Pesquisar
Close this search box.
/
/
Dados serão mais importante para varejistas do que o produto

Dados serão mais importante para varejistas do que o produto

Encontro promovido pelo Grupo Padrão debateu os desafios da transformação digital e da inovação no varejo

No último estudo global Unisys Security Index, de 2018, 76% dos entrevistados disseram estar seriamente preocupados com o roubo de identidade na internet e 58% não confiam que a nova Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPDP) no Brasil trará os avanços necessários para proteger dados mantidos por organizações. As anotações da pesquisa servem de alerta para varejistas e fornecedores de soluções ao varejo. É certo que dados serão o negócio do varejo do futuro e resta aos varejistas equilibrar como vão trabalhar com a transformação digital em sua estratégia tendo em vista, além do receio e desconfiança dos consumidores, outros desafios como infraestrutura e cultura corporativa.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

Essas foram as provocações levantadas no Ciclo de Encontros NOVAREJO, promovido nesta terça-feira (30) pelo Grupo Padrão, que contou com a participação de Marcus Luz, VP Comercial para a América Latina da Unisys; Antônio Martins, da Unisys; Ana Pfeifer, Unisys; Fernando Fanizzi, CEO da Óticas Diniz; Juliana Sinatora e João Marcelo Costa, marketing e CIO da Pernambucanas; Amanda Moro, responsável pela transformação digital no Carrefour; Aline Sales, da Ricardo Eletro; e Diogo Carvalho, da Samsung, mediados por Jacques Meir, diretor de Conhecimento e Conteúdo do Grupo Padrão.

Antônio Martins lembra que para entender o momento certo da abordagem e da venda e da jornada do cliente, precisa-se de dados e de analitycs, por isso a importância desse asset nas operações, mas que agora precisa ser adequada ao que determinam as novas legislações brasileira e europeia de proteção de dados pessoais.  “Lembrando o quanto é importante saber o que o cliente permite capturar de seus dados”, comenta Ana Pfeifer, da Unisys.

“Estamos fazendo uma experiência em uma loja em são Paulo para entender o cliente que sai sem levar nada. Pra ter uma assertividade em saber o que a gente não ofereceu, se foi preço, experiência ou produto”, conta Fernando Fanizzi, da Óticas Diniz e ilustra a importância da captura e gestão dos dados no varejo. “Conhecemos bem o cliente no e-commerce, agora temos condições de saber quem está na loja física. Importante ressaltar que há dados que podem ser analisados identificando ou não identificando o cliente”, afirma Antônio.

Em relação às fraudes, os executivos lembram que segurança existe, com muitos testes e simulações diárias, mas que muitas vezes o problema pode estar ainda no mundo físico. “Metade dos nossos casos de fraude são daquelas pessoas que usam o cartão de crédito de algum amigo, colega do trabalho ou familiar, sem o conhecimento da pessoa”, conta Aline Sales, da Ricardo Eletro. Situação que tenderá a desaparecer quando se popularizar a segurança por reconhecimento facial e de voz.

Cultura corporativa

“O grande desafio da transformação digital é a mudança de processo, o changing managment, pois a tecnologia já tem”, acredita Marcus Luz, da Unisys. “Digitalizar algo no legado é um trabalho muito maior”, disse. Por isso, completou, Fernando, da Óticas Diniz, o CIO deve ser a interface entre os mundos, tanto de fora da empresa para dentro como das áreas para próximo de si. “Falar em inovação e não falar em marketing, por exemplo, é impossível”, disse.

O Carrefour e a Pernambucanas são dois cases sobre o processo de transformação digital em empresas tradicionais, com legado. O primeiro é de um grupo estrangeiro e de alimentação. A segunda é brasileira, do setor de moda e artigos para a casa. Mas ambas registram anos de história – Pernambucanas centenária – e estão enfrentando a quebra de paradigmas internos. Nas duas, o processo envolve conversas e mesas redondas desde com os executivos, passando por colabores e clientes para entender os anseios e expectativas de todos com o novo varejo.

Para agilizar o processo – e agilidade é outra palavra-chave do varejo digital – o Carrefour definiu um plano ambicioso em que realiza a transformação digital em três pilares ao mesmo tempo: com os clientes, nas operações e na eficiência. “A missão do Carrefour é se tornar uma empresa digital”, afirma Amanda Moro.

Já Pernambucanas criou há menos de dois anos o seu Lab que coloca na operação uma inovação a cada três meses em média. “Não temos POC nem protótipos ou pilotos. Tudo fazemos o roll out direto tem coisa que temos que ser prático. Pra isso, não tomamos as decisões com muita gente na mesa. Em geral é com alta liderança, com pouca gente e com exemplos”, conta João Marcelo, CIO da varejista. João exemplificou com o case dos cartões Pernambucanas. A empresa armou seus colaboradores com tablets que reduziram o processo de adesão ao cartão de 30 a 40 minutos para sete. “Temos os clientes antigos, mas temos uma nova geração chegando que precisamos incorporar à empresa. Claro que corremos risco, mas inovar é correr riscos”, declarou o CIO.

O app da Pernambucanas também ilustra outro case, dessa vez, sobre quais seriam os de gatilhos da inovação. “Temos que trabalhar no processo de convencimento, somos também uma financeira, então a primeira alavanca quando começamos a falar de transformação digital foi de redução de despesa, no momento de criar o app, no final de 2016, em que apontamos o quanto gastávamos com papel e boleto”, relatou João Marcelo.

“Quando falamos de transformação digital, há necessidade de um objetivo, quem define o objetivo? Ele é proposto pelo time de TI ou pelo board? Precisa entender de onde vem e quem define os objetivos e como a tecnologia entra para atender o objetivo proposto”, provocou Jacques Meir.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]