Pesquisar
Close this search box.
/
/
Humana ou não, a voz é sempre uma alternativa no atendimento

Humana ou não, a voz é sempre uma alternativa no atendimento

O primeiro debate realizado durante o Customer Voice Experience (CVX) mostrou como as empresas utilizam a voz em seus canais. Entenda

A voz sempre foi (desde que nascemos) o recurso que utilizamos para expressar incômodos, mesmo que ainda não soubéssemos usar palavras. Ao longo da vida, a fala vai se tornando mais estruturada e ganhamos habilidade ao utilizá-la. O processo de desenvolvimento de um bot de voz é semelhante: quando acaba de ser criado, ele tem pouco vocabulário. Mas, aprende com o tempo o que lhe é ensinado e também ao “ouvir”, quando há o uso de Inteligência Artificial.

Essa é uma realidade que vale para o robô aplicado aos mais variados canais. Como afirma Marco Aurélio Machado, head de Produtos Digitais e Sistemas da AeC, em painel realizado no Customer Voice Experience (CVX), havia a percepção de que o desenvolvimento de um robô era um esforço de programação. Porém, hoje, a consciência é de que esse trabalho é linguístico e cognitivo. É preciso, por exemplo, considerar a regionalização da comunicação. “Nunca imaginei que consideraríamos ‘impacto de glote’ ao criar um robô de atendimento”, diz. Mas, na AeC, ele vive essa realidade e entende que mercado vem evoluindo a longos passos.

No Carrefour, o primeiro passo foi entender a jornada: como fazer com que a voz tivesse menos fricção? É o que conta Luiz Gustavo Souto, diretor de Customer Service do Carrefour, no debate mediado Jacques Meir, diretor de Conhecimento do Grupo Padrão. “Dentro de uma estratégia omnicanal, decidimos apostar mais em determinados canais”, diz. “O WhatsApp, por exemplo, foi bastante priorizado, devido à preferência do cliente e também à humanização que é possível nesse aplicativo”.

Humano ou robô?

Luis Otavio Marchezetti, VP de Engenharia, Banda Larga e Experiência do Cliente da SKY Brasil, por sua vez, diz que já é possível, na SKY, inclusive modular a velocidade de fala do robô de acordo com o tom de voz do cliente. Na cobrança, que é tanto ativa quanto receptiva, a empresa utiliza robôs de voz. Mas, ele explica que o uso é mais complexo em casos em que as questões do cliente são abertas – no atendimento geral receptivo, por exemplo.

Sobre o canal, mencionado por Souto, Marchezetti comenta que o WhatsApp não foi priorizado inicialmente mas, agora, a empresa também está se dedicando a isso. Ainda assim ele conta que a escolha de canal é de fato do cliente: ele consegue concluir a jornada pelo app, mas, isso pode ser feito pelo telefone, também, por exemplo. A decisão pelo uso da voz, por sua vez, acontece de acordo com a possibilidade de que a resposta seja assertiva. Ou seja, perguntas mais recorrentes tendem a ser respondidas pelo robô. Casos mais complexos são direcionados ao atendimento humano.

Jornada do cliente

O mapeamento da jornada também foi importante na Riachuelo. Demetrio Teodorov, head de P&D Tech, reveja que foi feito um squad para definir a jornada ideal. “Depois que esse asset digital está pronto, é colocado nas mãos do consumidor real para avaliar a experiência”, diz. Ou seja, o aprendizado e a evolução são constantes, de acordo com o feedback do consumidor. “É bem o momento de crescimento exponencial dessa tecnologia”, afirma. Adepto da tecnologia de voz da Amazon, a Alexa, Teodorov acredita que a voz entra na vivência do consumidor aos poucos, mas, pode se tornar muito relevante.

A compreensão do perfil do cliente que usa cada persona, sem dúvidas, é um ponto bastante relevante. Na AeC, Machado conta sobre uma empresa-cliente que oferece cartões de crédito para idosos. Os clientes dessa companhia ligavam todo mês para pedir uma segunda via da fatura e, ao analisar os dados, a AeC decidiu fazer uma mudança: elaborou um ativo, do robô de voz, que lembrava sobre o pagamento e oferecia uma segunda via. Além disso, o tempo da URA foi estendido.

Confira o debate completo:


+CVX

Fique em casa e curta o seu assistente virtual
5 exemplos de como IA e os bots combatem a Covid-19
5 perguntas e respostas sobre robôs e dados pessoais

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]