Pesquisar
Close this search box.
/
/
Empresas e líderes estão prontos para lidar com o home office?

Empresas e líderes estão prontos para lidar com o home office?

Enquanto 98% dos trabalhadores preferem o home office, 69% se sentem estafados trabalhando. As empresas estão fornecendo recursos ideais aos funcionários?

É indiscutível: os moldes de trabalho nas corporações nunca mais serão os mesmos.

Com a naturalização do trabalho remoto, forçada pela pandemia de coronavírus, muitos líderes institucionais perceberam as vantagens desse modelo de trabalho ― definitivamente mais barato e econômico para as empresas, para citar apenas alguns dos benefícios. Semelhantemente, trabalhadores também aprovaram esse novo jeito de se trabalhar, e muitas estatísticas mostram aumento das taxas produtividade de equipes remotas.

Home office como tendência futura

A pesquisa State of Remote Report 2020, que investigou 3.500 trabalhadores em todo o mundo, constatou que 98% dos profissionais desejam continuar trabalhando remotamente, ao menos em uma parte do tempo, pelo resto de sua carreira. Destes, 97% recomendariam esse modelo de trabalho para as outras pessoas.

Por outro lado, o instituto de pesquisa Monster publicou, em julho, um estudo que mostra sintomas de esgotamento por parte de 69% dos funcionários em home office ― quase 20% a mais que no início de maio.

Não há de se excluir o fato de que as pessoas não estão em regime de home office ― estão em regime de isolamento. Com contextos distintos, fica difícil mensurar qual parte dessa estafa vem do modelo de trabalho em si, e qual parte vem das dores da pandemia ou a confusão dos limites entre serviço e vida pessoal.

Independentemente das razões por trás das estatísticas, o fato é que o trabalho remoto continuará como padrão em muitas empresas, seja pelos seus benefícios, seja pela iminência de futuras ondas de contágio.

Diretrizes para um home office saudável

Mas será que as companhias e seus líderes estão prontos para o trabalho remoto de longo prazo?

A Fast Company levantou três questionamentos para gestores medirem se estão fazendo o certo na hora de apoiar seus colaboradores em um período de tantas incertezas.

home office
Imagem: Sharad via Pexels

É preciso contextualizar times e funcionários

Segundo a Fast Company é essencial construir um diálogo bidirecional com os funcionários para garantir que todos se sintam ouvidos e acolhidos. Uma das táticas sugeridas é aumentar o volume de reuniões exclusivas para compartilhamento de desempenho, conclusões de projetos, dúvidas, feedbacks e possíveis inseguranças. Isso aproxima os times e reforça o sentimento de pertencimento e determinação. O importante, contudo, é que a reunião tenha um cunho muito mais pessoal e emotivo do que estritamente profissional e racional.

Mostre-se como humano e não somente como líder

Em um cenário remoto, líderes devem encorajar comunicação constante para apoiar suas equipes quando necessário, seja para ouvir dúvidas profissionais, seja para ajudar um indivíduo do grupo a organizar a agenda para que consiga equilibrar a rotina em casa com trabalho e filhos, por exemplo. É papel dos mentores oferecerem recursos que ajudem seus colegas a desenvolverem bem-estar e autocuidado durante o trabalho, mesmo que a distância.

Dê ouvidos antes de planejar o futuro

É uma exigência atual do mercado de trabalho que as rotinas profissionais possam ter atributos flexíveis. Uma pesquisa do International Workplace Group, de 2019, mostrou que 80% dos trabalhadores americanos disseram que recusariam empregos que não oferecessem opções flexíveis de trabalho. Portanto, o futuro óbvio mostra que funcionários precisar ter opções, seja de ir ao escritório um ou dois dias por semana, seja ficarem totalmente remotos.

Contudo, como indivíduos ou grupos possuem perfis e desejos distintos, é papel do empregador checar constantemente como eles estão se sentindo com seus modelos de trabalho, e fazer adaptações frequentes. Ter essas conversas e fazer planos em conjunto com os profissionais pode ajudar na construção de um ambiente de trabalho mais próspero para todos.

WhatsApp assume papel fundamental para o varejo brasileiro
3 dicas para vender experiências positivas
O comportamento das novas gerações dará fim ao e-mail?

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]