Pesquisar
Close this search box.
/
/
Economia compartilhada: um conceito admirado por todas as gerações

Economia compartilhada: um conceito admirado por todas as gerações

Os Millennials podem até ser a geração que mais abraça a economia compartilhada, mas o fato é que sua comodidade encanta todos os consumidores

 

Pode-se dizer que a economia compartilhada é uma grande paixão dos Millennials. Para uma geração que prefere a experiência no lugar da posse, esse tipo de plataforma facilitou muito a vida. Bruno Rondani, fundador e CEO da 100 open startups, contou durante o Congresso Nacional das Relações Empresa-Cliente 2017 (CONAREC) que consegue observar a mudança dento de casa: ele tem cinco filhos Millennials.

A visão de não precisar ter, mas usufruir, é parte integral da mente desses indivíduos – e isso impacta diretamente os negócios. “Como é atuar em um mercado assim?”, questionou aos participantes do painel “Pensando fora da caixa: a era do consumidor compartilhado”.

Allan Szacher, fundador, idealizador, curador e diretor de Arte e Conteúdo da ZUPI, explicou que sua revista de arte e design começou online –porque não tinha verba. Em uma época que pouca gente conhecia o ambiente digital. “Naquela época, tinha três ou quatro meios de comunicação que falavam do nosso ramo, arte, design gráfico, ilustração. Com o tempo, as pessoas foram ficando mais conectadas, apareceu mais conteúdo para as pessoas lerem. Foram aparecendo aplicativos, tablets, que revolucionaram a forma de consumir conteúdo”, contou. “O mundo de hoje com tantas inovações tecnológicas, seja para pegar carona, compartilhar o carro, vem para auxiliar as pessoas de todas as gerações”, analisou.

Facilidade

Tecnologias voltadas para o deslocamento nas cidades são parte dos grandes expoentes da cultura compartilhada. Antonio H. Neto Piccinini, carpool project manager da Moovit, explica que é uma empresa voltada a mobilidade urbana. “Todo mundo precisa se locomover, os Millennials são early adopters sim, mas a medida que o serviço é útil, todo mundo começa a usar”, destacou. “Muitas vezes, é difícil chegar a uma cidade desconhecida e se locomover então nós viemos para facilitar”.

Atualmente, a empresa tem até uma comunidade de usuários que querem levar o app para sua cidade, colaborando para que as informações chegam na plataforma. Dessa forma, Piccini afirmou que o alvo do app não é uma determinada geração, seu propósito é ajudar a todos. A geração mais conectada acaba impactada primeiro naturalmente, mas o objetivo não é apenas esse. “Se o serviço for simples e útil, ele se expande”.

A empresa recentemente criou o Moovit carpool, uma forma de dar carona pelo app. Ele, inclusive, tem integração com linhas de transporte publico. “O usuário pode pegar carona até um terminal e dali seguir sua viagem. Nós queremos auxiliar a comunidade, trazer soluções”, destacou.

Essa nova geração é aberta a testar esses modelos – pelo simples fato de que é mais barato. É mais barato, muitas vezes, reservar um Airbnb do que um hotel. O mesmo se aplica ao uso do Moovit. E essa facilidade faz com que toda a comunidade abrace a inovação.

Desafios

Uma das grandes dificuldades que a economia compartilhada enfrenta é a questão da confiança. Os usuários são cautelosos e pensam muito em sua segurança. Porém, se o modelo for bem feito, a ferramenta prospera, conforme lembra Koen de Beer, diretor de Inovação da TRADAQ. “No início é bastante difícil para esse tipo de serviço compartilhado. Mas mostrando uma boa experiência, a empresa consegue ganhar consistência”, disse. “A confiança no mundo versátil, móvel, não é fácil de administrar, mas é possível”, analisou.

O mediador lembrou que mesmo com o problema de falta de confiança, existem alguns serviços que conseguem qualificar o nível de serviço na comunidade: as análises dos usuários. “Existe um risco grande de você como pessoa quebrar por essa reputação. As marcas tem reputações a zelar, existem alguns desafios para colocar novas equipes para lidar com esse processo”.

Nesse sentido, a Moovit acredita que existem três pontos da reputação – é necessário confiar na ideia, confiar na plataforma (com reputação e número de ratings, por exemplo) e confiar nas pessoas. A confiança entre as pessoas sempre existiu e vai mudando entre as plataformas. “O que te faz confiar no aluguel do Airbnb? A pessoa confia na ideia, confia na plataforma e no fim confia nas pessoas. Isso cria a cultura. Isso é uma questão que vai crescendo ao longo do tempo, é demorado, são passos largos”, concluiu.

*Confira a cobertura completa do evento aqui

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]