Pesquisar
Close this search box.
/
/
País do futuro sim! Brasil deve ser referência na América Latina nos próximos anos

País do futuro sim! Brasil deve ser referência na América Latina nos próximos anos

Um relatório desenvolvido pela Austin Rating reuniu as principais metas a serem atingidas pelo país até 2030; saúde, economia e educação devem ser impulsionadas neste período

O Brasil voltou a estar entre as maiores economias do mundo, segundo um estudo da agência Austin Rating. Pelo levantamento, o país, que ocupava a décima terceira posição no final de 2021, deu um salto no primeiro trimestre de 2022 e ocupa, atualmente, a décima posição, ultrapassando a Rússia, a Coreia do Sul e a Austrália.

Nesse sentido, em meio a recente melhora da economia brasileira, muito se tem discutido sobre o futuro do país e as possíveis melhorias que devem ser realizadas pelos órgãos públicos, em parceria com as instituições privadas e a população, para que o país se recupere das últimas recessões com resiliência.

A fim de traçar alternativas viáveis para que esta meta seja alcançada, a McKinsey & Company, empresa de consultoria empresarial americana, organizou um relatório entre os anos de 2013 e 2014, com atualizações em 2018, focado em propostas a serem colocadas em prática pelo Brasil até 2030 nos campos de desenvolvimento econômico, infraestrutura, educação, saúde, segurança pública, governança e gestão e engajamento do cidadão.

Pensando nisso, reunimos as principais ideias apresentadas em cada um dos segmentos listados, garantindo assim que este debate seja passado adiante pelos brasileiros e exerça impacto direto no futuro da nação. Confira!

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Desenvolvimento econômico:
inclusão e sustentabilidade devem falar mais alto

Visando aumentar a qualidade de vida dos brasileiros por meio de um modelo de crescimento sustentável e para todos, o relatório prevê como objetivos a serem cumpridos os seguintes tópicos: dobrar o PIB per capita até 2030; diminuir índice de Gini e posicionar-se no 3o quartil do ranking mundial; e acelerar crescimento da produtividade brasileira.

O estudo prevê ainda seis tendências voltadas para esta temática, sendo elas:

● Obter um bom aproveitamento das riquezas geradas por meio das habilidades brasileiras de fazer negócios;
● Desenvolver acordos de livre comércio e realizar melhorias na infraestrutura para melhorar o relacionamento com as potências globais;
● Investir na especialização dos trabalhadores, visando a redução do trabalho informal;
● Digitalizar os serviços públicos;
● Apostar na inovação e nas condições favoráveis para o aumento da competitividade;
● Combater a desigualdade de gênero no mercado de trabalho

É válido lembrar que o Brasil tem um longo caminho pela frente até atingir tais objetivos. De acordo com o mesmo relatório, o país tem a sétima pior distribuição de renda segundo o índice Gini (2010-2015) e mais de 80 milhões de brasileiros recebem um salário muito inferior ao exigido para terem acesso a bens e serviços essenciais.

Além disso, nota-se que o salário das mulheres para os mesmos trabalhos executados pelo sexo oposto são até 53% inferiores, mesmo que elas tenham mais experiências acadêmicas. Os dados foram obtidos através de pesquisas realizadas por instituições como Oxfam, IBGE, McKinsey Global Institute e Banco Mundial.

Conheça o Mundo do CX

Educação: expectativas para a expansão do acesso à educação básica e superior crescem no Brasil

Com o objetivo de garantir educação de qualidade para os brasileiros, são estabelecidas as seguintes metas para os próximos anos:

● 95% dos jovens com idade até 19 anos em 2022 devem ter acesso à educação básica;
● 60% dos adultos entre 25-34 anos devem ter acesso a ensino superior ou técnico;
● Até 2030, é preciso estar entre os 30 primeiros países do PISA;
● Até 2030 é necessário alcançar todos os estudantes com aprendizado adequado para as suas séries.

Dentre as principais soluções apontadas pelo McKinsey para atingir estes objetivos estão:

● Investir em educação integral;
● Reformular o ensino médio;
● Introduzir a Base Curricular Nacional;
● Valorizar a carreira dos professores;
● Inserir nas escolas a cultura da gestão colaborativa;
● Apostar no uso de tecnologias dentro e fora das salas de aula.

Assim como no caso do desenvolvimento econômico, a educação do Brasil tem um desafio e tanto pela frente! Isso porque, até 2015, somente 59% dos jovens de 19 anos tinham o ensino médio concluído. Além disso, 40% dos adolescentes de 17 anos estavam fora das escolas neste mesmo período, de acordo com um trabalho desenvolvido pelo IBGE.

Com relação ao ranking do PISA, a nação brasileira caiu da 57º posição, em 2012, para a 63º em 2015, indicando uma piora na qualidade da educação dos jovens. Vale lembrar que o PISA é um exame realizado pela OCDE com adolescentes de 15 anos. A prova é aplicada a cada três anos em 70 países.

Leia mais: Customer Centric em empresas do segmento de educação superior

Saúde: o país mais saudável da América Latina?

Por fim, o relatório desenvolvido pela McKinsey & Company acredita que, dentro de alguns anos, o Brasil terá a maior expectativa de vida da América Latina, além da menor taxa de mortalidade infantil. Para isso, têm-se como objetivos os seguintes tópicos:

● Foco na prevenção de doenças;
● Gestão de saúde a partir dos pilares relacionados a economia e a sustentabilidade;
● Acesso de serviço de saúde a todos os brasileiros.

Tais previsões são realizadas com base nas mudanças ocorridas na área da saúde entre 2014 e 2017. Para se ter ideia, neste curto período de tempo houve uma série de retrocessos, como a redução de 20 mil leitos, o aumento de 2% das mortes por causas crônicas e o crescimento de 8% da obesidade, de 7% da hipertensão e de 16% do alcoolismo.
Em contrapartida, como avanços a serem celebrados, têm-se: redução em 8% da taxa de mortalidade infantil, ampliação da expectativa de vida e aumento do número de profissionais da saúde, que passou de 1,7 (mil/habitantes) para 1,9.

Se você chegou até aqui e quer saber um pouco mais sobre o relatório, clique aqui para ter acesso ao documento completo. Depois disso, aproveite para conferir os artigos relacionados às projeções para o Brasil através deste link.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Notícias

O comportamento do consumidor brasileiro nunca mais será o mesmo

Como é o comportamento de consumo online nas favelas?

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]