Pesquisar
Close this search box.
/
/
4 Possibilidades que o armazenamento em nuvem oferece ao varejo

4 Possibilidades que o armazenamento em nuvem oferece ao varejo

Estudo da McKinsey aponta os ganhos que o varejo pode ter com a tecnologia de armazenamento de nuvem ajudando a precificar e alargar as margens de lucro

O advento do varejo 4.0, no qual o consumidor é o líder de inovação (tomando o lugar das grandes empresas), tem exigido dos players oferta de novos produtos e serviços em tempo cada vez menor, o que pressiona a já espremida margem de lucro do varejo.

Uma solução para reduzir custos e alargar as margens é o armazenamento em nuvem, que reduz a necessidade de infraestrutura pesada para manter operações digitais. “Atualmente, quase um quarto das cargas de trabalho do setor estão na nuvem pública, mas os varejistas esperam que esse número aumente para um terço em 2020”, é como avaliam Munmun Baishya, Arul Elumalai, Gautam Lunawat e Roger Robertsm, especialistas da McKinsey, em artigo publicado sobre a importância do armazenamento em nuvem para o varejo.

O estudo aponta quatro potencialidades dessa tecnologia para resolver problemas do varejo. Confira:

1. Identificação do preço certo

O preço implica na margem bruta do varejo, na taxa de venda e até mesmo no tempo de transação. Para a maior parte dos varejistas, o processo de precificação ainda é manual e trabalhoso. É preciso levar em conta os preços dos concorrentes, analisar o histórico de vendas com alta granularidade, prever oportunidades de reprecificação, analisar margens e implicações de vendas e traduzir os resultados dessas análises em preços nas lojas e no site.

A riqueza dos dados, por vezes, acaba ficando soterrada sob camadas de informações desconexas. Segundo o artigo, os varejistas “são prejudicados pela falta de soluções de análise em tempo real e por lacuna de dados. Na maioria dos casos, os insights não são oportunos e, quando são convertidos em decisões de preços e comunicados às lojas, a oportunidade é perdida.

A proposta para solucionar problemas de gerenciamento de preço e margem é integração do inventário em tempo real das lojas com o Analytics monitorando e mudando os preços. A capacidade de precificar em tempo real para aumentar as margens estarão diretamente relacionadas à capacidade de aprendizado da máquina (machine learning), o que melhora a eficiência da ferramenta ao longo do tempo.

Uma precificação automatizada não pode ficar confinada ao mundo virtual, é preciso também que as lojas físicas tenham a capacidade de ajustar os preços em tempo real, para tanto, os canais físicos precisam estar integrados à nuvem junto com os digitais.

2. Personalização e recomendação

“Os CMOs que entrevistamos enfatizaram que a personalização tem uma correlação direta com a receita incremental e o aumento da taxa de conversão”, informa o relatório da McKinsey. Ainda assim, o varejo ainda patina para ter uma visão 360 do consumidor. Para tal, além da integração entre os diferentes canais da marca, é preciso integração com os dados dos parceiros.

Um desafio apontado pela McKinsey para personalização e recomendação é quando o varejista se vê diante do aumento das vendas de diferentes SKUs. “Mostrar o conjunto certo de produtos se torna mais difícil. Isso aumenta o risco de perder clientes devido à personalização incorreta”, aponta o estudo.

Para prover esse serviço de maneira eficiente, é necessário não apenas concentrar os dados em um único lugar, mas criar uma ferramenta de buscas eficiente. Além disso, é fundamental identificar o cliente através dos diferentes canais pelos quais ele passa ao longo de toda a jornada de compra.

3. Gerenciamento do programa de fidelidade

O labor de identificar o cliente ao longo da jornada é um desafio e tanto para o varejo, segundo a McKinsey, por questões relacionadas principalmente às limitações tecnológicas. O primeiro problema identificado pela McKinsey para o gerenciamento eficiente de um programa de fidelidade é o isolamento dos dados, em especial da loja física. O segundo é a dificuldade de integrar as informações em tempo real.

Nessa árdua tarefa, a nuvem auxilia ao integrar múltiplas fontes de dados para permitir uma visão unificada dos consumidores. Os dados da loja, do celular, da web e até mesmo das mídias sociais são concentrados. Evidentemente, não basta guardar as informações no mesmo “quarto”, é preciso organizá-las em “caixas” de maneira coerente para facilitar o acesso.

É a facilidade ao acesso que vai construir um programa de fidelidade eficiente, com a reunião e aplicação de informações provindas do tráfego do consumidor pela internet além de informações geoespaciais. Localizar o consumidor no espaço é fundamental para ser assertivo nas promoções e sugestões a ele. Não adianta conhecer o histórico de pesquisa e a rotina do consumidor se os produtos recomendados estão do outro lado da cidade, longe do seu alcance.

4. Visualização do estoque em tempo real

Há no mercado uma porção de softwares capazes de reunir as informações do estoque e mostrar ao varejista a qualquer momento. Porém, entre o que o inventário mostra e o que está realmente disponível ao cliente pode haver um desequilíbrio. Eventuais quebras de produtos e demais perdas precisam ser registrados em tempo real sob pena de prejudicar o projeto omnichannel do varejista.

Se para o varejista, a visualização do estoque é um desafio, oferecer essa visibilidade ao cliente acrescenta níveis mais altos de dificuldade. Porém, o varejista capaz de dar essa visibilidade ao consumidor sobre onde está o seu pedido tem um diferencial de mercado relevante. “Os varejistas estão tentando construir mecanismos de análise para ajudá-los a fazer concessões (por exemplo, em margem ou volume) e oferecer aos clientes melhor visibilidade”, afirma o relatório.

Plataformas analíticas fornecem recursos suficientes para identificar variáveis da equação, tais como: quais são as lojas mais próximas do cliente? Quais lojas são capazes de entregar os itens escolhidos? Além disso, é preciso calcular a margem em tempo real para o varejista ao comparar o frete e o tempo de entrega.

5. Controle do fluxo de produtos

Erros no controle do estoque podem virar uma bola de neve. Quando falta um produto, é preciso oferecer outra opção para o consumidor de forma a substituir aquele que está em falta e agradar o cliente. O que parece simples pode ser, na verdade, o caminho para a canibalização das vendas, em especial durante períodos promocionais.

Produtos substitutos, via de regra, não estão preparados para serem vendidos sob as mesmas condições que os “titulares”, em especial em um período de promoção. Nesse caso, pode haver a redução na margem de lucro. É o que o varejo chama de “jogar o estoque fora”.

O armazenamento em nuvem pode ajudar a controlar a oferta de produtos substitutos sem que haja canibalização. “Mecanismos sofisticados podem até mesmo considerar sazonalidade, promoções, tendências e substitutos de produtos e complementos em suas previsões. Quando usados ??em conjunto com APIs baseadas em nuvem para promoção de fornecedores, esses mecanismos podem melhorar a precisão das previsões e aumentar a previsibilidade dos níveis de estoque”, avalia o estudo.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]