Pesquisar
Close this search box.
/
/
4 Ações para preparar o ambiente de trabalho para a transformação digital

4 Ações para preparar o ambiente de trabalho para a transformação digital

Pesquisa da Accenture mostra quais ações as empresas devem adotar para redesenhar a força de trabalho para esse novo momento

A transformação digital é realidade nas empresas de qualquer setor. Embora a estratégia e o mindset para essa transformação deva partir da liderança da companhia, a força de trabalho também devem acompanhar essa transformação. Para tanto, é preciso agir para que o quadro de funcionários também esteja preparado para a inserção de tecnologias disruptivas no espaço de trabalho.

Para ajudar a liderança nessa tarefa, a Accenture fez estudo e identificou quatro ações para ajudar as empresas a redesenhar a força de trabalho.

A pesquisa identificou uma preocupação grande das empresas pela implantação de tecnologias disruptivas. De acordo com o estudo, os investimentos em Inteligência Artificial e Machine Learning podem aumentar a receita em 38% nos próximos cinco anos. No varejo, esse porcentual sobe para 41%.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

Além disso, 43% dos executivos entrevistados afirmaram que a Inteligência Artificial estará por trás de toda nova inovação nos próximos três anos.

E, ao contrário do que se imagina, esse novo cenário deve gerar mais empregos, com profissinais capacitados para lidar com essas tecnologias.

O estudo ouviu mais de 1.200 CEOs e grandes executivos que trabalham com Inteligência Artificial. Além disso, foram ouvidos mais de 14 mil funcionários de diferentes gerações e diferentes níveis. A pesquisa cobriu 12 setores e 11 economias.

Leia também
Transformação digital exige derrubar os muros entre as áreas da empresa

Veja quais foram as ações elencadas pela Accenture para preparar a força de trabalho para a transformação digital:

1. Alinhe o quadro de trabalho ao novo modelo de negócio

Segundo o estudo, é preciso mudar o propósito da força de trabalho para que ele sincronize com o valor dos consumidores. Por exemplo, no varejo, ao invés de vendedores, tenha especialistas em moda, consultores, que trabalham com dados.

É o que faz a Stitch Fix, que têm especialistas que trabalham com algoritmos que interpretam as preferências dos consumidores e que aprendem com todom engajamento de post feito no Pinterest. Com essa informação, esses especialistas melhoram as indicações que fazem aos clientes.

Leia também
65% dos varejistas prometem investir na transformação digital até 2021

2. Reconheça e foque no negócio

A ideia não é apenas olhar para eficiência que beneficie os resultados da linha final do negócio. É preciso transformar os recursos economizados em investimentos para a futura força de trabalho que beneficiará o novo modelo de negócio.

Não é apenas o investimento em tecnologia que deve ser contado, mas o investimento em treinamento para que essa tecnologia seja bem utilizada.

Leia também
A transformação digital do varejo é diferente para cada empresa

3. Organize para agilidade

À medida em que as pessoas fazem menos trabalhos repetitivos e participam mais de projetos em times multidisciplinares, eles devem ter mais autonomia e poder de decisão. Segundo a Accentures, uma cultura mais abertura precisa de um ambiente que encoraje a experimentação e isso exige que as pessoas possam tomar decisões.

Para que isso aconteça, a empresa precisa redesenhar processos e estrutura que permita uma maior fluidez para trabalhos em times, liberando as pessoas de funções mais operacionais – que as máquinas poderão fazer.

Leia também
Os desafios do varejo na era da transformação digital

4. Construa e adote um novo DNA de liderança

Em um ambiente mais ágil, que integra o melhor da tecnologia e o melhor da capacidade humana, é preciso adotar também um novo tipo de liderança.

À medida em que há um colapso das hierarquias e que os times funcionam de forma mais integrada, líderes se tornam co-criadores. Enquanto a Inteligência Artificial permite indivíduos ter mais responsabilidades, ela também puxa a tomada de decisão para onde as coisas acontecem – ou seja, não dá mais para ter o processo de repassar alguma situação para que um líder decida.

Liderança não é um nível. É preciso construir líderes em todos os níveis. Bons líderes também reconhecem que a transformação digital é inevitável e que ainda há muito por vir e que as conexões humanas importam.

Leia também
3 Erros do varejo na integração do digital com o físico

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]