Pesquisar
Close this search box.
/
/
O que colocou Americanas, Raia Drogasil e Magazine Luiza entre as maiores varejistas do mundo

O que colocou Americanas, Raia Drogasil e Magazine Luiza entre as maiores varejistas do mundo

Pela primeira vez, o Brasil tem três varejistas entre as maiores do mundo, segundo o Global Powers of Retailing. Saiba o que levou as brasileiras ao topo

O Brasil colocou três empresas entre as 250 maiores varejistas do mundo em 2018. É a primeira vez que isso acontece em 22 edições da pesquisa Global Powers of Retailing, da Deloitte. Antes, o máximo havia sido duas posições na mão das brasileiras. As Lojas Americanas ocuparam a 178ª posição e foi a brasileira mais bem posicionada. A Raia Drogasil (RD) pegou o posto de número 223 e o Magazine Luiza ficou com a 249ª posição.

LEIA MAIS
Lucro das Lojas Americanas cresce 166% no trimestre
Como o Magazine Luiza constrói um omnichannel sem costuras
Varejo farmacêutico bate R$ 120 bilhões de faturamento e cresce acima dos dois dígitos

Apesar de ter mais brasileiras em destaque, o varejo nacional precisa readaptar seus planos de negócios diante de um novo perfil de consumidor, muito mais digital, e de uma nova realidade socioeconômica. A constatação é de outro estudo da Deloitte, de dezembro do ano passado, chamado de Varejo em Transformação, e que avaliou que 66% das empresas nacionais precisam se adaptar a essa nova realidade. O caso da tríade Americanas, RD e Magazine Luiza é, portanto, um ponto fora da curva na realidade brasileira.

A capacidade de tocar a transformação digital dentro de suas lojas on e off-line e de expandir a rede física com sabedoria permitiram a essas brasileiras alcançar um lugar de destaque. Reynaldo Saad, sócio-líder da Indústria de Consumer da Deloitte, afirma que o sucesso na tarefa de aplicar a transformação digital de Americanas, RD e Magazine Luiza está relacionado principalmente ao pioneirismo dessas empresas em criar uma estratégia de digitalização.

Saiba o que o sócio da Deloitte aponta como diferencial das três maiores empresas do varejo brasileiro.

Lojas Americanas

“Ela é veterana no ranking, tem aparecido nos últimos anos por ser vanguardista no e-commerce. As Americanas conseguiram vencer as barreiras da digitalização ainda antes da crise econômica, quando teve o boom do comércio on-line. Naquela época, a cadeia ainda estava pouco preparada para atender os clientes e a empresa conseguiu passar bem por isso. Desde a pesquisa do ano passado, as Lojas Americanas já despontavam como uma das que mais crescia entre as 250 do ranking. Ela tem uma estratégia bem definida e trata as questões de inovação como mantra”.

Raia Drogasil

“No caso da RD, o que eu percebo é que teve que fazer uma estratégia agressiva nos pontos de venda, com um avanço significativo no número de lojas. Apesar de as margens do varejo de drogarias já ter sido alta, hoje são mais baixas e é preciso fazer volume. Foi isso que a Raia Drogasil fez, com mais lojas e visualmente melhores. Foi buscar outras geografias. Tudo isso fez com que tivessem receitas elevadas e manutenção de margem”.

Magazine Luiza

“O Magazine Luiza teve um ano espetacular, ele conseguiu implementar uma estratégia bem transparente e fazer valer o pioneirismo na implementação da transformação digital, que lhe é bastante peculiar, especialmente em termos de trazer o e-commerce para as lojas físicas. Foi a primeira grande varejista a ter um varejo multicanal bem coordenado, o que fez com que tivesse, ao longo do ano passado, um incremento de valor de ação. É um benchmarking não só para o Brasil, mas para toda a América Latina. E isso não foi feito da noite para o dia, foi tratado lá atrás pelo seu CEO (Frederico Trajano) como algo a ser perseguido”.

Cenário nacional

O avanço das brasileiras parece ser muito mais por méritos individuais das empresas do que propriamente por mudanças relevantes no varejo nacional, que apesar de ter voltado a apresentar bons resultados em 2018, ainda tem dificuldades de inovar, melhorar margem de lucro e gerar empregos.

Segundo Saad, o varejo nacional continua sendo proporcionalmente pequeno em relação a outros mercados pelo mundo, inclusive na América Latina. “A gente poderia estar em situação melhor se não fosse o câmbio, por exemplo. A gente sofreu bastante com o dólar a 4 reais. A pesquisa abrange os meses entre junho de 2017 e junho de 2018 e em 2017 a gente estava ainda sendo fortemente afetado pela recessão. O Brasil conseguiu, por meio das três varejistas, mostrar estratégias bem assertivas”, explica o especialista.

As maiores do mundo

O Global Powers of Retailing coloca empresas dos Estados Unidos nas quatro primeiras posições, com a liderança sendo ocupada mais uma vez pelo imbatível Walmart, que fatura mais de 500 bilhões de dólares por ano, quatro vezes mais que a segunda colocada, a Costco. Kroger (3ª) e Amazon (4ª) fecham o grupo de americanas que tomam conta das primeiras posições. A alemã Schwarz fecha o Top Five.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]