Pesquisar
Close this search box.
/
/
A crise e as oportunidades aos varejistas

A crise e as oportunidades aos varejistas

Mesmo diante das notícias negativas, perspectivas mostram otimismo. Saiba os motivos

Por Julio Takano*

Mesmo diante do turbilhão diário de notícias negativas sobre a economia e política brasileira, a Pesquisa Abiesv realizada e divulgada em maio sobre o desempenho de 2014 e as perspectivas de empresas fornecedoras para o varejo em emprego, faturamento e investimentos mostra otimismo do setor para este ano.

A explicação para essa dicotomia e a realidade é que, primeiro, os varejistas brasileiros estão calejados em crises e em notícias ruins. Sabem que elas são passageiras e aproveitam os momentos de retração no consumo para fortalecer a marca, reformar e ampliar as lojas. Os preços dos imóveis e dos serviços estão menores e com uma margem maior de negociação.

Os períodos de crise podem significar também oportunidades para aumentar as vendas em tempos de alta. São oportunidades também para desenvolver projetos criativos, reestruturar os ativos da empresa, ampliar atuação no mercado ou se fortalecer em um nicho ou segmento ainda não explorado e, até mesmo, aquele projeto de internacionalização da marca, que estava há anos na gaveta.

O Brasil é um ?continente? com diferentes realidades culturais e econômicas. Exemplo disso foi o crescimento de 3,7% do PIB na região Nordeste em 2014 sobre 2013, enquanto o Sudeste amargou uma recessão de 0,8% no mesmo período. É neste momento que os empresários têm que mergulhar em pesquisas para identificar as oportunidades em um país com as dimensões do Brasil.

Os shopping centers estão descobrindo o interior do País. Há uma lógica nisso, visto que o agronegócio brasileiro só cresce. Neste momento, eles descobriram que o interior deseja e necessita mais opções de produtos e, por que não, opções de lazer para a população de cidades menores. Por outro lado, o varejo de rua nessas cidades vai investir para reter seus clientes e competir com as lojas de shopping.

As empresas fornecedoras do varejo têm uma importância ímpar para medir o comportamento e as perspectivas para o crescimento do varejo. Representam uma espécie de termômetro. Se estas empresas hoje estão faturando, é porque os varejistas estão investindo para atender demandas futuras de quando a crise passar. É o caso da relação da indústria de manequins e a abertura e reforma de lojas.

Os resultados da pesquisa da Abiesv, no caso das empresas fornecedoras para o varejo, refletem fielmente o que já está ocorrendo com alguns setores do varejo. É o caso da Hope, que programa, até outubro, 50 novas lojas da marca. Já as Lojas Renner anunciam investir R$ 550 milhões neste ano em inaugurações e reforma de lojas, quase 10% mais que o investido em 2014. A meta é chegar a 2021 com 833 lojas em atividade, frente as 345 atuais.

O GPA inaugurou 20 lojas nos três primeiros meses do ano e pretende ampliar em até 6% a área de vendas em 2015.  No ramo do varejo pet, a rede Petz planeja ampliar a sua rede de 28 para 36 lojas de artigos para animais de estimação em 2015. A rede Di Gaspi com 43 lojas de calçados e roupas em São Paulo, informa que optará pela reforma e ampliação de seus pontos.

No caso do nível de emprego, as empresas estão já calejadas em crises passageiras. A contratação de um empregado envolve altos custos de recrutamento, seleção e treinamento. Por isso, em alguns segmentos, demitir significa jogar todo esse investimento no lixo e investir novamente quando a crise acabar.

Outro fator que os empreendedores do varejo brasileiro se diferenciam é o fato de conhecerem o comportamento dos consumidores. Em épocas de crise econômica, muitos setores trabalham com redução de investimentos diante da perspectiva de queda nas vendas.

Em alguns setores do varejo, o consumo representa uma fuga dos problemas, do estresse e das preocupações do dia a dia. São aqueles minutos de férias a que os consumidores se permitem para retomar as forças.

É claro que esse fenômeno não ocorre em todos os segmentos, mas principalmente nas lojas de roupas e cosméticos, ou seja, no consumo que mexe com a estima dos consumidores. Essas empresas precisam se preparar para oferecer boas experiências de compra, e não apenas produtos.

A onda de pessimismo do começo do ano já está mudando. Se o fornecedor mantém planos para crescer, contratar e investir, é porque está sendo demandado por redes de atuação nacional ou regional. É hora de passar pela tempestade, olhando sempre para frente, com esperança e otimismo.

* Julio Takano é presidente da Associação Brasileira da Indústria, Equipamentos e Serviços para o Varejo (Abiesv) e sócio da KawaharaTakano Arquitetura para o Varejo

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]