Pesquisar
Close this search box.
/
/
Diário da quarentena em Barcelona: uma nova rotina do dia para a noite

Diário da quarentena em Barcelona: uma nova rotina do dia para a noite

Jornalista brasileira que está morando na Espanha conta relato pessoal sobre os dias sem sair de casa e adaptações

No último domingo, dia 15 de março, meu celular me mostrou a seguinte notificação: “O seu tempo de uso aumentou 131%”. Seria chocante um crescimento dessa magnitude se não fosse pelo atual momento em vivemos: a pandemia global do novo coronavírus. Atualmente moro em Barcelona, na Espanha. Cheguei ao país no comecinho de fevereiro porque vou cursar um mestrado. Sou jornalista há mais de 15 anos e desde início da minha carreira trabalho com o digital.

Mídias sociais? Hard user. Newsletter? Assino umas 20. Messenger instalados no celular? Uso até o do Linkedin. Mas mesmo assim, quase nunca ultrapasso o limite de 5 horas por dia (que já é alto) imposto como regra no meu smartphone. Em dois dias, porém, fiquei colada na telinha buscando as últimas atualizações para a situação na Catalunha.

Os números se devem ao #EstadodeAlarma, a designação para as medidas de emergência imposta em todo país pelo presidente do governo espanhol Pedro Sánchez. A medida foi tomada no sábado (14). A partir de então, restringiu-se totalmente a movimentação dos cidadãos – e a gente só pode sair de casa para trabalhar (caso não tenha sido dispensado ou esteja de home office), ir à farmácia, ao supermercado, ou seja, uma urgência.

Lojas, bares, restaurantes, escolas, universidades, órgãos públicos, tudo está fechado. Deliveries de comida e compras do mercado chegam aos prédios de pouco em pouco. Mas nada de ir visitar o amigo, ficar passeando na praça, dar uma caminhada no parque. É isolamento que chama. E a medida foi tomada porque a Espanha passou, em poucos dias, a ocupar o quarto lugar na lista de países do mundo com maior número de pessoas infectadas – atualmente, mais de 11.700. E cerca de 533 mortos. Ao terminar de ler esse texto, você sabe, essa quantidade já terá se alterado para mais, infelizmente.

A notícia do dia em muitos periódicos europeus hoje é a mea culpa que os líderes do bloco estão fazendo por terem demorado para tomar medidas extremas. Faz dois dias apenas que a França também aderiu à restrição mais cerrada. E isso fez toda a diferença para a Europa se tornar o polo global da pandemia – e não mais a China.

A situação na Itália é das mais catastróficas: as medidas restritivas foram aplicadas pouco a pouco, de modo que a população não compreendeu a gravidade da situação. A até 10 dias atrás, happy hours bombavam em cidades como Milão, epicentro da contaminação na região norte do país.

Por aqui, em Barcelona, o mês de fevereiro avançou sem que nenhuma medida mais dura fosse tomada. Teve Carnaval de rua, aulas nas escolas, pontos turísticos lotados. Dia 8 de março eu mesma fui à passeata do Dia da Mulher, que foi enorme. Norte-americanos, italianos, ingleses… Minha rua, que fica no bairro Gótico, era uma Babel de idiomas ouvidos da sacada. Com o passar dos dias e conforme a situação italiana ia piorando, esses ruidosos visitantes foram sumindo. Desde 10 de março, porém, o comércio já sentia a queda de visitantes. Foi quando as notícias se intensificaram. Ainda assim, devo dizer, apenas no dia 11 (justamente meu aniversário), o governo espanhol passou a tomar mais medidas com o decreto oficial de situação de pandemia por Covid-19 dado pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

TRABALHO REMOTO + HOME OFFICE + APPS

Eu estou em isolamento, é verdade. Só que ele é bem mais físico, ou seja, de conviver com outras pessoas. Falo com gente o tempo todo – via FaceTime, Instagram, Whatsapp, Facebook… E-mails ajustam as entregas de texto, curadorias, pautas da semana. Através do Spotify escuto uma série de podcasts praticamente o dia todo. Só paro quando escrevo. Baixei um app de audiolivros para poder dar conta dos clássicos que nunca lerei em papel, mas posso ouvir enquanto cozinho. E de noite, quando meu expediente acaba, conecto no streaming da Netflix, da Amazon ou da Apple TV+ para ver filmes, séries ou aquele documentário mais cabeçudo.

De fato, sem essas tecnologias, aí sim eu vou dizer: seria bem mais complexo, difícil mesmo, enfrentar a quarentena. Porque é usando eles que posso falar com a minha família no Brasil, dar oi aos amigos, produzir conteúdo no meu perfil de Instagram (@lucyborges) e trabalhar. Sei que muita gente está com medo, se sentindo ansiosa e até perdida: os efeitos econômicos que vêm por aí, assim que o vírus deixar de ser uma ameaça tão poderosa, são de assustar.

Porém, é melhor viver um dia de cada vez. A mudança brusca de rotina que espanhóis, franceses, italianos – e antes deles chineses – que todos no mundo vivem só vêm confirmar que desenharemos o futuro à medida que ele chegue. Tem quem fale em saques de comida, roubos, derrocada social. Mas o que tem ocorrido pelas cidades é uma corrente forte de solidariedade, colaboração, de respeito à regra de não sair em público, de doação de dinheiro, tempo e comida para os mais desfavorecidos nessa epidemia toda. Enfim, o lado da humanidade que dá gosto de ver.

Chegou a hora no Brasil para colaborar com a frase que aqui virou mantra: #quedateencasa. Para o seu bem, dos seus funcionários, dos seus chefes, da sua família e de mais um montão de gente, fique em casa. Se previna do coronavírus!

Coronavírus: João Doria sugere fechamento de shoppings na Grande São Paulo
Newsletter ganha força em tempos de caos e pode ajudar marcas a falarem sobre coronavírus
Home office por conta do coronavírus? Veja dicas para facilitar o trabalho remoto
Coronavírus afeta comportamento do consumidor

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]