mas migrou a maioria de seus colaboradores para o home office.

De acordo com Luis Gutiérrez, CEO da Mapfre, apesar dos prejuízos, a pandemia surgiu como um agente que acelerou a inovação. “Eu penso que o coronavírus não é um agente de mudanças, muitas pessoas dizem isso, mas acredito que seja mais um agende acelerador. A mudança já estava por aí, todos falavam, algumas empresas estavam no início e outras mais avançadas, mas o coronavírus veio para acelerar isso tudo”, afirma ele.

Para Stefanini, o quadro de isolamento social também provocou a possibilidade de as empresas transformarem projetos que estavam engavetados. “A necessidade faz a oportunidade. Hoje temos uma necessidade de digitalizar brutalmente, então, muitas das ideias que estavam ainda sendo avaliadas pelo mercado corporativo, agora estão sendo aceleradas. No fundo, faltava um pouco mais de decisão e um empurrão que agora foi dado”, comenta o CEO Global da Stefanini.

A importância de agir

Em uma crise há alguns fatores que podem aumentar a capacidade de inovação e superação. A primeira é a necessidade de ter planejamento. Depois disso, as empresas precisam estar convencidas do realmente querem fazer, permitir novas experiências e ter empatia com o próximo.

“Em primeiro lugar temos que ter convencimento absoluto de que somos capazes de fazer e que queremos colocar em risco nossa posição. Ou seja, estamos dispostos a sair da zona de conforto. Temos que pensar de outro jeito, temos que estar dispostos a fazer as coisas de outra forma, a nos relacionarmos de outra maneira, a sermos capazes de dirigir equipes remotamente”, afirma Gutiérrez.

Além disso, períodos de conflitos são considerados uma porta para a entrada de aprendizados. Para que isso ocorra com fluidez, as companhias precisam melhorar sua capacidade de ouvir, valorizar a humanização das relações profissionais e investir em intimidade social virtual com seus clientes e parceiros de todos os “níveis”.

“O primeiro ponto é ter uma cultura, ou pelo menos procurar implantar essa cultura, de empoderamento das equipes. O segundo ponto é ter um trabalho forte de comunicação em todos os níveis. Entre equipes e CEOs de todas as regiões, ter compartilhamento de ideias e melhores práticas… a gente nunca trocou tanta informação e experiências entre nós como agora”, ressalta Stefanini.

O futuro é “fora da caixa”

wrc

Como ambas empresas possuem forte presença em outros países que viveram o combate ao coronavírus algumas semanas antes do Brasil, as mudanças para conter a contaminação e prezar pela saúde dos funcionários e clientes ocorreram mais naturalmente por aqui.

“Tivemos menos dificuldade no Brasil do que alguns companheiros tiveram em outros países antes, mas, no mundo todo conseguimos estabilizar nossas operações, prestando todos os serviços e estamos tranquilos. Agora, é o momento de continuar. Se pararmos para pensar no avanço e na produtividade no futuro, temos algumas coisas muito importantes para analisar. Por exemplo, muitas companhias nunca fizeram home office antes, algumas até tinham projetos, mas era mais operacional e existia muito preconceito em relação a paradigmas que agora se quebraram todos”, comenta Gutiérrez.

Para as companhias, a fase mais complicada já passou e agora há a necessidade de pensar como será o futuro, trabalhando para continuar a boa produtividade e merecendo a confiança e credibilidade dos consumidores.

“A primeira fase foi focada em operar bem e cuidar da saúde das pessoas; na segunda fase, em que estamos agora, precisamos pensar o futuro. É hora de ter produtividade, de aproveitar o tempo em que estamos mais produtivos e com a operação estável… para planejar e executar uma série de planos para o amanhã”, explica Marco.

Segundo Gutiérrez, o que está por vir é empolgante, pois as pessoas estão aprendendo a criar relações mais humanas. Além disso, a possibilidade de personalização está cada vez maior e as experiências adquiridas nos últimos meses, será fundamental para a evolução nos próximos anos.

“Nos momentos de maior uso de tecnologias, viramos mais humanos. No momento de estarmos mais separados, viramos colaborativos e, no momento de maior dificuldade, demostramos que qualquer coisa é possível se trabalharmos juntos (…) Sempre falamos que devemos pensar fora da caixa. Chega disso, agora é o momento de reagir, atuar e fazer fora da caixa. Chega de somente falar, prever e planejar, devemos fazer”, ressalta Luis Gutiérrez.


CONFIRA O WEBINAR COMPLETO:

medidasComo a computação em nuvem pode ser útil para o setor de saúde

Como o brasileiro está consumindo durante a crise?

Atenção: a pandemia pode estar afetando sua percepção de tempo

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]