Pesquisar
Close this search box.
/
/
A importância de uma boa iluminação para o home office

A importância de uma boa iluminação para o home office

Além do aumento da produtividade, questões como concentração e saúde ocular influem diretamente no trabalho e devem ser levadas em conta

Os escritórios são projetados para que os colaboradores tenham melhor conforto ao trabalhar. Entretanto, com a migração da jornada laboral para o regime remoto por conta da pandemia de Covid-19, vários aspectos que antes passavam despercebidos agora entram em cena, como a importância de se ter uma boa iluminação para home office.

A exposição prévia, e não permanente, à luz azul, por exemplo, é capaz de manter a concentração e o cérebro mais estimulado às tarefas cognitivas que exigem precisão e velocidade, segundo estudo publicado pela Sleep Foundation.

Desse modo, este é um fator que interfere na saúde física e mental do indivíduo, e que merece atenção. Só que como é possível utilizar a iluminação a favor da produtividade e do bem-estar dentro de casa e com poucos retoques?

Caminhos para alcançar uma boa iluminação para home office

Mesmo que nem todos tenham um ambiente ou móveis profissionais similares a um escritório em casa, é viável se adaptar em prol da melhoria das condições laborais.

Danilo Borges, arquiteto especialista em light design do Núcleo Metropolitano de Arquitetura e Design, conta que dá para trabalhar perfeitamente em casa, no entanto, dependendo da estrutura, pode ser preciso algumas alterações, como a troca de uma lâmpada. Se você for além e tiver condições, vale a pena fazer uma consultoria com um profissional para tomar as melhores decisões e adquirir materiais adequados à sua infraestrutura.

Nesse contexto, é inevitável pensar em ergonomia, estudo científico da relação entre o homem, seus meios, métodos e espaços de trabalho estabelecido por meio da norma regulamentadora NR-17 prevista nas Consolidações das Leis do Trabalho (CLT), que tem como objetivo garantir parâmetros para uma boa condição laboral.

Portanto, Alexandre Thompson, arquiteto e designer da Thompson Arquitetura & Construção, faz o alerta. “A escolha da mesa ideal para trabalho, uma cadeira ergonomicamente correta e uma boa iluminação são aspectos fundamentais para que as pessoas tenham um ambiente confortável e propício ao home office”, diz.

A arquiteta do Club Casa&Design, Patrícia Duarte, também preza por essa premissa, tanto que o objetivo é um só. “Adaptar o ambiente de trabalho para gerar bem-estar e contribuir com a sua produtividade. Aliado ao fato de se estar em casa, onde o foco é perdido facilmente, é essencial ter essa questão muito bem resolvida”, pontua a especialista.

Juntos, os profissionais dão dicas de como tornar tudo isso viável ao montar um local apropriado e aconchegante.

1. Escolha o cômodo com mais incidência de luz solar

A luz natural, além de garantir uma iluminação eficiente, é mais saudável e foi cientificamente comprovado que atua juntamente aos hormônios do bem-estar, uma vez que auxilia no equilíbrio do ritmo circadiano, que regula o humor conforme está claro ou escuro.

2. Atenção às cores do ambiente

As paredes e tetos devem ser pintados com cores claras (branco é mais comum), pois assim refletem luz. Se usar cores quentes (vermelho, amarelo e laranja), o ideal é evitar colocar lâmpadas. No caso das cores frias (azul, violeta, verde e etc), o melhor é optar por luminárias de LED.

3. Opte por luzes difusas e luminárias suspensas

O ideal é usar uma lâmpada neutra, pois se for muito branca, cansa a visão em poucas horas. As que são mais amareladas deixam a pessoa muito relaxada, pois são para descanso.

As luminárias suspensas aumentam a eficiência e deixam o ambiente menos cansativo. Pensar na distribuição e localização pode dar um resultado final excelente, prevenindo sombras e contrastes do que se quer iluminar ou não.

Os malefícios das condições inadequadas de trabalho

Entre as principais consequências do uso excessivo de telas ou da adoção de iluminação inadequada estão a vista cansada, a perda da qualidade do sono, dores de cabeça frequentes e até mesmo distúrbios emocionais e doenças de pele.

“Se a luz estiver ofuscando a pessoa, o desconforto prejudicará imediatamente o rendimento das tarefas, além de gerar fadiga ocular. Uma luz excessiva também gera cansaço, pois faz com que o globo ocular fique mais dilatado, prejudicando a saúde dos olhos”, pontua Danilo Borges.

A arquiteta Patrícia Duarte corrobora o fato desses perigos existirem e ainda ressalta como espaços iluminados incorretamente são prejudiciais. “É comprovado cientificamente que um ambiente com uma má iluminação diminui o nível de cortisol, que é um hormônio responsável pela sensação de prazer e bem-estar. Com isso, um espaço escuro deixa as pessoas desanimadas, sem foco e sem vontade”, explica.

“Essa iluminação fraca estimula as pessoas a terem mais chances de cometer erros e de serem improdutivas. Já em locais iluminados excessivamente, é comum sentir dores de cabeça e ardência nos olhos”, completa a profissional.

Fique de olho nas tendências

De acordo com pesquisa da Workana, plataforma on-line que mede a relação entre freelancers e empresas, 84,2% dos gestores pensam em dar continuidade ao regime remoto de trabalho devido à experiência obtida no último ano. Por isso, apostar em uma boa iluminação para home office torna-se investimento, e não um gasto.

O mesmo estudou mostrou, ainda, que a vaga de emprego que envolve trabalho remoto é mais atrativa para 96,7% dos entrevistados, e que 94,2% dos profissionais de carteira assinada gostariam de permanecer neste tipo de regime após a pandemia.

Sendo assim, além das questões laborais e de saúde, a temática assume um papel mercadológico, que está ainda mais pertinente dado o cenário atual, que ainda não apresenta condições seguras e em massa para a retomada integral das atividades presenciais.


+ Notícias 

Como se preparar para uma entrevista de emprego por videochamada

Conheça os benefícios da Daily Scrum, a reunião diária de 15 minutos 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]