Pesquisar
Close this search box.
/
/
Depressão em jovens cresce desde o início do isolamento; saiba identificar

Depressão em jovens cresce desde o início do isolamento; saiba identificar

Segundo pesquisa, 77% dos adolescentes relataram tristeza, ansiedade, angústia ou sobrecarga emocional

O aumento de casos de depressão em jovens e crianças tem sido pauta de estudos nacionais e internacionais, devido ao aumento de sua prevalência nos últimos anos. Em tempos de pandemia mundial, as consequências da reclusão parecem ter aumentado ainda mais os quadros relacionados à saúde mental nessa faixa etária.

Segundo dados fornecido pelo Google, houve alta de 98% nas buscas sobre angústia, ansiedade e depressão nem 2020, ante a média verificada nos 10 anos anteriores.

Outra pesquisa, desenvolvida no Brasil pela Fundação Lemman em parceria com o Itaú Social, aponta mais um dado alarmante: 77% dos estudantes relatavam sentimento de tristeza, ansiedade, ou sobrecarga emocional. Em época de Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio, é ainda mais importante debater o assunto.

Jovens necessitam de maior atenção

Conforme explica a psicóloga Giulianna Ruiz, a adolescência é um momento da vida em que as pessoas passam por grandes transformações. “Os hormônios estão à flor da pele, é um momento de grandes mudanças e decisões. Essas modificações não passam apenas pelas ‘formas do corpo’, mas pelo estilo de vida, descobertas relacionadas à sexualidade, tomadas de decisões sobre o futuro profissional, mais autonomia e ainda pouca liberdade, bem como a pouca experiência para lidar com situações”, explica.

“Desde o início do isolamento, as crianças têm sido diagnosticadas com aumento de ansiedade e depressão leve. Nesse período está difícil fugir dessa possibilidade, já que todos tivemos que mudar radicalmente as nossas rotinas, planos, objetivos, convivência, distrações, diversão… Existem pesquisas dizendo que a quarta onda da pandemia será a depressão, e isso pode acontecer em todas as idades.”

Com a impossibilidade de desfrutar da socialização escolar, de comparecer a festas, atividades de lazer e praticar exercícios em grupo — questões que geralmente fazem parte da rotina do jovem — o adolescente tem maiores tendências a desenvolver problemas de saúde mental.

“As atividades escolares presenciais, além de serem uma ótima tarefa para a rotina e novos aprendizados, também proporcionam a socialização com os amigos. As festas são momentos onde os jovens se sentem mais livres e dentro do seu grupo, podendo trocar ideias que não trocam na presença de adultos, com menos críticas ou restrições”, aponta a psicóloga.

Como identificar depressão e ansiedade nessa idade?

Muitas vezes os familiares têm dificuldade em comprovar o quadro depressivo dos filhos. Isso porque jovens e adolescentes costumam ter dificuldade na hora de se expressar. Mas, apesar de o diagnóstico efetivo necessitar de um acompanhamento multidisciplinar com profissionais da saúde, alguns sinais podem ajudar os pais a identificar os problemas para encaminhar ao tratamento adequado. A psicóloga Giulianna Ruiz cita alguns sinais de alerta:

  • Isolamento;
  • Falta de interesse por atividades que antes eram prazerosas;
  • Irritabilidade sem motivos aparentes;
  • Falta de concentração;
  • Mudança na alimentação e sono;
  • Queixas sobre sentimento de inadequação, exclusão, rejeição e manifestações suicidas.

Tecnologia em excesso: problema ou solução

As telas têm sido grandes aliadas nesse período de isolamento. Possibilitam aos jovens certa aproximação com os amigos, familiares, além de viabilizar o acesso às disciplinas escolares. Mas, como tudo em excesso é prejudicial, pode aumentar a dependência dos jovens em relação à tecnologia.

“A tecnologia, de maneira geral, traz respostas e informações de maneira muito rápida e novidades a todo momento. Isso pode contribuir para o aumento da ansiedade dos jovens e dos adultos também, além de impactar a maneira como eles lidam com as questões da vida, que normalmente não se resolvem com a mesma velocidade do que acontece online”.

Sobre a questão, é possível discorrer ainda sobre as distorções que o mundo conectado pode trazer às jovens mentes ainda não completamente desenvolvidas.

“Nas telas, normalmente, as coisas aparecem de forma mais ‘maquiadas’ e, na vida real, vivemos os bastidores, com a ‘mão na massa’, os conflitos, negociações, tempo de espera; então, por si só, a tecnologia pode ser prejudicial caso não seja bem administrada”.

Segundo Giulianna, é importante aprender a dividir a energia e o foco, de forma que momentos sejam separados para distrações, obrigações, diversões, entre outras coisas.

É possível ser flexível?

A discussão sobre a rigidez no respeito às medidas de isolamento levantam sempre discussões. Na opinião da psicóloga, sobretudo em se tratando dos jovens —  geralmente não associados a fatores de risco — , a saída eventual pode ocorrer, desde que feita de maneira responsável.

“Eu acredito que, com cautela, é possível ser um pouco flexível. As atividades externas têm sido as mais indicadas, principalmente porque permitem o distanciamento entre as pessoas, como caminhadas, corridas e práticas de exercícios ao ar livre.”

Fundamental, porém, tomar as devidas medidas orientadas pelos profissionais da saúde, como higienizar as mãos constantemente e utilizar máscaras de proteção.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]