Pesquisar
Close this search box.
/
/
Tendência: a auto otimização como o novo luxo

Tendência: a auto otimização como o novo luxo

Peter Kronstrøm, diretor do Instituto Copenhagen de Estudos Futuros afirma que a auto-otimização nos atinge em diversas áreas, desde o físico e estético até o interno e religioso

Aos poucos cresce uma consciência de que estamos em uma corrida sem fim para alcançar uma aparência idealizada ou performances físicas e mentais cada vez mais elevadas. Porém, o equilíbrio com relação a esta auto-otimização aparece como uma tendência global, segundo especialistas, assim como a prática de mindfulness e a redução da ansiedade.  

O Consumidor Moderno entrevistou Peter Kronstrøm, diretor para América Latina do Instituto Copenhagen de Estudos Futuros, para entender como esta macrotendência da auto-otimização já se aplica ao nosso dia a dia, as reflexões que ela provoca, os impactos da internet na obsessão pela melhora contínua, e quais os passos necessários para que empresas a utilizem na relação direta com consumidores e colaboradores.

CONSUMIDOR MODERNO –Como a auto-otimização se aplica aos dias de hoje e as repercussões desta tendência? E como ela existe no mundo digital?

Peter Kronstrøm–Vejo uma forte mudança no cenário atual onde estamos mudando o macro padrão do que significa luxo. E vemos que o luxo do futuro está cada vez menos vinculado aos bens materiais e cada vez mais ligado aos bens intangíveis, como o melhor Eu ou um melhor mundo. Atualmente, vejo a auto-otimização de várias formas. Cada vez mais fazemos uso  de procedimentos cirúrgicos, tatuagens, cabeleireiro, cosméticos; e até yoga intensa, pilates, esportes e educação contínua. A auto-otimização está nos atingindo por todos os lados, desde o físico e estético até o interno e religioso. 

Atualmente, vemos, por exemplo o biohacking (experimentação biológica (como edição de genes ou uso de drogas ou implantes) para as capacidades de organismos vivos) que está acontecendo no Vale do Silício. 

CM–Você sente que a internet intensificou a obsessão pela busca das pessoas por uma melhora desenfreada da auto-imagem?

PK–Com certeza. As redes sociais aumentaram a opressão para que cada um nós sejamos perfeitos ou com a responsabilidade de sermos o melhor Eu. Vemos outras contra-tendências que dão valor ao que não é considerado belo. E quando se fala que a auto-otimização virou o novo luxo, isso pode criar uma nova polarização porque isso está vinculado ao nível educacional, cultural e fica mais difícil de copiar a felicidade do que copiar uma Mercedes.

CM–Você acha que a consciência da auto-otimização de trabalhar o próprio corpo vem justamente para deixar de olhar para o outro e olhar mais para si?

PK–Se olharmos para os próximos dez anos teremos novas linhas de consumo vinculadas a esta linha de auto-otimização, mas cada vez menos vinculadas estritamente ao físico e realmente focadas em saúde. Se temos o reconhecimento que viveremos mais, isso muda o nosso cenário no presente para ter prática saudáveis, quando ao invés de pensar que vamos viver 80 anos, viveremos 160 ou 180 anos. Será um foco no bem-estar físico também vinculado com longevidade. 

CM–Você diria que a auto-otimização também é uma tendência de questionar os padrões?

PK–Sim, mas com o cuidado de não pegar uma corrente de pensamento que daqui a cinco anos será mostrada que não serviu para nada. Precisamos olhar mais para as nossas raízes. Por exemplo, o jejum. Esta é uma prática religiosa que está presente em todas as religiões conhecidas. Por quê? Porque provavelmente existe um fator positivo para a saúde ao realizar o jejum. Isso combinado com a sociedade do conhecimento que está descobrindo mais, mas com olhar para trás e o que os nossos ancestrais praticavam. 

CM–Como você acha que as empresas podem incentivar a auto-otimização com os colaboradores e quem tem uma relação direta com a marca? Quais políticas seriam necessárias? 

PK–Existem dois macro padrões que as empresas precisam atender. Se você quiser ter sucesso com o consumidor do futuro são necessárias duas coisas: liberar o tempo do consumidor e colaborador para que  ele se auto-otimize em construir um melhor Eu e estar junto nesta jornada, facilitando a vida. A gente fala que o próximo passo do branding será a intimidade. Os negócios precisam estar tão próximos do consumidor que entram no espaço íntimo dele para ajudá-lo no seu auto-desenvolvimento. Mas aí vem uma responsabilidade imensa e o lado do abuso, porque se você conhece o seu consumidor intimamente abre o espaço para manipulação.  

CM–E os consumidores estão cada vez mais conscientes deste ambiente?

PK–Sim, estão cada vez mais conscientes. Mas apontamos para o cuidado com a polarização, pois vão existir consumidores que vão ser manipulados. E cada vez mais existirá uma elite mais destacada em termos de saúde e precisamos evitar que isso aconteça.

*Com colaboração de Dimas Ribeiro.


Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]