Pesquisar
Close this search box.
/
/
A solidão conectada: como lidar com o novo perfil do consumidor no pós-pandemia?

A solidão conectada: como lidar com o novo perfil do consumidor no pós-pandemia?

A expansão do consumo pelos canais digitais foi acelerada de forma irreversível, mas o olhar humano deve continuar permeando as relações com os clientes

Durante a pandemia de covid-19, todos nós fomos obrigados a passar bem mais tempo dentro de casa, muitas vezes sozinhos, mas não necessariamente isolados. A internet, as redes sociais e os smartphones ajudaram as pessoas a se conectar, a se aproximar de amigos e parentes, mesmo que de forma virtual. Isso também forçou muitas empresas a repensar e reformular a maneira de chegar até o consumidor, já que o ambiente online substituiu inúmeras tarefas presenciais.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Para se ter uma ideia de como esse impacto foi intenso, uma pesquisa da Ebit Nielsen – a maior plataforma de opinião de consumidores do Brasilmostra que 13 milhões de brasileiros fizeram a sua primeira compra online em 2020, ano em que a Organização das Nações Unidas (ONU) decretou a pandemia de covid-19.

Diante dessa real mudança de hábitos das pessoas, um dos painéis do Conarec discutiu o tema “A solidão conectada: como lidar com o novo perfil do consumidor no pós-pandemia”. O evento virtual contou com as presenças de PH Campos, diretor de costumer care operations da TIM, e Michel Rodrigues, diretor de relacionamento com clientes do portal UOL, com mediação de Rebeca de Moraes, pesquisadora de tendências do Grupo Consumoteca.

solidão
PH Campos, Michel Rodrigues e Rebeca de Moraes em painel do Conarec 2021 | Foto: Grupo Padrão

A busca por soluções para atender a conveniência do cliente

De acordo com PH Campos, no início da pandemia houve uma migração muito grande dos clientes da TIM para os serviços oferecidos de forma digital. Com o tempo, diante das restrições impostas à população por governos estaduais e municipais, e do próprio medo das pessoas de contrair a doença, o movimento nas lojas físicas caiu e muitas unidades acabaram sendo fechadas.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

“No início, os canais online foram forçadamente acelerados, mas depois a gente percebeu que o consumidor gostou do canal virtual. E na TIM nós também estimulamos muito o que a gente chama de coragem digital em todos os setores. Ou seja, buscar o digital como uma solução para a conveniência do cliente. E a gente percebeu que tinha oportunidade em todas as áreas, não só no atendimento ao cliente e na parte de vendas”, observa o diretor da TIM.

Campos toma o cuidado de acrescentar que isso não significa que o “atendimento humano” tenha perdido importância. E sim que a empresa precisou fazer adaptações para atender a uma demanda dos clientes. “As pessoas passaram a gostar de resolver as suas necessidades sem precisar sair de casa, através do aplicativo e do atendimento pelo chat, por exemplo. A busca por essas ferramentas aumentou exponencialmente na TIM. Houve reflexos positivos inclusive no NPS (Net Promoter Score – ferramenta que mede a fidelização do cliente) da empresa”, ressalta.

Atendimento digital x humano: não pode ser uma competição

O diretor de relacionamento com clientes do UOL, Michel Rodrigues, fez uma observação interessante, intrínseca ao perfil naturalmente digital da empresa por ser um portal de notícias na internet.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

“Pelo fato de nós termos nascido no modo digital, é comum se pensar que os nossos clientes estão totalmente acostumados com esse ambiente. Mas por outro lado, o UOL tem 25 anos, o que significa que nós temos clientes de todas as idades, inclusive da faixa ‘80 mais’. E muitas dessas pessoas fazem questão do atendimento humano, de falar com os nossos agentes. Mesmo que seja, por exemplo, só pra ter acesso à segunda via de uma fatura, que está facilmente disponível nos canais digitais da empresa”, observa.

Com a pandemia, a necessidade de preservar a saúde dos funcionários fez com que a empresa investisse pesado em projetos de autosserviço para os clientes. “Quem escolhe o canal é o cliente, e a gente tem que se adaptar pra atender bem. Mas nós percebemos uma maior disposição das pessoas em usar os canais digitais pra resolver suas demandas. Muitas questões menos complexas passaram a ser resolvidas dessa forma. Por outro lado, aumentou o tempo de atendimento dos agentes em situações mais complexas. Talvez por uma necessidade de quem está sozinho de falar com outras pessoas”, observa Michel Rodrigues.

Uma equação desafiadora: pessoas hiperconectadas com necessidades de vínculos sociais

A partir dessa constatação, a mediadora do painel, Rebeca de Moraes, fez junto aos participantes uma reflexão de uma preocupação mundial sobre a ambiguidade dos tempos atuais.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

“Fala-se muito que as relações online têm aumentado a sensação de solidão entre as pessoas. E é claro que nós somos seres sociáveis, e a interação com o outro é fator determinante para a nossa experiência como humanos e para a própria sobrevivência. A pandemia, inclusive, escancarou isso. Ou seja, estamos falando de um mundo em que as pessoas estão hiperconectadas, mas também muito carentes de vínculos. Como fica a relação com os clientes a partir dessa perspectiva?”

Na avaliação do diretor do UOL, a característica da disponibilidade, ou seja, de estar sempre disponível ao cliente e também disposto a atendê-lo, é imprescindível seja qual for a forma de contato.

“Essa solidão que a pandemia escancarou, principalmente no caso dos idosos, é uma situação que já existia. Apenas ganhou destaque com a necessidade do isolamento social. Mas em muitos casos, a conexão digital permitiu que houvesse mais interação entre essas pessoas do que antes”, pondera Michel Rodrigues.

Disponibilidade e disposição

Para o diretor do UOL, na relação entre empresa e consumidor, a disponibilidade a qualquer hora que o atendimento digital oferece é um diferencial que deve ser valorizado. Mas é preciso dedicação para colocar isso em prática.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

“Quando um funcionário atende um cliente por telefone no fim do expediente, cansado de já ter respondido a mesma pergunta tantas vezes, ele precisa fazer esse atendimento como se fosse o primeiro do dia. Porque para o cliente, é o primeiro contato que ele está fazendo. Então, você precisa estar disponível e também disposto”, analisa.

Os ensinamentos da ‘coragem digital’

O diretor da TIM, PH Campos, aponta ainda a “coragem digital” como um dos grandes legados da pandemia na relação entre empresas e clientes.

“A gente não pode ter medo de oferecer e investir no digital. Até mesmo as pessoas mais velhas, de 80 anos, como o Michel citou, passaram a usar mais os canais online. Esse foi um grande aprendizado. Hoje a gente constata que a grande aceleração digital sempre tão falada por empresas de todas as áreas, foi causada por uma limitação física (isolamento social da pandemia), e não por uma grande solução tecnológica. A tecnologia já estava lá. Bastou ter coragem”, afirma.

*Por Patrícia Suzuki.


+ Notícias

Consumidor ligado no modo smart

A inteligência no uso do big data. E a burrice de quem não liga para o tema

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]