Pesquisar
Close this search box.
/
/
A construção de uma nova consciência no consumo e no empreendedorismo

A construção de uma nova consciência no consumo e no empreendedorismo

Startups que geram impacto positivo são apostas para atender às demandas do consumidor atual

Despertar a consciência para novos hábitos de consumo já se tornou essencial. Apesar de a jornada ser longa e estarmos no início do caminho, pesquisas apontam que a pandemia acelerou costumes focados no bem-estar, sustentabilidade, contato com a natureza e valorização de produtores pequenos e locais.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

O estudo sobre consumo consciente CC+, realizado pela Mandalah, consultoria em inovação consciente, mostrou alguns insights que direcionam o consumo do brasileiro atualmente. Potencialização do minimalismo e maior preocupação com a sustentabilidade são alguns deles, que estimulam uma vida mais simples e a procura por produtos com menos impacto negativo para o meio ambiente.

Mas, além do despertar da consciência entre os consumidores, é necessário entender também como a indústria e o comércio estão lidando com essas demandas e de que forma estão inovando para oferecer uma experiência satisfatória, que leve em conta a sustentabilidade. Nesse contexto, surgem startups dispostas a criar soluções não só para o que o novo perfil de consumidor está buscando, mas para o que o mundo está precisando.

“O planeta está clamando por essa nova consciência”, destaca a sócia e CEO da Hollun Consultoria, Christina Carvalho Pinto, mediadora do painel “Uma lição indispensável: a construção de uma nova consciência”, no Conarec 2021. “Esse painel mostra, na prática, como podemos transformar cenários através de empreendedores e empreendimentos conscientes”, acrescenta.

consciencia
Eduardo Mariano, Roberto Matsuda, Simone Murata e Sérgio All |Foto: Grupo Padrão

Para debater o tema, participaram do evento Eduardo Mariano, fundador da Exchange do Bem, empresa social que fomenta o voluntariado; Roberto Matsuda, CEO e fundador da Fruta Imperfeita, foodtech que visa reduzir o desperdício de alimentos; Simone Murata, diretora de marketing da NotCo, foodtech de produtos veganos; e Sérgio All, CEO e fundador da Conta Black, fintech destinada à comunidade negra.

Consciência alimentar na promoção da saúde e redução do desperdício

Diminuir o consumo de alimentos de origem animal, compreender de onde vem o alimento servido à mesa e se informar sobre os processos de produção fazem parte dos novos hábitos alimentares em prol do meio ambiente e das pessoas envolvidas nessa cadeia. É para despertar essa consciência que a Fruta Imperfeita foi criada, um negócio que conecta pequenos produtores a consumidores que querem se alimentar bem e reduzir o desperdício de alimentos.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

O fundador da Fruta Imperfeita, Roberto Matsuda, conta que, no processo de criação da empresa, ao visitar mais de 50 pequenos produtores rurais, percebeu que a maioria não conseguia vender frutas e legumes que saíam do padrão estético das prateleiras de supermercado. “Refleti sobre o quanto estávamos jogando fora e que o consumidor tinha perdido a conexão com os alimentos. Vi que podia ajudar os pequenos produtores a reduzirem o desperdício de alimentos e conscientizar os consumidores”, comenta.

A Fruta Imperfeita seleciona os vegetais da época e fora do padrão, monta cestas e entrega em domicílio. Para Roberto Matsuda, nos 6 anos de existência da empresa, mais importante do que o crescimento é ter sentido de existir. “Somos muito mais um movimento de conscientização do que uma empresa”, diz. Assim, a Fruta Imperfeita só não alavancou tanto quanto uma startup é capaz, por continuar seguindo os propósitos desde a sua criação: de beneficiar os pequenos produtores, reduzir o desperdício e promover um contato mais próximo e desperto do consumidor com os alimentos consumidos.

Mesma experiência, menos impacto no meio ambiente

Giuseppe poderia ser o nome de um chef italiano que produz receitas muito saborosas. E o Giuseppe da NotCo não foge muito disso: é como foi batizado o algoritmo criado para fazer infinitas combinações de plantas e replicar produtos de origem animal. Hambúrguer, leite, sorvete e maionese fazem parte de um catálogo ainda pequeno, porém com propósito. “A NotCo surgiu para trazer alimentos à base de plantas que tenham o mesmo sabor, textura e vínculo afetivo da comida de origem animal”, explica Simone Murata.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Ao mesmo tempo que cuida do meio ambiente deixando os animais de fora da cadeia de produção, a NotCo consegue promover uma boa experiência do cliente, o que pode contribuir ainda mais com a manutenção desses novos hábitos de consumo.

“A gente quer que a socialização em volta do alimento tenha o mesmo significado para quem não come carne. Se você vai para uma hamburgueria e vê todos os amigos comendo hambúrguer, não queremos que você coma salada. A gente quer que a pessoa esteja no mesmo mood, na mesma vibração de quem está comendo o hambúrguer”, conta a diretora de marketing da NotCo.

Nova consciência deve passar pelo olhar ao próximo

Na promoção de consciência no consumo e empreendedorismo, o atendimento ao cliente pensando na diversidade deve ser pauta tão importante como os cuidados com o meio ambiente e o bem-estar. Por ter vivido uma experiência de falta de empatia, Sérgio All fundou a Conta Black, fintech destinada à comunidade negra. A startup se propõe a resolver o desafio da desbancarização e consequentemente a exclusão financeira.

Para o CEO da fintech, a população preta e parda, apesar de ser empreendedora, tem dificuldades de adquirir crédito. “Somos a primeira fintech preta do país, e é uma bandeira da diversidade que queremos incentivar, queremos que mais fintechs pretas tenham espaço no mercado. Mas também, dentro de um contexto macroeconômico, queremos mostrar que estamos aqui para ajudar a construir a jornada do cliente. Mostrar como empreender, formalizar o negócio, usar o dinheiro de forma consciente. Mostrar que o crédito não é inimigo”, afirma.

Assim como a NotCo, que busca ouvir seus consumidores e cocriar as soluções, a Conta Black tem o intuito de promover uma maior proximidade com o usuário. “A gente convida todos os nossos membros para nos ajudar a construir uma comunidade financeira perfeita. Queremos provar que essa população majoritária movimenta dinheiro, que não somos mais a margem do sistema financeiro, e sim uma potência”, completa Sérgio All.

Independentemente do benefício proposto pelo empreendimento, o importante é gerar impacto positivo na sociedade. A nova consciência deve fazer o consumidor se relacionar com o meio ambiente e com as pessoas de maneira integrada, e os empreendedores criarem marcas engajadas e com valor.

 


+ Notícias

Para aprimorar o uso dos dados, a educação analítica é essencial

Relações com clientes na era phygital: o que encanta e o que desencanta?

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]