Pesquisar
Close this search box.
/
/
A parceria entre Elo e Worthix para gerar valor ao cliente com IA

A parceria entre Elo e Worthix para gerar valor ao cliente com IA

Bandeira amplia portfólios de produtos e serviços ao entender melhor o que é o valor percebido pelo consumidor

Com o objetivo de ampliar sua oferta de produtos e serviços B2B para os clientes e parceiros de negócio da companhia, a Elo, por meio da Elo Performance & Insights, estabeleceu uma parceria com a Worthix, plataforma americana de soluções de pesquisa. O objetivo é utilizar a inteligência artificial (IA) para identificar o que é valor de escolha para o cliente, com o foco na fidelização.

Nesse cenário, a LUCI, inteligência artificial da Worthix, constrói um diálogo com os clientes para entender os atributos valorizados pelo consumidor nos serviços e produtos entregues pelas empresas, assim como, direciona como estas podem evoluir a sua proposta de valor, melhorando, entre os vários fatores avaliados, atributos de produto, atendimento e marca.

“A parceria chega para complementar os serviços da Elo Performance & Insights, ampliando nosso portfólios de produtos e serviços para os nossos parceiros de negócio. A Worthix vem para entender o que de fato é valor percebido pelo consumidor, através de uma interação simples que permite entender com profundidade como podemos gerar maior valor em nossos produtos e serviços”, ressalta Mirian Priosti, diretora de Dados e Consultoria P&I da Elo.

“Essa parceria com a Elo criará um marco em uma indústria que luta por diferenciação e que sofre com ameaças constantes de disrupção. Nosso AI conversacional ajudará os Bancos e Parceiros da Elo a entenderem os principais influenciadores de decisão dos seus consumidores. O objetivo é apontar esses parceiros para uma rota contínua de inovação, sempre baseada no que é valor para o cliente. Mas não qualquer valor, valor que gera decisão de compra, que gera transação, que gera resultado e lealdade”, ressalta Guilherme Cerqueira, CEO Worthix.

A inteligência artificial como foco na fidelização de clientes

“Não é a fidelidade do consumidor que diminuiu, mas a percepção de valor mudou. Valor para o cliente é algo realmente dinâmico; muda o tempo inteiro. Mas quem muda e quem consegue causar essa mudança normalmente são fatores externos; são coisas que as empresas não controlam que mudam a percepção de valor do cliente. Por consequência, muda a fidelidade dele”, explica Cerqueira.

“Quando você faz pesquisas tradicionais, normalmente a pergunta sai de dentro da empresa para o cliente. Aqui, usamos do cliente para empresa, porque se torna possível medir e entender esse consumidor. Quando é usada a IA, é possível ter um olhar diferente, porque passamos a ver o que de fato é valor para o cliente, proposta de valor do produto para o cliente. Assim, entendemos o que gera valor, e assim construímos o produto a partir do que de fato fideliza o e faz o consumidor voltar mais vezes”, complementa Priosti.

Atualmente, quando a empresa busca ouvir o consumidor, ela pode escolher fazer isso por meio de um estudo qualitativo ou quantitativo. Porém, no último caso, os questionários são pré-desenhados. Sendo assim, alguns pontos ficam de fora, porque as questões foram geradas pela empresa. Além disso, não acontece uma segmentação que diferencie o público, seja por idade ou região, mas todos são tratados de uma forma generalizada, quando o ideal seria focar em suas particularidades.

“Ao trazer a IA para essa realidade, as empresas são empoderadas a fazerem pesquisas qualitativas, mas em uma escala quantitativa. Assim, é possível ser mais empático e conseguir ouvir o cliente em larga escala, mas com conversas individuais. Com a IA a Elo vai conseguir trazer para os parceiros o poder de não ouvir o cliente como todo mundo igual, mas ouvir individualmente centenas de milhares ou milhões de clientes com base no que é valor para eles”, pontua Cerqueira.

Outro ponto abordado pelas empresas é a importância de perceber o consumidor como único naquilo que ele valoriza, independentemente do canal usado. A empresa precisa saber quem é seu público, bem como saber os desejos desse cliente, para que seja feita a entrega de forma individual. Isso pode ser viabilizado com o uso da IA, e assim gerar o valor que o cliente espera, através da empatia em escala.

“Quanto mais empática a empresa conseguir ser, quanto mais ela conseguir casar dado transaciona com a voz do cliente, alinhar isso como entrega de valor e conseguir gerar sensação de empatia, mais ela vai conseguir entregar valor para cliente e melhor vai ser o uso da IA. Ou seja, usará a IA para potencializar, gerar venda e lealdade”, pontua Cerqueira.

“Hoje trabalhamos no time dela performance e insights é de fato entender esses dados transacionais dos nossos parceiros. Temos uma riqueza de 4.6 bilhões de transações que nos permitem entender esse dado e, de fato, o que as pessoas estão consumindo, e tentando conectar com o que elas sentem. É isso que a IA consegue captar”, reforça a diretora de Dados e Consultoria P&I da Elo.

Nessa parceria entre a Elo e a Worthix para entender o que é valor para o cliente, a IA é feita uma análise profunda para conhecer os clientes.  É combinado o dado transacional para entender o comportamento, enquanto a inteligência artificial ajuda a complementar e gerar uma proposta de valor que fideliza, que converte, que melhora a experiência de atendimento.

“Se eu entender que a combinação do dado transacional, onde de fato conseguimos segmentar para tratar o cliente um a um, se eu entendo de fato a voz dele e como ele se relaciona com a minha marca, tenho a combinação perfeita. Assim, consigo de fato transformar isso em ação prática. Temos que ter técnicas diversas para realmente conseguir estruturar os dados da forma mais correta, mais assertiva, que estatisticamente faça sentido e que nos permitam prever o que de fato precisamos prever. Se você fizer uma segmentação errada, você põe todo o teu trabalho de IA abaixo, porque você não está com um público ou equilibrado da forma que se precisa. É necessário equilibrar bem o que busco para selecionar de fato aquilo que faz sentido”, finaliza Priosti.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]