Pesquisar
Close this search box.
/
/
Digitalização sem volta: por que o varejo nunca mais será como antes?

Digitalização sem volta: por que o varejo nunca mais será como antes?

Executivos dos principais grupos varejistas do Brasil discutiram o futuro do setor, além dos valores buscados pelo consumidor atual

Primeiro veio o e-commerce e muitos varejistas não se convenceram do potencial do digital. Na sequência vieram os apps, mobile commerce, uso do digital nas lojas físicas, marketplaces e ainda assim, muitos varejistas acreditavam que o comércio eletrônico não era tão promissor. Até que chegou a pandemia, e com ela, um tsunami que fechou o varejo físico e arremessou consumidores e empresas a uma imersão digital sem precedentes. 

Agora, o setor precisará assumir que o digital é parte integrante do negócio tanto quanto estoque, logística, custos e margens. Plataformas, análise de dados, experiência, segurança e fluidez na transição entre lojas físicas e virtuais são pressupostos de sobrevivência e exigência dos consumidores.

Para aprofundar neste tema, o CONAREC 2020 contou com o mediador José Barral, sócio-proprietário da Cendon & Barral Assessoria e Consultoria Administrativa, e que possui 35 anos de experiência no varejo, e os painelistas Daniel Knopfholz, diretor de Tecnologia da Informação do Grupo Boticário, há 15 anos na empresa, Rodrigo Pimentel, diretor de E-commerce Alimentar do GPA, com 25 anos de companhia e autointitulado um varejista e Carlos Busch, vice-presidente de Vendas da Salesforce.

Sem volta do digital

Na abertura da discussão, o vice-presidente de Vendas da Salesforce reforçou que há uma transformação em curso na sociedade acelerada pela pandemia. “A gente vê uma evolução em dois grandes pilares: percepção de valor (que começou com produtos acabados, passou para a customização e hoje está em experiência) e o pilar das revoluções”, comentou.

Para Busch a terceira revolução foi a da digitalização, porém a quarta revolução é a da inteligência e complementou:

 “Ao ter uma plataforma que entrega experiência, você será o protagonista deste mercado. Cheguei a ver análises de projeções de até sete anos em seis meses, durante a pandemia.”

No Grupo Pão de Açúcar (GPA) a atuação no digital começou em 1995 e a inovação sempre fez parte do DNA da companhia, de acordo com Pimentel. “Há quatro anos estamos colocando este ativo a serviço do cliente, para melhorar a experiencia dele e fazer uma transformação digital. Tudo começa e termina com um cliente.” 

O executivo enxerga a transformação digital em duas premissas: reduzir os custos e melhorar a experiência do consumidor. Ele ainda compartilhou que o e-commerce do GPA chegará ao faturamento de R$ 1 bilhão, com 500.000 pedidos por mês neste ano.

Knopfholz disse que a empresa de cosméticos investe há anos em multicanais e, agora, com a aceleração causada pela pandemia do novo coronavírus não foi só o canal digital, mas principalmente a multicanalidade que passou a ser o foco.

“Entendemos que os consumidores escolhem marcas e não canais. A paixão pela loja teve que ser transferida para o e-commerce e no final para o cliente”, diz o diretor de Tecnologia Informação do Grupo Boticário.

“O cliente transita por todos os canais com liberdade e pode escolher (loja, venda direta, e-commerce e você também precisa vender por aplicativo e serviço de mensagem”, completou. O executivo acredita que a nossa era não é a de canais digitais, mas sim a da tecnologia como facilitadora para garantir as diferentes jornadas dos clientes e os seus desejos.

Varejo on e off

Como colocou o sócio-proprietário da Cendon & Barral Assessoria e Consultoria Administrativa um dos principais problemas na ação do varejo on e off é: a ruptura física. Na visão do diretor de E-commerce Alimentar do GPA, esta integração acontece quando a empresa pega o seu ativo e o coloca em serviço do cliente. Ele ainda descreveu como isso acontece na prática nas empresas do grupo: “Toda venda que vai para uma loja, ela é contabilizada como saindo desta loja. Assim, o gerente passa a apoiar o e-commerce. Nós vamos estar onde o cliente estiver.” O executivo exaltou que esta mentalidade foi um game changer na empresa.

Na sequência, Knopfholz abordou que o mais importante é atender o cliente da forma, como, onde e da forma mais fácil, com respeito aos stakeholders. “Hoje a nossa revendedora tem alguns canais digitais de venda. Até fora da empresa ela pode criar o próprio canal, Mas criamos um catálogo digital  no aplicativo para a revendedora que quer publicar os produtos. Neste canal o consumidor realiza a sua compra através de um link. E estamos integrando o WhatsApp para realizar o pedido e fazer parte desta área integrada”, comentou o diretor de Tecnologia Informação do Grupo Boticário.

Futuro do setor

De acordo com Busc:, “O Brasil tem uma das indústrias de varejo mais evoluídas no mundo. O que vemos muito para os próximos tempos é a busca de entregar mais experiência e uma empresa com mais inteligência. O que mudará será o mindset das companhias. Hoje, vemos que todo investimento em tecnologia é para analisar informações.

“Atender bem o cliente, junto com transacionar com mais pessoas sem atrito, é uma grande oportunidade para surfar. Não é só ter um site ou vender pelo WhatsApp”, completa o vice-presidente de Vendas da Salesforce.

Já para o diretor de E-commerce Alimentar do GPA, há muita ansiedade por todos os lados e a única certeza que se tem é que o cenário vai permanecer em mudança. “Precisamos ter muito claro as jornadas dos clientes. Se o seu cliente quer receber em 30 minutos e você não consegue, você precisa dar um jeito nisso”, disse Pimentel.

“Não é copiar o que está sendo feito por outros. Entenda o cliente e depois ofereça o serviço”, complementou.

O diretor de Tecnologia da Informação do Grupo Boticário adicionou que, o 5G também será um agente desta constante alternância no varejo, uma vez que esta nova tecnologia acelerará novos problemas e novos desejos.  Ele aconselhou que os profissionais se apaixonem pelos problemas que necessitam de soluções para os clientes.

Barral concluiu o painel apontando que os prazos diminuíram e as mudanças sempre vão existir: “A velocidade será cada vez maior e precisaremos preparar as pessoas dentro das empresas. Tem que ter gente apaixonada pelo problema.” 


+ CONAREC 2020 

O mundo VUCA de verdade começa agora: como enfrentá-lo?

Qual o grande motor de persuasão dos consumidores?

Como a pandemia transformou o comportamento emocional e instintivo do consumidor

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]