Pesquisar
Close this search box.
/
/
Experiência tem que ser para todos: acessibilidade para 50+

Experiência tem que ser para todos: acessibilidade para 50+

O olhar humano nos negócios deve ser regra para as empresas que desejam avançar no mercado maduro

Em 2022, o Conarec completa 20 anos, e o evento, que será realizado nos dias 13 e 14 de setembro no Transamérica Expo Center, em São Paulo, terá como foco CX Made in Brazil: mais conectado, mais inteligente, mais humano. Um dos painéis da programação versa sobre acessibilidade aos públicos mais maduros, com apresentação de Bete Marin, co-fundadora da MV Marketing e Hype 50+.

A executiva detalha pontos de atenção que as empresas deveriam levar em consideração, expõe a relevância de se trabalhar pensando em diversidade etária, dá dicas de como pensar em ferramentas com usabilidade e frisa a necessidade de oferecer produtos que sejam verdadeiramente úteis e serviços acessíveis.

Leia Mais: Vocês vão me abandonar agora? #diganãoaoetarismo

A acessibilidade está em toda jornada

De acordo com Bete Marin, sua proposta, bem como das companhias das quais faz parte, é ganhar eficiência, traçando um caminho capaz de atender a um número gigante da população brasileira, que são os maduros e, como bônus, incluir alguns grupos que necessitam de atenção.

Em relação a esse mercado, a profissional conta que os 50+ são responsáveis pela metade do consumo global e formado por pessoas que se sentem excluídas das estratégias de marketing das empresas.

“É como se um novo continente estivesse emergindo no oceano e a nossa miopia simplesmente nos impedisse de ver. Devemos apresentar as oportunidades de inclusão do mercado prateado, formado por 1/4 da população brasileira. Chega a ser constrangedor considerar que as pessoas acima de 50 anos se sentem invisíveis perante as marcas, que não são bem atendidas e excluídas”, afirma.

Depois de muitos estudos, a co-fundadora da MV Marketing e Hype50+ descobriu que as barreiras para a inclusão do público maduro são a falta de conhecimento e as ideias pré-concebidas desatualizadas.

“O público maduro é digital. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), nos últimos cinco anos, a inclusão digital dobrou e 66% têm acesso a redes sociais. Além disso, os maduros não gostam de ser chamados de velhos, idosos ou de terceira idade. O público é diverso, existem diferenças de crenças, gênero, sexo e preferências, como qualquer grupo etário, e isso deve ser observado”, exemplifica.

Em sua explanação, a executiva reforça que as empresas precisam conhecer a nova cara da maturidade, que é dinâmica e se atualiza constantemente, já que, a cada ano, mais de dois milhões de maduros entram nessa conta.

Assine nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Dicas para quem realmente quer trabalhar
acessibilidade para os 50+

Prova da relevância da temática, a agência de Bete Marin criou um sistema de aprendizagem com os dados das campanhas para aperfeiçoar os serviços de consultoria e retroalimentar as ações desenvolvidas de modo mais assertivo e eficaz.

Desenvolvimento de produto, inovação e atendimento são diretamente impactados nesse cenário. Portanto, a profissional elenca elementos importantes e que devem integrar o checklist de toda e qualquer organização que deseje, realmente, inserir a acessibilidade em suas plataformas:

  • Programação visual de ambientes virtuais ou analógicos devem ter letras grandes e cores contrastantes;
  • Vídeos com legendas e intérprete de língua brasileira de sinais (Libras);
  • Atendimento humano como complemento da tecnologia;
  • Ambientes seguros;
  • Linguagens acessíveis e de acordo com o pensamento linear (típico da televisão, por exemplo, em que há consumo passivo de conteúdo).

“Se relacionar com interfaces interativas pressupõe uma linha de pensamento paralelo, que é típico dos nativos digitais, usando diferentes linguagens e canais. Para os maduros se adaptarem a isso requer tempo, suporte e paciência”, alerta Bete Marin.

Por isso, a especialista salienta que na hora de criar uma plataforma digital para se relacionar e vender produtos é fundamental compreender a visão do público-alvo, o que implica em simplificar a navegabilidade, ter um suporte para auxiliar e tirar as dúvidas e, de preferência, ter alguém que compreenda a forma de raciocinar dos prateados para criar uma plataforma mais amigável e tornar prospects em clientes.

Ademais, de acordo com o estudo TrendBook Sociedade, um mapeamento que compõe o terceiro eixo do projeto FDC Longevidade – iniciativa da Fundação Dom Cabral, a longevidade chegou para ressignificar a forma como as pessoas veem a realidade e os negócios.

Leia Mais: Quais são as marcas mais admiradas pelos clientes

Empresas devem dizer não às negligências

Produtos bons para idosos são, em geral, bons para todas as gerações. Logo, ganhar confiança, fidelidade e admiração dos maduros e seus filhos, que normalmente são pessoas entre 50 e 70 anos, ou seja, 23 milhões de pessoas no Brasil, tornou-se mais do que uma obrigação.

Sendo assim, assumir uma postura baseada em etarismo, termo que se refere à discriminação contra pessoas baseada no estereótipo de idade que, de forma geral, costuma afetar principalmente as pessoas na faixa etária acima dos 40 ou 50 anos, afeta não só esse grupo, mas as pessoas de seu círculo social.

Desse modo, de acordo com a co-fundadora da MV Marketing e Hype50+, quando há acesso e canais amigáveis para o público mais velho, é possível melhorar o atendimento e a acessibilidade para todas as faixas etárias.

Conheça o Mundo do CX

Para finalizar, Bete Marin lista cinco dicas essenciais para surfar nesse mercado gigante que está à vista das organizações:

  • Analisar a faixa etária dos clientes;
  • Estudar o comportamento de compra, desejos e necessidades levando em consideração a diversidade;
  • Sensibilizar e treinar todos os colaboradores da empresa para romper paradigmas, pois o preconceito etário está enraizado;
  • Desenvolver tecnologias amigáveis: usabilidade vale ouro;
  • Acompanhar a jornada de relacionamento dos prateados, aprendendo e evoluindo constantemente com os dados.

“Tenho satisfação e gratidão por fazer parte desse grupo e em promover sua inclusão, ao mesmo tempo em que auxilio os gestores a prosperarem seus negócios em termos de acessibilidade”, completa.


+ Notícias

Conarec terá listening, parceria de Grupo Padrão e Stilingue

Rappi e a era da conveniência: como o consumidor ajuda na elaboração de estratégia de atendimento

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]