Pesquisar
Close this search box.
/
/
Consumidor empoderado é desafio para empresas

Consumidor empoderado é desafio para empresas

Apesar do cenário de otimismo, as empresas precisam percorrer uma longa trajetória para se adaptar às tendências do consumidor empoderado

Hoje o consumidor está mais informado e exigente. O amplo acesso à informação e às redes sociais proporcionou às pessoas o poder de comparar produtos, compartilhar experiências, ler avaliações e reivindicar seus direitos. Tudo isso com facilidade e rapidez. E essa mudança de paradigma está fazendo com que as empresas tenham que concentrar esforços para se adaptar às exigências do consumidor empoderado.

Ganhará espaço e visibilidade o mercado que oferecer soluções personalizadas, atendimento eficiente e uma experiência única e exclusiva, para cada usuário.

E todo esse processo de adaptação está levando às empresas, de todos os setores, a uma corrida frenética. É um processo contínuo que envolve uma mudança cultural, onde o foco deixou de ser lucrar para atender bem e melhor o cliente, que a cada dia, tem mais poder nas mãos. Neste contexto, a busca por velocidade, conveniência e experiências relevantes de consumo é uma realidade – e um desafio – cada vez mais presente.

Como se ajustar ao consumidor 4.0?

Para se acomodar, as empresas estão em investindo em estratégias que permitam atender às expectativas do público de forma eficiente e satisfatória. Somente dessa forma será possível conquistar a fidelidade do cliente e se destacar em um mercado cada vez mais competitivo. Fato é que, por mais que estejam sendo feitos investimentos, a indústria e o varejo não estão prontos [ainda] para tal transformação. Essa é a visão de Andrea Rolim, ex-presidente Brasil e VP da América Latina na Kimberly Clark: “Tem uma agenda muito grande que vem se repetindo: como nós trabalharemos melhor a informação e a tecnologia para produzirmos mais e melhor, e atendermos o consumidor final com eficiência?”.

Respondendo então ao seu próprio questionamento, Andrea Rolim explica que a palavra-chave para superar esse obstáculo é a colaboração. “Hoje, a colaboração no Brasil ainda é muito incipiente. Acho que precisaremos abdicar do ‘eu sou proprietário da informação’ para podermos ter e oferecer soluções melhores em conjunto”.

Positividade com cautela

De acordo com a pesquisa “Plano de Voo Amcham 2024”, realizada entre 3 e 18 de janeiro e que entrevistou 775 líderes empresariais, os empresários brasileiros demonstraram otimismo em relação ao cenário econômico do país em 2024. A divulgação dos resultados ocorreu no dia 5 de fevereiro, durante um encontro da entidade na sede da B3, a Bolsa de Valores do Brasil.

Já outra pesquisa, dessa vez da McKinsey, divulgada em julho de 2023, revelou também positividade para as tendências de comportamento de consumo neste ano.

Contudo, há uma postura diligente que paira no ar.

Essa mudança oferece oportunidades e desafios para os empresários se destacarem, antecipando as demandas do mercado e tornando seus negócios mais resilientes às mudanças no comportamento do consumidor.

Empresas que seguem as tendências têm uma vantagem competitiva ao atrair consumidores em busca de novidades e inovações. Isso significa que, ao se manter atualizadas e alinhadas com as demandas do mercado, esses negócios podem conquistar e reter clientes: “Estar em consonância com as demandas do mercado é alinhar as estratégias para o momento atual. Se pensarmos em relação de consumo há alguns anos, eram menos coisas para se comprar do ponto de vista das famílias”, explica Andrea.

Comportamento do consumidor empoderado

Por exemplo: muitas pessoas adotaram hábitos alimentares sem açúcar, glúten ou lactose. A maioria das pessoas recorre ao Google para encontrar produtos confiáveis e funcionais. Tem também quem, antes de comprar, assista vídeos no YouTube… Fato é que as empresas que ignoraram essa mudança de hábito de consumo estão ficando para trás.

Por outro lado, as empresas pró-ativas, que entendem o comportamento dos consumidores e estão preocupadas com eles, aumentarão sua participação no mercado. “Ou seja: é preciso aliar produtividade com eficiência para se destacar. Acredito que, para isso, a tríade ‘inovação, dado e colaboração entre varejo e consumo’ é o que ditará o comportamento do consumidor para este ano”, comenta Andrea.

A empresa norte-americana de produtos de higiene pessoal, Kimberly-Clark, foi premiada e reconhecida em vários setores em 2023. A empresa multinacional acumulou prêmios em eventos importantes como Cannes Lions, Effies e Eikon com uma campanha da marca Intimus que abordou questões sociais relevantes. Além disso, suas ações de sustentabilidade renderam nomeações nos rankings Barron’s e Ethisphere, e seu serviço de relacionamento com o consumidor foi premiado pelo Instituto MESC. A empresa busca expressar seu propósito “de um melhor cuidado para um mundo melhor” por meio de uma relação próxima com clientes, consumidores, parceiros e colaboradores, criando canais para o diálogo e compreendendo as necessidades da sua cadeia de valor. Esse comprometimento a consolida como um parceiro estratégico e fortalece as marcas em que as pessoas confiam em todo o mundo.

No âmbito do Código de Defesa do Consumidor (CDC), as palavras-chave do direito na era digital são: segurança, transparência e informação. Quem seguir essa trilogia, reduzirá consideravelmente o número de problemas e litígios.

Dever de informação

Conforme a doutrina, a obrigação legal de informação no CDC é abrangente e se aplica não apenas a contratos, mas também a qualquer situação em que o consumidor manifeste interesse em adquirir um produto ou serviço.

Portanto, o CDC estabelece em seu artigo 4º a necessidade de atender as demandas dos consumidores com respeito à sua dignidade, qualidade de vida, saúde, interesses econômicos, transparência, segurança e harmonia nas relações de consumo.

Direitos básicos

No artigo 6º, por sua vez, o CDC lista como direito básico do consumidor a obtenção de informações adequadas sobre diferentes produtos e serviços. E o dispositivo inclui, para isso, especificações de quantidade, qualidade, tributos aplicados, características, composição, preço e eventuais riscos.

Por fim, a informação deve ser abrangente e aplicável a diversas situações relacionadas ao interesse do consumidor, excedendo os limites do contrato.

Andrea Rolim, VP da Kimberly-Clark, participou de um painel sobre as perspectivas econômicas dos setores em evento realizado pela Amcham Brasil


Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]