Pesquisar
Close this search box.
/
/
A estratégia da Livraria Leitura que garante seu sucesso nas lojas físicas

A estratégia da Livraria Leitura que garante seu sucesso nas lojas físicas

Mesmo em meio à competição contra grandes e-commerces, como a Amazon, rede consegue se destacar e chega a 100 lojas físicas esse ano

O mercado editorial de livros vem passando por crises já há alguns anos. Em 2008, a crise financeira atingiu o setor; em 2018, duas grandes empresas do mercado editorial entraram em recuperação judicial (Saraiva e Cultura); e, a partir de 2020, a crise sanitária também afetou todo o varejo.

Mesmo em meio a esses acontecimentos, algumas redes vêm investindo em número de lojas, número de títulos e experiência do cliente. É o caso da Livraria Leitura, que terminou o ano de 2021 com 94 lojas físicas e pretende abrir mais seis ainda em 2022, mesmo que ainda não tenha retomado completamente as vendas do período anterior à pandemia.

Esse investimento em lojas físicas, segundo Marcus Teles, presidente das Livrarias Leitura, foi resultado da realidade do país durante a pandemia. “Muitas livrarias, inclusive de grandes redes, fecharam suas lojas em shopping durante a pandemia e encontramos nesses espaços clientes ‘órfãos’, que voltaram a frequentar, mas não encontram mais aquela loja. Então, achamos uma boa ideia colocar a Leitura ali e está sendo uma boa estratégia”, afirma.

Essa é apenas uma parte das estratégias pensadas pela empresa para se manterem com números expressivos, principalmente quando competem com grandes nomes, como a Amazon. Para Marcus Teles, é possível notar diferenças entre o que os clientes esperam das compras online e o que querem ao visitar uma livraria. E trabalhar justamente nesse ponto é um dos segredos para manter a Livraria Leitura como um nome relevante no mercado.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Lojas físicas e e-commerce

A Amazon foi criada ainda em 1994 e teve como carro-chefe a venda de livros online nos Estados Unidos. Mas o Brasil não ficou para trás: em 1996, a Livraria Cultura lançou seu próprio e-commerce e em 1997 a Leitura também entrou para o mercado digital.

“Ou seja, as vendas online não são uma novidade. Aqui no Brasil os primeiros e-commerces eram de livros também. Os números, claro, cresceram durante a pandemia por conta da situação, chegando a mais de 50% do mercado, mas com a reabertura esse número já vem se equilibrando novamente”, explica Marcus Teles.

Na visão do profissional, que também é diretor presidente da Associação Nacional de Livrarias (ANL), essa é uma realidade e não deve ser deixada de lado, sendo necessário se adaptar a ela e encontrar a melhor maneira de se destacar. O principal ponto trabalhado pela Leitura, em sua visão, é entender que comprar livros online pode ser prático e fácil, mas ir à livraria é um comportamento que envolve outras expectativas do cliente, como lazer, diversão e contato social.

“Os seres humanos são sociais. Depois de tanto tempo sem contato com outras pessoas, ir ao shopping, entrar numa livraria, pegar um livro e folhear… Tudo isso faz parte de uma experiência diferente, que incentiva as pessoas a irem até uma loja”, explica.

Um dado explicado por Marcus Teles e que mostra isso é o fato das novidades venderem mais nas lojas físicas do que no online. “A pessoa entra no site quando já sabe o livro que quer e vai diretamente nele. Mas entre esse público também há muito o comportamento de ver o que tem de novo, ter uma indicação ali do livreiro, ler a contracapa. Nesse sentido, as lojas físicas conseguem atender melhor, pois constrói essa experiência”, diz o executivo.

A experiência do cliente como grande diferencial

A experiência é, na verdade, um dos pontos principais da estratégia da empresa. Para Marcus Teles, oferecer uma experiência positiva ao cliente quando ele vai até a loja é primordial para que ele volte sempre por ali e se torne um cliente de verdade da loja. E, em tempos de compras online, é primordial que as pessoas gostem de estar naquele espaço e tenham vontade de voltar.

Mesmo com lojas menores (segundo o presidente das Livrarias Leitura, hoje tanto a Leitura quanto outras livrarias buscam espaços reduzidos se em comparação com antigamente), é possível chamar a atenção das pessoas para que elas entrem na livraria e se interessem por conferirem os livros que estão ali.

“Hoje priorizamos lojas menores, mas pensamos em atrativos para trazer essas pessoas para lá. Claro, as megalojas, com mais de mil metros quadrados, também chamam a atenção por si só. Temos uma megaloja no shopping Dom Pedro, em Campinas (o maior shopping da América Latina), que está sempre cheia. São dois pisos, sempre com muitos livros, isso chama a atenção e atrai as pessoas”, diz.

Eventos especiais também são pensados para trazer as pessoas para dentro das livrarias físicas, desde lançamentos até leituras conjuntas ou eventos para crianças. O executivo defende que a livraria é espaço de interação e sociabilidade, por isso fazer esses eventos contribui com a experiência como um todo.

“A gente entende isso como o cinema… mesmo com as videolocadoras, depois os streamings, as pessoas continuaram indo no cinema, porque é algo diferente, é um momento de lazer, assim como ler um bom livro”, compara Marcus Teles.

O fim dos livros físicos?

Segundo ele, é comum também as pessoas pensarem que os livros físicos “estão morrendo”, porém, os números não mostram isso: apenas 6% das vendas de livros são de digitais e ebooks, aponta o diretor presidente da ANL.

“Cerca de 94% das vendas são livros impressos. Então, essa ideia de que as pessoas vão deixar de ir à livraria porque só leem no digital não é uma realidade nesse momento. Até porque muita gente prefere o livro físico por vários motivos, como não precisar usar outra tela (além do celular e computador, que já são utilizados o dia todo) e ter um tempo dedicado apenas a leitura. Os digitais são práticos para a mobilidade, mas quem lê em casa, por exemplo, não precisaria de algo assim”.

De maneira geral, Marcus Teles enxerga que competir com o online é uma realidade que não vai mudar e o mercado precisa se adaptar cada vez mais a isso, encontrando maneiras de oferecer um diferencial ao seu cliente.

“Vale lembrar que, apesar de todas as crises, o mercado de livros deu uma crescida. Em 2021 vendemos mais livros que antes da pandemia. Isso mostra que as pessoas estão interessadas e querem comprar. É preciso oferecer um bom atendimento ao cliente para que ele retorne às lojas ou mesmo que compre online”, conclui.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Notícias

Concorrência no e-commerce: 6 tendências que players do mercado estão apostando 

A era do WhatsApp: o canal mais rápido para fechar uma venda 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]